Lista | As 5 Melhores Cenas de Batman: O Cavaleiro das Trevas

Batman: O Cavaleiro das Trevas é um dos filmes favoritos da minha vida. O longa que explodiu a carreira de Christopher Nolan para patamares de estrelato mundial é um marco do cinema de blockbuster nos anos 2000, conquistando admiração praticamente unanime até mesmo de espectadores não habituados com filmes de super-herói.

Um dos grandes segredos para esse filme ter dado tão certo é a mágica do ritmo de entrega de cenas absolutamente incríveis que injetam toda a força orgânica que uma história bastante longa como essa não canse. Entre reviravoltas fantásticas, desenvolvimento pleno de todos os personagens, além de termos a presença contagiante de Heath Ledger como Coringa, é muito difícil não se apaixonar pelo longa.

Por isso, separei cinco das muitas cenas excelentes que o filme possui, mas lembrando que essas são as cinco melhores na minha opinião. Mande sua seleção para a gente também!

O Roubo

Nolan começa o filme quebrando a banca. Todo o segmento do assalto ao banco muitíssimo influenciado por Fogo Contra Fogo é um ápice de tensão e caos que ajudam a sintetizar o Coringa perfeitamente. Além disso, a apresentação do vilão é digna de aplausos, pois ocorre de forma surpreendente, já estabelecendo o tom que suas ações tomarão ao decorrer do longa.

É um jeito perfeito de elaborar uma justificativa para mostrar como Coringa possui recursos para recrutar capangas e comprar os explosivos, além de deixar a plateia com os nervos a flor da pele.

A Perseguição

A melhor cena de ação do filme? Praticamente, sim. Apesar de ser um filme Batman, O Cavaleiro das Trevas é bastante contido e focado em entregar excelentes momentos narrativos que não necessariamente exigem ação descerebrada. Entretanto, no caso desta sequência da perseguição, Nolan mostra como é um mestre para pensar ação. Primeiro que ela é dividida em diversos núcleos e constantemente se transforma até termos a revelação com Jim Gordon ao fim, já com o Coringa capturado após um enfrentamento muito controlado contra o Batman. Aliás, é justamente por essa parte do encontro do Cruzado Encapuzado com o Palhaço Príncipe do Crime que teremos outro segmento fantástico.

O Interrogatório

Com Jim Gordon promovido a Comissário de Segurança, Batman conquista certos privilégios. Com o Coringa capturado e já ciente que Rachel Dawes, amor de sua vida, está em apuros, Batman descobre que na verdade ele mesmo está preso, rendido nas mãos de um maníaco. Pela desvantagem estratégica, o herói se descontrola e esmurra o vilão ao redor da sala, se descuidando a ponto de permitir brechas e instrumentos para a fuga do personagem.

A cena se torna ainda mais brilhante quando descobrimos como o Coringa manipula Batman, desesperado, a acreditar nas palavras traiçoeiras de um trapaceiro. Aqui, o herói é reduzido a pó e escombros.

Tudo Parte do Plano

O nascimento de Duas-Caras é um dos momentos mais sutis e sombrios do longa, demonstrando novamente como Coringa é um mestre diabólico da manipulação, oferecendo a ilusão da escolha para Harvey Dent em se vingar dele oferecendo uma arma engatilhada enquanto posiciona o dedo em cima do martelo que ocasiona o disparo.

Além dessa sacada genial da ilusão da escolha, temos direito a um monólogo totalmente mentiroso no qual Coringa mostra seu ponto de vista, fazendo Harvey acreditar que ele é apenas “um cachorro louco” que não planeja nada quando na verdade todos seus planos são meticulosos e orquestrados a dedo para quebrar a psique de seus oponentes – coisa que consegue com Harvey de modo permanente e momentâneo com Batman.

Concluindo sua linha de pensamento extremamente lógica sob o disfarce da loucura, temos um insight crítico muito curioso oferecido pelo vilão sobre suas ações nunca fazerem “parte do plano”. É absolutamente genial. Além disso, temos o direito ao encerramento improvisado da explosão que falha em primeiro momento no Hospital Geral de Gotham.

O Louco de Burma

Chegando ao fim da lista, realmente é muito difícil definir qual cena merece figurar nesse posto, já que temos tantos em O Cavaleiro das Trevas que são excepcionais. É como escolher sua comida favorita em um restaurante dos deuses. Porém, como temos tantos, mas tantos momentos o Coringa inesquecível de Heath Ledger, é justo destacar o momento crucial de Bruce Wayne durante o filme.

