Informações técnicas

Distribuição: Disney
Duração: 115 min
Discos: 1
Embalagem: Amaray
Luva: Não
Preço: R$ 49,90

Vídeo

Razão de aspecto: 2.40:1 
Resolução: 1080p
Codec: MPEG-4 AVC 

Áudio

Inglês: DTS-HD Master Audio 7.1 (48kHz, 24-bit)
Português: Dolby Digital 5.1 (640 kbps)
Espanhol: Dolby Digital 5.1 (640 kbps)
Francês: Dolby Digital 5.1  (640 kbps)

Análise

O Filme

★ ★ ★ ★

Mais uma aposta da Marvel Studios em um de seus personagens mais ocultos, Doutor Estranho oferece toda a fórmula manjada e estrutura familiar que passamos a conhecer de cabo a rabo a partir das mais diversas histórias de origem que vemos por aí. Porém, o diretor Scott Derrickson consegue alcançar uma experiência mais interessante graças ao espetacular apuro visual e sua inspiração em arte psicodélica, oferecendo algumas soluções verdadeiramente originais e cenas de ação que brincam com a física de um jeito que deixaria Christopher Nolan orgulhoso. Sem falar que o filme ainda traz um dos mais impecáveis elencos de todo o MCU, liderado por um fantástico Benedict Cumberbatch. Não reinventa a roda, mas é uma bela jornada. Crítica

Comentário em Áudio com o diretor Scott Derrickson

★ ★ ★ ★

Scott Derrickson é um cara humilde, e essa característica fica bem claro durante sua faixa de comentário em áudio do filme, assim como sua evidente empolgação em comandar um projeto dessa escala e reconhecimento. O interessante é que Derrickson gravou seu comentário antes de qualquer recepção, estreia ou críticas de Doutor Estranho terem sido divulgadas, o que torna sua fala aqui muito honesta e focada (“espero que as pessoas riam disso”, durante um dos momentos de alívio cômico), com o diretor analisando diversos pontos da história, sua paixão pelas HQs do personagem, o trabalho dos efeitos visuais e sua admiração pelo talentoso elenco que reuniu a dedo. Ele também rebate as acusações de whitewashing em torno da personagem de Tilda Swinton e oferece algumas de suas inspirações, falando em certo momento sobre A Origem, assim como nas cenas onde sua persona “do terror” ofereceu certos toques. Bom comentário.

Uma Estranha Transformação

★ ★ ★ ½

A primeira parte da série de fea turettes que, juntos, formam uma hora de duração apresenta-nos à ideia do Doutor Estranho e a introdução do Universo Místico da Marvel. Vemos Kevin Feige, Scott Derrickson e o elenco principal falando sobre a inserção do personagem no MCU e quais eram suas intenções ao fazer um filme de estética psicodélica. Há uma obrigatória apresentação sobre a origem do personagem, seus poderes e sua relevância nos quadrinhos. O mais interessante, porém, é ver como Feige atrasou as gravações do longa em seis meses para que Benedict Cumberbatch pudesse interpretar o personagem titular. Isso que é determinação.

Estranha Companhia

★ ★ ★ ½

Na mesma linha do antecessor, o segundo featurette explora melhor os personagens que circundam o universo de Doutor Estranho, com as entrevista dando espaço à fala do diretor e do elenco da produção. Há um breve panorama sobre cada um dos personagens, incluindo Karl Mordo, A Anciã, a enfermeira Christine Palmer e os fanáticos liderados por Kaecilius, assim como depoimentos de cada um de seus intérpretes; todos muito empolgados com a proposta de se fazer um “gigantesco filme experimental”, dado o contexto visual elaborado do filme. Há também uma atenção para o diretor Scott Derrickson, onde Kevin Feige explica sobre como a Marvel Studios não está interessada necessariamente em diretores que já tenham comandado blockbusters imensos como os de sua safra de produção, mas de cineastas que tenham uma visão clara e um talento incontestável para criar mundos. Feige enxergou isso em Derrickson, que então fala sobre suas ambições e desejos para o filme

O Tecido da Realidade

★ ★ ★ ★

Este featurette é centrado em alguns dos elementos visuais do longa, começando pelo figurino.Se a DC tem o talentoso Michael Wilkinson para fornecer os mais incríveis uniformes de super-heróis de seus filmes, a Marvel cada vez mais solidifica uma parceria com Alex Byrne, a impecável figurinista que aqui revela sua inspiração para os trajes de Strange, as jóias e toda a estética do Kamar-Taj. E por falar em estética, vemos o trabalho do design de produção em criar cenários impressionantes para o templo onde grande parte do filme se passa, os diferentes Sanctuns espalhados pelo mundo e como o maquinário fora modificado (leia-se, corredores giratórios) para comportar as alterações físicas provocadas pela ação – uma curiosidade fascinante é ver como a técnica retrô do matte painting foi utilizada de forma grandiosa para recriar o monte Evereste. Também temos o divertidíssimo registro de Benedict Cumberbatch visitando uma loja de quadrinhos em Nova York durante as gravações finais do longa.

