Nem nos atrevemos a falar de quão promissor e ambicioso Assassin’s Creed Origins parece ser dentro da franquia, mas isso não tem a ver apenas com seu tamanho ou a quantidade de atividades secundárias disponíveis. Pois segundo a Ubisoft, cada jogador terá uma experiência própria e duas pessoas jamais terão a mesma aventura durante o jogo.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as notícias! «

Em uma entrevista para a revista PC Gamer, o diretor Jean Guesdon falou sobre este elemento e como as pessoas e as criaturas estão mais vivas que nunca em um jogo da franquia, criando assim um mundo vivo e dinâmico diferente para cada jogador.

“Nós queremos que jogadores tenham sua própria experiência pessoal, o que significa pegar menos na mão das pessoas. Nós criamos um mundo, colocamos algum conteúdo nele – nós temos dúzias de missões e pessoas que você encontrar contarão histórias. Mas no meio disso, quando você está no mundo, muitas coisas podem acontecer. E duas pessoas nunca terão a mesma experiência – simplesmente não é possível.”

“Nós retrabalhamos a IA para que todas as coisas vivas do mundo sejam IAs reais. Os leões estão caçando antílopes, os crocodilos estão atacando hipopótamos se tiver algum por perto, e o mundo é muito mais vivo do que antes.”

Afirmar que dois jogadores jamais terão a mesma experiência é uma afirmação cheia de pretensões. Não é algo simples de conseguir em um jogo, ainda mais um de escala e mundo aberto como Assassin’s Creed, mas a Ubisoft parece estar bastante confiante para tal.

Como o próprio nome indica, o título contará a origem da Irmandade dos Assassinos no Egito antigo. O jogo repensou algumas das convenções da franquia, com combate e outras mecânicas renovadas.

Assassin’s Creed: Origins será lançado em 27 de outubro de 2017 para PC, PS4 e Xbox One.

Comente!