Alfred sempre foi bastante ativo como conselheiro do protagonista ao longo da trilogia, mas para mim essa cena sintetiza uma lição que Bruce nunca aprenderia por si próprio: compreender a loucura de um ponto de vista caótico como o de Coringa. Escutando a história de Alfred com a entrega perfeita de Michael Caine, temos um momento de dessabor, um temor estranho que corre pela espinha para Bruce que também teme a força que Coringa apresenta. Nolan captura esse semblante de medo quando apresenta o rosto do personagem, provocando a câmera em sua loucura narcisista.

Bravo.

Em suma, é um filme fantástico e certamente há mais momentos dignos para figurar aqui. Para você, qual é a melhor cena do longa?

Lista | As 5 Piores Adições de Personagens em Star Wars

Star Wars é conhecida por ser sempre expansiva em planetas, armas e personagens. Enquanto alguns, como Yoda, são incríveis, outros se tornam uma verdadeira irritação para os fãs da saga. Levando em conta o cânone dos filmes, incluindo os filmes da Disney, listei os cinco personagens que são simplesmente terríveis de tão irritantes ou desnecessários para o entendimento geral da história.

Ewoks

Poupando Wicket de todo o ódio desmedido, é um fato que os ewoks são uma das raças alienígenas mais bobas de Star Wars. Pior ainda é reconhecer que esses seres a la ursinhos de pelúcia tiveram um papel decisivo na batalha final contra o Império, afinal sem eles, é bem provável que a Aliança Rebelde tivesse sido totalmente exterminada. Só é um exagero completo apostar em um visual tão infantil para criaturas que ficaram consagradas como guerreiras implacáveis contra a maior força maligna que a galáxia enfrentou.

Rose Tico

Ah, Os Últimos Jedi. Infelizmente (ou felizmente), faço parte do time que abomina praticamente quase a totalidade dos eventos que ocorrem nesse miserável episódio que conseguiu dividir, literalmente, toda a base de fãs fidelíssima da saga.

No caso, Rose Tico foi uma das adições mais terríveis para a saga. A personagem se contradiz a todo momento, seu espírito revolucionário é tão bizarro que prefere salvar cavalos alienígenas do que crianças escravizadas, além de ser forçada até mesmo em um arco romântico com Finn justamente quando o personagem estava prestes a se tornar o herói que tanto queria.

Mesmo sendo pessimamente escrita e inútil na saga, quem mais sofreu com a falta de noção de Rian Johnson, roteirista da obra, foi a atriz Kyle Marie Tran que não merecia de modo algum todo o assédio sofrido na internet.

Salacious Crumb

Quem? Realmente é difícil de lembrar desse bichinho bizarro em O Retorno de Jedi. A criatura é um alien de estimação de Jabba e praticamente não serve para nada, além de rir igual a um maníaco quando algum herói leva a pior no Palácio do mercenário gordinho.

Almirante Holdo

Ah, Os Últimos Jedi. Ah, Rian Johnson e seus personagens pessimamente escritos. Novamente vemos a oitava iteração da saga na lista, mas dessa vez com Almirante Holdo, estrategista militar que faz muitos se perguntarem como raios conseguiu uma patente tão alta. Holdo é uma personagem absurda.

Não somente por não contar seu plano nada inteligente para os integrantes da sua tripulação e acabar causando uma rebelião inútil com Poe Dameron na liderança, mas simplesmente por acreditar fielmente que fugir para uma base rebelde em um planeta já conhecido pela Primeira Ordem fosse dar certo. Os vilões só precisavam olhar pela janela para ver as diversas cápsulas de fuga se dirigindo para Krayt!

Ao menos, em um último sacrifício, Holdo rende uma cena estupenda em Os Últimos Jedi.

Jar Jar Binks

Esse daqui é chutar cavalo morto, mas é sempre necessário relembrar o quão louco deveria estar George Lucas em conquistar o apelo infantil com a adição dessa criatura destrambelhada. Além de seu papel na saga ser péssimo, ajudando a conceder poderes ilimitados para o chanceler Palpatine, a.k.a. Darth Sidious, o personagem só atrapalhou a jornada de Qui-Gon e Obi-Wan ao máximo em A Ameaça Fantasma, além de contar com as mais chulas das piadas escatológicas possíveis.

Felizmente, a recepção com o personagem foi tão negativa que George Lucas diminuiu a participação da criatura em novos filmes. E para vocês? Quem foi a adição mais esdrúxula em Star Wars? Nos conte nos comentários!

Bumblebee | 4 Transformers que apareceram com visual clássico no trailer

Foi divulgado um novo trailer do Spin-Off da franquia Transformers, Bumblebee. O filme é focado no personagem título durante uma missão dada a ele pelo Optimus Prime na Califórnia nos anos 80. Uma coisa que certamente chamou bastante atenção no trailer, foram as aparições surpresas de outros conhecidos Transformers e para a alegria de todos os fãs, os visuais deles eram complementarmente fieis à série clássica de Transformers, que ficou eternamente conhecida como G1.

