Informações técnicas

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as notícias! «

Distribuição: Disney
Duração: 136 min
Discos: 2
Embalagem: Steelbook
Luva: Não
Preço: R$ 99,90

Vídeo

Razão de aspecto: 2.35:1
Resolução: 1080p
Codec: MPEG-4 AVC (23.88 Mbps)

Áudio

Inglês: DTS-HD Master Audio 7.1 (48kHz, 24-bit)
Português: Dolby Digital 5.1 (640 kbps)

ANÁLISE

O Filme

★ ★ ★ ★

Seguir um dos melhores e mais originais filmes da Marvel Studios era uma tarefa difícil, mas James Gunn e sua equipe chegam perto com Guardiões da Galáxia Vol 2, uma sequência que prefere focar nas relações de seus personagens do que uma trama particularmente elaborada. Em parte, isso é uma decisão acertada graças ao carisma e complexidade de alguns dos núcleos, especialmente do vilão vivido por Kurt Russell, mas o humor descontrolado e a falta de estrutura narrativa são alguns fatores que incomodam. A fotografia e os efeitos visuais são alguns dos melhores que a Marvel já viu, e ainda que seja um filme longe de superar seu antecessor, garante uma experiência muito divertida. Crítica

Introdução do filme com James Gunn

★ ★ ★ 

Antes do filme começar, temos uma breve mensagem do diretor James Gunn, que novamente nos lembra do trabalho em realizar a sequência e de seu amor não só pelos personagens, mas pelos fãs. Fofo.

Comentário em áudio com James Gunn

★ ★ ★ ★ ★

Na tradicional faixa de comentários que acompanha os blu-rays da Marvel, James Gunn é um dos caras mais descontraídos e legais de se ouvir. Já afetado pela resposta positiva do primeiro e segundo filme, o comentário de Gunn reforça como Guardiões 2 é um filme sobre os personagens e as relações entre estes (diversas vezes usando o termo “filme independente”), e passa boa parte explicando e acrescentando informações sobre alguns diálogos e confrontos – especialmente sobre a jornada de Peter Quill. Além disso, fala sobre algumas complicações técnicas e as câmeras Phantom utilizadas para as cenas em slow motion. Porém, o mais bacana é ver Gunn falando sobre as escolhas musicais do Awesome Mix Vol. 2, compartilhando até uma história bem pessoal relacioanada à canção “Brandy”.

Cenas Inéditas e Estendidas 

★ ★ ★ ½

Não há muito o que ver aqui, mas temos alguns bons momentos que acabaram ficando de fora do corte final. Em maioria, versões estendidas de cenas já existentes, como a chegada do grupo ao planeta de Ego e a interação entre Drax e Mantis, que rende mais alguns minutos de emoção genuína. Porém, o ápice é mesmo a versão estendida do Groot adolescente, que se destaca pelas histórias bizarras que Peter Quill conta para tentar comprovar sua notoriedade.

Erros de Gravação

★ ★ ★ ½

Se o filme em si já é uma zoeira do início ao fim, imagine então os erros de gravação… Muitas risadas estão garantidas, com um destaque especial para a reação assustada/nervosa de Kurt Russell quando uma câmera QUASE acerta seu rosto em um travelling veloz.

Na Cadeira do diretor com James Gunn

★ ★ ★ 

No primeiro featurette do making of, temos um olhar bem informal sobre o trabalho de direção de James Gunn. Na verdade, é mais sobre o diretor, elenco e equipe falando sobre a repercussão positiva e inesperada acerca do primeiro filme, e sobre como toda aquela estranheza dos personagens os motivou a elevar o nível na continuação. Não há um aprofundamento muito técnico ou elaborado sobre as gravações do filme – o que é bem decepcionante -, mas temos o elenco falando sobre a direção de atores de Gunn, o que é alguma coisa.

Tour da Reunião: A Música de Guardiões da Galáxia Vol. 2

★ ★ ★ ★ ★ 

Se tem um aspecto no qual este segundo filme é indubitavelmente superior ao primeiro, é sua trilha sonora. Aqui, James Gunn fala sobre cada nova escolha do Awesome Mix Vol. 2, uma por uma, e qual o significado da canção na história e cena respectiva, com detalhes para a ligação central de “Brandy” com o vilão Ego ou como “Come a Little Bit Closer” foi a primeira música escolhida no processo do roteiro; para a cena em que Yondu escapa dos Saqueadores. É certeiro como Gunn taxa o Vol. 2 de uma playlist “um pouco mais madura, de uma criança um pouco mais crescida”. Além das canções lincenciadas, Gunn fala também sobre a trilha original de Tyler Bates, revelando bastidores de seu processo incomum de tocar a música já escrita pelo compositor durante as gravações.

Planetas Vivos e Árvores Falantes: Os Efeitos visuais de Vol. 2

★ ★ ★ ★

Único featurette mais ligado a uma questão técnica, vemos como Gunn e os departamentos de arte e efeitos visuais criaram alguns dos belos novos ambientes e criaturas do segundo Guardiões da Galáxia. Vale mencionar a inspiração do diretor em artes de HQs antigas de ficção científica e literatura pulp, tanto para o monstro gigante com qual o grupo luta no começo do filme ou nos novos planetas apresentados no filme, especialmente aquele de Ego. É importante frisar também como a aceitação do público no primeiro filme permitiu que a equipe pudesse “enloquecer” mais no visual da continuação – ainda que eu ainda quisesse minha cabeça gigante do Kurt Russell em forma de planeta.

Showtime: O elenco de Vol. 2

★ ★ ★ ★

Fechando o setor do making of, temos um featurette dedicado a falar um pouco sobre cada um dos personagens e seus respectivos intérpretes. Chris Pratt, Zoe Saldana e Dave Bautista falam bastante sobre a relação dos Guardiões e cada uma de suas jornadas pessoais no longa, assim como uma rara entrevista com Bradley Cooper e Vin Diesel falando sobre Rocket e Groot (eu não via a cara de Cooper há muito tempo) e Michael Rooker se divertindo com Gunn nos bastidores. Sobre os novos personagens, Kurt Russell, Pom Klementieff e Elizabeth Debicki tem um tempinho para falar sobre suas motivações e processo de transformação; especialmente Karen Gillan com Nebulosa e Chris Sullivan com o monstruoso Taserface. Surpreendentemente conciso e explicativo.

Videoclipe Guardians Inferno

★ ★ ★ ★ ★ 

Lançado oficialmente na internet há algumas semanas atrás, temos aqui o ridiculamente brega e maravilhoso clipe musical de Guardians Inferno, música original do filme que toca durante os créditos finais. A cafonice em pessoa, no melhor sentido possível. Duvido que a Marvel lance algo melhor do que isto em 2017.

Conclusão

A Disney faz o feijão com arroz de sempre e entrega mais um lançamento padrão para sua coleção da Marvel Studios, trazendo extras consistentes e que distraem, mas que não aprofundam tanto como gostaríamos. Claro, a exceção é o ótimo comentário em áudio de James Gunn, mas acredito que faltou algo mais elaborado sobre o incrível trabalho de maquiagem e também sobre a participação de Kurt Russell. Mas, no geral, é um bom blu-ray que também tem o charme de sua belíssima embalagem em steelbook.

Leia mais sobre Marvel Studios

Comente!