Através do Tempo e Espaço

★ ★ ★ ★ ½

Aquilo que todos queríamos saber: as cenas de ação e as sequências mind bending. Vemos o preparo do elenco juntamente com a equipe de dublês para dominar uma coreografia fictícia inventada para os personagens do filme, e destaca-se a dedidação de Cumberbatch em realizar o máximo de suas cenas de pancadaria. Então, partimos para a equipe de efeitos visuais que oferecem uma abordagem clara e resumida à criação de cenas como a primeira viagem de Stephen ao multiverso, a estética caleidoscópia da Dimensão Espelhada, as inspirações visuais para a Dimensão Negra e a sequência final em Hong Kong com o tempo sendo revertido. Um bom tangenciamento, mas eu sinceramente esperava um aprofundamento maior para a técnica dos efeitos.

A Trilha Suprema

★ ★ ★ ★ ★

DEZ MINUTOS dedicados a um extra sobre trilha sono  ra? Isso é uma verdadeira relíquia, ainda mais tratando-se de Marvel. E por um bom motivo, visto que o trabalho de Michael Giacchino para a música de Doutor Estranho é certamente a mais memorável de todos os filmes do MCU até o momento. Vemos como Giacchino e Derrickson trabalharam em cima dos diversos personagens e situações da trama, dando direcionamento para que o compositor criasse temas musicais variados e distoantes, com uma forte influência em música oriental, que é a perfeita escolha para o visual lúdico do filme. Genial. 

Há também (sério) um making of depois dos créditos para os bastidores da cena pós créditos do filme, que inclui uma impagável participação de Thor.

Um Olhar Exclusivo sobre a Fase 3 da Marvel Studios

★ ★ ★ ½

Montado e editado de forma a parecer a Segunda Vinda, este featurette nos leva às origens humildes de Kevin Feige em 2006 falando sobre a possibilidade de um filme dos Vingadores na San Diego Comic-Con. Então passamos por uma retrospectiva grandiosa sobre todos os filmes do MCU até o momento, trazendo Feige apresentando os futuros lançamentos do estúdio para a chamada Fase 3, que inclui Guardiões da Galáxia Vol. 2, Thor: Ragnarok, Pantera Negra e o aguardadíssimo Vingadores: Guerra Infinita, que finalmente juntará TODOS os heróis do universo para um conflito com o Titã Louco Thanos. É um bom tease, com destaque especial para cada diretor (James Gunn, Taika Waititi, os irmãos Russo e Ryan Coogler) falando sobre as diferentes abordagens de seus respecticos projetos.

Cenas Inéditas e Estendidas

★ ★ ★ ½

Temos aqui quase 8 minutos de cenas deletadas e estendidas, divididas entre 6 clipes individuais. Nenhuma delas é muito importante ou justifica a presença no corte final, mas trazem alguns pequenos momentos de personagem que valem a visita, como Strange tratando da pata machucada de um cachorro em Kathmandu ou uma ótima cena onde Kaecilius invade uma igreja católica para realizar um ritual cerimonial à Dormammu (com um plano de sangue sendo derrubado sobre a Bíblia que JAMAIS entraria num filme da Marvel). Nada mal.

Time Thor: Parte 2

★ ★ ★ ★

Não seria NENHUM exagero atestar que o primeiro Time Thor, curta de Taika Waititi que justifica a ausência do Deus do Trovão nos eventos de Capitão América: Guerra Civil, seja uma das melhores coisas já produzidas sob o selo Marvel. Era engraçado, inteligente e oferecia um panorama surpreendentemente humano e descontraído para figuras tão míticas e poderosas. Com cerca de 5 minutos de duração, a Parte 2 claramente é um apanhado de cenas que não acabaram no corte original da anterior, incluindo novas esquetes de Thor com seu amigo australiano Daryl e um corte estendido para algumas já conhecidas; como Thor na escolinha. É divertídissimo, ainda que careça do frescor e da surpresa do original. Mas falando sério, eu facilmente pagaria para ver um longa metragem inteiro nessa estética.

Erros de Gravação

★ ★ ★ ★

Aqui temos aquele tradicional compilado de bloopers e erros de gravação que viraram obrigatoriedade em lançamentos da Marvel Studios. Muito divertido, e aparentemente Benedict Cumberbatch aprendeu com o colega Martin Freeman a constantemente mostrar o dedo do meio sempre que alguma câmera lhe é apontada.

Conclusão

O blu-ray de Doutor Estranho segue a mesmíssima fórmula dos lançamentos anteriores da Disney, com a estrutura de comentário, featurettes, cenas deletadas e erros de gravação. Aqui ganhamos algumas coisas a mais, como a sequência de Time Thor e a prévia dos próximos filmes, mas realmente esperava uma aprofundamento mais técnico no brilhante visual do filme. No mais, uma boa adição à coleção do MCU.

Comente!