Com isso, listamos os Autobots e os decepticons que fizeram aparições com seus clássicos visuais, confira.

OPTIMUS PRIME

O líder dos Autobots, o grande Optimus Prime faz presença no trailer comunicando Bumblebee para ele proteger a Terra e seus habitantes dos malignos Decepticons. É possível ver ele lutando contra Soundwave e Ravage em uma cena bem rápida no trailer também. O seu visual está completamente idêntico ao da clássica série, incluindo o símbolo dos Autobots em seu braço e a sua famosa arma que ele sempre usou em combate.

SHOCKWAVE

Shockwave aparece por alguns míseros segundos junto com outros Decepticons. Eles obviamente estão se preparando para algum confronto ou já estão em um. Shockwave apresenta inclusive a sua cor roxa vinda diretamente da série clássica e a cabeça com um formato um pouco mais quadrado. Excelente adaptação.

SOUNDWAVE

Um Soundwave mais fiel que este que vimos aqui é impossível, desde as cores, o formato da cabeça e a metralhadora em seu ombro, ele parecido ter sido praticamente copiado e colado da série clássica neste filme do Bumblebee. Ele inclusive assim como em G1, carrega o Decepticon em forma de Tigre, Ravage, em seu peito.

RAVAGE

O famoso Decepticon que tem o formato totalmente baseado em um tigre selvagem, Ravage aparece no trailer exatamente como na série clássica. Ele se transforma de fita no peito do Soundwave no feroz Decepticon que corre em direção para atacar Optimus Prime. Ele saindo do peito do Soundwave da mesma forma que víamos na série clássica certamente foi um ótimo Fan-Service para todos os fãs da franquia.

Ansiosos para a estreia de Bumblebee? Nós certamente estamos.

Lista | 5 Curiosidades sobre a Cicatriz de Harry Potter

cicatriz harry potter

Todos já devem conhecer a história da fática noite quando Voldemort descobriu onde os Potter estavam escondidos, e foi até lá para mata-los – e ele quase conseguiu. Porém Harry, que na época era um bebê, conseguiu sobreviver a maldição que o Lorde das trevas conjurou nele, graças aos poderes de sua mãe, mas mesmo assim ele teve uma grande sequela. Uma parte da alma de Voldemort ficou presa no jovem Harry, e com isso ele ganhou uma cicatriz em forma de um raio.

Com isso, listamos cinco curiosidades sobre a famosa cicatriz do jovem Harry, confira.

O MOTIVO DELA TER O FORMATO DE UM RAIO

Sim, existe um motivo para isso. Graças ao Pottermore, ficamos sabendo que o movimento usado para lançar a maldição de Avada Kedavra corresponde exatamente à forma do relâmpago que adorna a testa de Harry. A implicação óbvia aqui é que, embora o feitiço tenha se voltado diretamente para Voldemort, a ferida menor que ele deixou no jovem Harry espelhava perfeitamente os movimentos usados ​​pelo Lorde das Trevas para invocar sua magia.

DUMBLEDORE JÁ SABIA DA CONEXÃO DA CICATRIZ COM VOLDEMORT 

Em A Ordem da Fênix, Dumbledore revela que no momento em que viu pela primeira vez o corte em forma de raio na cabeça de Harry, ele supôs instantaneamente que isso significava uma conexão duradoura entre o menino bruxo e Voldemort, e após 15 anos, a sua suposição se concretizou. Realmente existia um vínculo mental (e espiritual) único entre Harry e o Lorde das Trevas, graças ao fragmento da alma de Voldemort que ficou em Harry.

A CICATRIZ VOLTOU A INCOMODAR HARRY ANOS DEPOIS

Em as Relíquias da Morte e por uma declaração que a própria Rowling havia soltado na época do lançamento do livro, havia sido deixado claro a cicatriz nunca mais havia incomodado Harry em toda a sua vida. O epílogo do livro mostra que Harry está livre de dor há 21 anos desde a Batalha de Hogwarts e a escritora depois complementou dizendo que ele nunca mais em sua vida havia sido afetado pela cicatriz novamente. Contudo, quando Rowling concebeu a ideia de fazer uma nova história do Harry Potter, ela acabou criando meio que um furo nisso tudo. Já que em A criança Amaldiçoada, o Harry  já adulto fica sentindo a dor na cicatriz novamente, em resposta aos esforços feitos para ressuscitar o Lorde Voldemort.

ELA NÃO PODE SER REPARADA PELA MEDICINA MÁGICA

A medicina mágica é absolutamente espetacular e é realmente capaz de curar ferimentos ou doenças muito mais rápido e espontaneamente que a medicina dos trouxas. Na maioria das vezes, as curas mágicas inclusive curam os pacientes sem deixar a menor cicatriz, e existem feitiços e métodos que eliminam cicatrizes até. Porém, no primeiro livro da saga, Dumbledore deixa claro para Harry que nenhuma magia seria capaz de reparar a cicatriz que ele possui na testa, Dumbledore não revelou o motivo exato na época claro, mas já sabemos o porquê dele não poder ser eliminada da testa de Harry.

ELA NUNCA MUDOU OU DESAPARECEU

Na vida real, a maioria das cicatrizes geralmente desaparecem com a idade e outras, com o tempo, se tornam quase imperceptíveis aos olhos nus. Muitos fãs imaginaram que como a alma de Voldemort havia sido retirada de Harry, a cicatriz aos poucos iria desparecer. Porém, isso não aconteceu, no livro Harry Potter e as Relíquias da Morte é deixado claro que Harry ainda possui a cicatriz mesmo após a morte definitiva de Voldemort, isso somando 21 anos após este ocorrido, ou seja, Harry carregará essa cicatriz em sua testa pelo resto de sua vida.

Lista | 8 Fatos Bizarros sobre os Nazgûl

O Senhor dos Anéis foi um marco no gênero de fantasia ao levar para o cinema a obra adaptada de J. R. R. Tolkien e nos inserir a um ambiente até então não tão desenvolvido como o encontrado com a Terra Média e seus inúmeros desafios. Acompanhamos a jornada de Frodo e a Sociedade do Anel para levar o anel para até completa destruição. Muitos foram os perigos encontrados durante o percalço e muitos foram os inimigos poderosos enfrentados. Um dos vilões de maior destaque na saga são os Nazgûl, nove homens que se transformam em espectros ao serem atingidos pelo poder do Um Anel e se tornarem os mais poderosos cavaleiros de Sauron.

Como o Espectro do Anel Não Conseguiu Farejar o Anel

No filme O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel podemos acompanhar durante a jornada dos Hobbits uma das muitas investidas dos Nazgûl contra os pequeninos. A cena em que Frodo, Sam, Merry e Pippin estão na floresta e se escondem embaixo de um tronco sendo farejados pelo espectro estando a poucos centímetros de distância é no mínimo estranho, pois o Nazgûl nada fareja e nem percebe o anel, o mais ilógico da situação é que Merry consegue criar uma distração boba e então consegue assustar a criatura. A pergunta que fica é como um ser tão poderoso se distraí com algo tão pequeno como um barulho qualquer feito na floresta? Isso não é explicado por Peter Jackson, que provavelmente fez isso para trabalhar a tensão na cena e mostrar que os Hobbits estão em um perigo constante sendo perseguidos pelos Nazgûl. 

Seu Medo Pelo Fogo

Os Nazgûl terem medo de água é algo bastante natural se levado em conta que a água é um sinal de pureza e eles sendo inimigos que simbolizam o mal não a suportam. O que pouco se entende é seu medo pelo fogo, já que o reduto de Sauron fica na Montanha da perdição (ou Orodruin) um local com um grande vulcão, portanto, o fogo seria algo aceitável para eles. E também não dá para entender como um ser tão poderoso pode ter medo de dois elementos naturais, ter medo de água é até normal já que é um sinal de purificação, mas medo do fogo é realmente de se estranhar. Podemos ver isso na cena em que Aragorn enfrenta cinco Nazgûl e os espanta com uma tocha.

Como Eowyn Conseguiu Matar o Rei-Bruxo?

O Rei-Bruxo de Angmar é o ser mais poderoso entre os espectros e sucumbiu ao lutar contra Merry e Eowyn. Há muitas teorias que tentam explicar como os dois conseguiram matá-lo. Uma delas é a de que Eowyn, por ser mulher teria esse poder já que os escritos dizem que ele não poderia ser morto por nenhum homem. Outra teoria diz que a espada que Merry encontrou nas Colinas dos Túmulos estaria enfeitiçada e por isso teria poder suficiente para tirar a magia do Rei-Bruxo e o deixar vulnerável, permitindo que o Eowyn o matasse. A única questão nisso tudo é que no filme Peter Jackson não explica nada disso e nos deixa a dúvida de como o Rei-Bruxo teria sido derrotado com tanta facilidade. 

Onde Os Nazgûl Estavam Durante a Segunda Idade?

Logo no início de A Sociedade do Anel podemos ver rapidamente uma menção A Guerra da Última Aliança, fato que ocorreu na Segunda Era. Com duração de 3000 anos, a Segunda Era teve momentos importantes para a Terra Média como a criação do Anel, o surgimento e ascensão de Sauron e marcando o fim do período o confronto entre o exército de Sauron contra toda a Terra Média. Só com a aliança entre Homens e Elfos que essa batalha terminou. Só que os Nazgûl nunca foram contatados nesse tempo e tendo Sauron com o seu poder no auge é de se estranhar que os Nazgûl não estivessem presentes, já que eram servos dele. As bestas que os Nazgûl cavalgam seriam bastante importantes na batalha principal.

Por Que Bilbo ao Colocar o Anel Não Chamou a Atenção dos Nazgûl?

Levando em conta a cronologia criada por Peter Jackson entre O Hobbit e a trilogia Senhor dos Anéis há uma diferença de 60 anos passados desde que Bilbo encontrou o Um Anel até o início da saga com Frodo e a Sociedade do Anel. Acontece que durante esse período de 60 anos os Nazgûl estavam na ativa, isso se pensar que Galadriel e Gandalf enfrentaram os espectros na Batalha dos Cinco Exércitos. Há um grande problema de roteiro nisso tudo que não dá liga. Nesse período Bilbo usou o anel em seu dedo algumas vezes e isso não provocou os Nazgûl em nenhum momento. Algo diferente do que ocorre nos livros, já que não há um foco na busca de Gandalf pelo anel como ocorreu nos filmes. 

 

Por Qual Razão Os Nazgûl Usaram Tão Pouco a Lâmina de Morgul?

Outro fato de se estranhar na trilogia do anel é o porque dos espectros usarem tão poucos suas lâminas letais. Essas armas tinham o poder – ao ferir alguém – de transformar quem fosse tocado em um espectro igual aos Nazgûl. Em apenas um momento as usam para causar algum dano e isso ocorre na batalha do Topo do Vento, quando o Rei-Bruxo apunhala Frodo e Aragorn aparece citando o poder da lâmina Morgul. Se os espectros usasse seu poder com mais frequência teriam ganhado um exército gigantesco.

Como o Rei Bruxo Conseguiu Quebrar O Cajado de Gandalf?

Esta é uma cena que aparece apenas na versão estendida de O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei, portanto, só é de conhecimento de quem assistiu a esta versão. Nela acompanhamos a batalha nas Minas Tirith, em que Gandalf já como Mago Branco enfrenta o Nazgûl. Em um duelo rápido o Rei-Bruxo consegue destruir com facilidade o cajado de Gandalf usando sua espada flamejante. O estranho disso não é apenas o fato do espectro quebrar facilmente o cajado, mas também o de derrotar Gandalf sem que ele conseguisse desferir alguns golpes no Rei-Bruxo. Durante toda a saga presenciamos o Mago Branco lutando contra grandes adversários com muita maestria.

O que Aconteceu Com Sua Magia?

Não é de conhecimento que os Nazgûl eram magos, mas é mencionado em alguns momentos – antes de se tornarem espectros – que tinham uma certa habilidade com magia, provavelmente estavam aprendendo a manejar a magia negra de Sauron, portanto seriam magos não no mesmo nível Gandalf ou Saruman. Só que nos filmes quase nunca presenciamos o uso de magia pelos Nazgûl, tirando o fato de terem conseguido quebrar o cajado de Gandalf, fora isso nem a usam para conseguir encontrar o anel que está com Frodo. Os Nazgûl quase sempre eram enganados, como vimos isso acontecer diversas vezes em várias fases da história. 

Lista | Curiosidades dos Bastidores de Hellboy

bastidores hellboy

Apesar de termos dois filmes sobre o herói Hellboy, a franquia inspirada nas HQs de Mike Mignola nunca chegou nos termos de popularidade esperado pelo estúdio o que levou ao cancelamento de um terceiro filme sob o comando de Guillermo Del Toro. Hellboy, entretanto, possui dois longas de boa qualidade sendo um deles particularmente ótimo.

Agora com um reboot estrelando David Harbour, as aventuras do homem-demônio retornarão às telonas em 2019 com uma produção mais barata e focada em trazer uma visão madura do personagem. Com baixo orçamento e alto risco, mas de potencial de lucro alto, pode ser que tenhamos um novo capítulo brilhante de Hellboy na sétima arte.

Porém, enquanto o novo filme não chega, é uma ótima conferir as melhores curiosidades dos bastidores do primeiro filme, afinal há diversos momentos memoráveis nele.

O Favorito

Não há dúvida. O casting ao escolher Ron Perlman para dar vida a Hellboy nas telonas foi um acerto em cheio da produção. Mignola e Del Toro simplesmente concordaram na hora assim que o nome do ator entrou na conversa, mas tiveram que lutar contra o estúdio que queria um figurão mais famoso para atrair público nesse filme sobre um personagem relativamente desconhecido. Com o tempo, todos cederam e Perlman entrou na produção se tornando um sinônimo completo dos filmes.

Quebrador de Ossos

É normal acontecerem acidentes perigosos em grandes produções que até chegam a tirar a vida alguns no set. Porém, no caso de Ron Perlman, o ator acabou quebrando algumas costelas enquanto filmava as proezas da cena do metrô. Na ação quando Hellboy pula a linha do metrô, quase sendo atingido por um trem, o ator foi atingido em cheio pelo vagão indo a quarenta quilômetros por hora. Com lágrimas nos olhos, Perlman queria continuar para terminar a cena, mas Del Toro o impediu.

Teste de Paciência

O ator Doug Jones sempre consegue oferecer detalhes impressionantes para as criaturas fantásticas que gosta de interpretar. Porém, enquanto a tecnologia não tinha evoluído a ponto dele poder entrar em um uniforme e se tornar uma criatura incrível, tinha que ficar na cadeira de maquiagem todo dia por absurdas cinco (ou sete) horas. Foi exatamente esse o tempo necessário para Jones se tornar o excêntrico Abe Sapien.

Sem Diesel

Após concluir Blade II, o nome de Del Toro estava em alta no mercado. Somente por causa dessa influência que o diretor conseguiu poder o suficiente para negar os desejos insanos do estúdio. Primeiro, não queriam Perlman como protagonista, mas sim Vin Diesel ou Dwayne Johnson e Nicolas Cage (sempre ele).

Ainda assim, com Perlman já escalado, houve intensa discussão com o estúdio que ainda pensava em Vin Diesel, mas dessa vez para interpretar Abe Sapien. Simplesmente bizarro.

Opção dos infernos

Essa foi uma decisão que fez bem para as duas franquias. Com Christopher Columbus abandonando o barco depois do segundo filme Harry Potter, a Warner procurou desesperadamente por um substituto. Inevitavelmente, o nome de Del Toro surgiu e ele foi convidado. Apesar da tentação ser grande, o diretor recusou o cargo que acabou ficando com Afonso Cuarón que fez um trabalho magistral na franquia.

Del Toro simplesmente estava apaixonado demais pelo universo de Hellboy e não conseguiria largar essa chance. Além disso, iniciar uma franquia sempre é algo valioso.

Sem Diabo

Hellboy calhou de estrear na mesma janela de lançamento de A Paixão de Cristo, filme elogiado de Mel Gibson. Portanto, imagem a treta que deu nos cinemas americanos para exibir os dois filmes simultaneamente. Simplesmente era uma proposta dos infernos e diversos cinemas optaram por não arriscar aborrecer seus clientes com esse movimento ousado.

Envolvido até o pescoço

O criador do personagem, Mike Mignola, participou ativamente de toda a produção do primeiro filme, tanto que o longa tem esse feeling misturado em sua maioria ao contrário do segundo, já com maior presença de Del Toro. Mignola participou do processo de design e direção de arte, além de guiar diversas decisões da narrativa, incluindo a escrita de diversos diálogos no filme.

Plano B

Apesar de estar em alta no mercado, muita gente pode se surpreender ao descobrir que Del Toro não era a primeira opção do estúdio. Outros diretores como Jean Jeunet, David Goyer e Peter Hyams estava na liste de preferência, antes de Del Toro.

No caso, Jeunet, diretor de Delicatassen e O Fabuloso Destino de Amélie Poulain simplesmente recusou a oferta. Ele também viria a recusar diversos convites de grandes filmes como Tintim e o quinto filme de Harry Potter.

Essas histórias certamente são inusitadas e chamam mais a atenção pela dificuldade de decisões que hoje ninguém acreditaria que foram tomadas a muito custo e sacrifício. Felizmente, esperamos que o novo Hellboy consiga trazer uma segunda chance para popularizar o personagem ao público mainstream.

Lista | 5 Filmes que Falharam em iniciar Franquias

Muitos estúdios hoje lançam filmes já pensando em fazer franquias com eles, um bom exemplo disso foi o primeiro Homem de Ferro lá em 2008, que foi lançado com a pretensão de iniciar um Universo Cinematográfico focado nos personagens da Marvel. O filme acabou sendo um sucesso e o estúdio conseguiu o que queria. Porém, existem vários casos onde um filme acaba fracassando e a ideia de iniciar uma franquia acaba indo para o fundo da lixeira.

Com isso, listamos cinco filmes que tentaram iniciar franquias, mas acabaram sendo fracassos completos e o estúdio abandonou a ideia, confira.

REI ARTHUR: A LENDA DA ESPADA

Guy Ritchie é com certeza um bom diretor. Tendo dirigido filmes como Sherlock Holmes, Snatch e Agentes da U.N.C.L.E, ele era uma escolha no mínimo interessante para iniciar uma franquia do Rei Arthur, ainda mais com um elenco de peso contando com Jude Law, Charlie Hunnam e Djimon Hounsou. Porém acabou que o filme foi um fracasso completo, tanto de crítica quanto de bilheteria, gerando inclusive prejuízos para o estúdio, com isso toda a ideia de começar um Universo Cinematográfico foi para a lixeira, junto com qualquer chance de qualquer sequência.

O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA

Quando O Espetacular Homem-Aranha 2 ainda estava em fase de produção, a Sony já estava planejando várias sequencias e spin-offs para montar um universo cinematográfico do personagem. Eles tinham inclusive marcado datas, contratado um diretor para o filme do Sexteto Sinistro e já estavam pensando em fazer uma prequel de O Espetacular Homem-Aranha 2. Bem, mas acabou que o filme fracassou, e ainda teve uma treta imensa envolvendo os e-mails vazados da Sony, e acabou que esse universo cinematográfico acabou sendo cancelado e o Homem-Aranha agora faz parte do Universo Cinematográfico da Marvel. A Sony vai tentar construir outro universo focado nos outros personagens do universo do Homem-Aranha, começando com um filme do Venom, vamos ver se desta vez vai dar certo.

QUARTETO FANTÁSTICO

Eu realmente não entendo a Fox, eles fizeram três filmes do Quarteto Fantástico e nenhum deles prestou. Tivemos os dois filmes na década passada dirigidos por Tim Story, e ambos foram ruins, e a Fox já estava planejando uma sequência iria contar a com a presença do Pantera Negra inclusive. No fim, tudo acabou sendo cancelado. Então veio o reboot de 2015, antes do filme estrear, a Fox já havia até marcado uma sequência e estava planejando um crossover com os X-men. Bem, sabemos muito bem qual foi a recepção do novo Quarteto, com isso todos os planos foram para a lixeira.

PERCY JACKSON

A série de livros escrita por Rick Riordan é uma mistura de ação moderna com deuses e monstros da mitologia grega, é realmente um ótimo material para se adaptar nas telonas e com a adaptação cinematográfica certa, com certeza conseguiriam várias sequências. A adaptação de O Ladrão de Raios conseguiu fazer um sucesso mediano ate e fizeram uma sequência, já pensando em fazer uma franquia da saga. No entanto, essa sequência fracassou em tudo, até em ser um filme decente ele falhou. Assim o estúdio não investiu mais em filmes do Percy Jackson.

A MÚMIA (2017)

A Universal estava realmente confiante que o novo filme da Múmia conseguiria começar um universo cinematográfico focado nos monstros que pertencem ao estúdio. No século passado, a Universal já havia feito esse Universo Cinematográfico e saíram muitos bons filmes disso. Eles tentaram repetir o mesmo feito agora, e bem, não deu nada certo. Eles já tinham diretores, elenco e até datas de inicio das produções do filme, e pelo visto depois do fracasso que foi o filme da Múmia, foi tudo para o fundo da gaveta, realmente uma pena.

Lista | 5 Fan-casts que Acabaram Acontecendo

Quando alguma adaptação seja de livro, HQs ou games são anunciadas como filme ou série, os fãs logo imaginam quem poderia interpretar os personagens e ficam desejando que o seu ator favorito seja escolhido para interpretar determinado papel. Muitos até fazem artes imaginando os atores nos papeis. Porém, é realmente muito difícil de um fan-cast se concretizar e a maioria acaba ficando apenas como um simples desejo de um fã mesmo.

Porém, às vezes os estúdios realmente escutam os fãs e tornam esses fan-casts em realidade. Com isso, listamos cinco vezes onde eles acabaram se realizando, confira.

JOE MANGANIELLO COMO SLADE WILSON

Joe Manganiello não é novo no gênero de super-heróis. Ele apareceu no primeiro filme do Homem Aranha de Sam Raimi como Flash Thompson. No entanto, levou alguns anos até que os fãs começaram a ver o potencial em Manganiello para se tornar um personagem icônico de quadrinhos. Quando Esquadrão Suicida estava em fase de pré-produção, vários rumores afirmavam que Joe iria interpretar o Slade Wilson no filme, e isso certamente atraiu a atenção de todos os fãs. Vários até criaram artes imaginado o ator no papel, e ele virou praticamente o fan-cast de todo mundo para interpretar o Slade. Então de fato ele foi contratado para interpretar o personagem, mas nem sequer foi citado no filme do Esquadrão e nem havia sido contrato na época. Ele apareceu na cena de créditos finais da Liga da Justiça com o traje e a aparência completa do Exterminador.

HENRY CAVILL COMO GERALT

Quando a Netflix anunciou que estava adaptando a série de jogos/livros favoritos dos fãs, The Witcher, em uma série live-action, não demorou muito para que os fãs começassem a pensar em quem interpretaria Geralt, o personagem principal do jogo. Henry Cavill foi o favorito de muitos para o papel, ele inclusive havia falado que tinha interesse em interpretar Geralt na série. A notícia circulou e não demorou muito para que o artista gráfico Bosslogic fizesse uma arte imaginando Cavill como o personagem. Cavill então repostou a arte em seu Instagram. E apenas alguns meses depois, a Netflix anunciou que Cavill iria interpretar Geralt, realmente um sonho virando realidade.

PATRICK STEWART COMO PROFESSOR XAVIER

Antes que o Twitter e da Internet se consolidarem, as últimas páginas das histórias em quadrinhos continham uma espécie de “cartas de fãs”, onde os leitores podiam expressar suas opiniões e enviar para as editoras. Este foi o caso no final dos anos 90, quando o primeiro filme X-Men começou a produção. Na época, Patrick Stewart era mais conhecido como o Capitão Picard na série Star Trek: A Nova Geração, e os fãs clamavam para ele ser o Charles Xavier no filme dos X-Men, e de fato esse pedido foi atendido e indiscutivelmente, Charles se tornou o papel mais conhecido de Stewart.

JESSICA CHASTAIN COMO A VERSÃO ADULTA DA BEVERLY

Ninguém esperava que o filme It de 2017 fosse um sucesso tão grande quanto foi. O filme arrecadou mais de 120 milhões em seu fim de semana de estreia e terminou sua bilheteria com um total massivo de 700 milhões. O filme foi amplamente elogiado por sua história e pelo vilão Pennywise interpretado pelo ator Bill Skarsgard, mas foi o jovem elenco do filme que roubou completamente o show. Uma das estrelas foi a jovem Sophia Lillis, que interpretou a Beverly. Dado que uma sequência tinha sido anunciada antes mesmo do primeiro filme estrear, e que seria focado no grupo de jovens agora adultos, os fãs imediatamente pediram por Jessica Chastain para interpretar a Beverly adulta, e a Warner Bros atendeu ao pedido e chamaram ela para interpretar a personagem.

BENEDICT CUMBERBATCH COMO O DOUTOR ESTRANHO

Quando o filme solo do Dr. Estranho foi anunciando, os fãs logo pediram pelo ator de Além da Escuridão: Star Trek e astro da série Sherlock, Benedict Cumberbatch, para interpretar o papel. Tanto por sua aparência, quanto pela sua postura em seus papeis que mostravam que ele daria um excelente Stephen Strange. Outra escolha dos fãs era o ator Joaquin Phoenix, porém ele acabou recusando o papel, mas para a felicidade de todos, o Benedict aceitou o papel e assinou o contrato para estrelar como o Dr. Estranho em vários outros filmes.

Lista | As Sequências mais Esquecíveis de Hollywood

filmes sequencias esqueciveis

Na via mais tradicional quando um filme faz sucesso na bilheteria, temos as benditas sequências que raramente fazem jus à qualidade do original. Nisso, franquias inteiras são sustentadas com dois, três, até seis filmes – isso até a Marvel mudar o jogo e tradicionalizar o conceito de universos compartilhados e possibilitar milhares de filmes diferentes que servem como sequências indiretas.

Como disse, na maior parte das vezes as sequências não são tão boas, mas também dificilmente são esquecidas como no caso de boa parte das animações Disney. Porém, outras realmente são obscuras e ignoradas totalmente pelo público mesmo se tratando de um filme que tenha sido muito popular em sua estreia nos cinemas.

Separamos dez desses casos que realmente trazem um enorme desafio em lembrar ou até mesmo de conhecer esses títulos.

The Last Days of Patton

Uma das sequências mais improváveis e inusitadas de todos os tempos. Dezesseis anos depois do lançamento do histórico Patton: Rebeldo ou Herói? Uma sequência foi feita para mostrar os últimos dias de vida do lendário general da 2ª Guerra Mundial. O mais surpreendente é que o George C. Scott retornou para encarnar o papel que o consolidou na História do Cinema. Porém, como o filme detalha os dias anteriores à morte do personagem, Scott praticamente só aparece deitado em uma cama, com paralisia, aguardando a morte chegar.

Um Homem Perigoso

Em 1992, outra sequência improvável surge no formato de filme para televisão. Dessa vez, se trata de Um Homem Perigoso, sequência do histórico Lawrence da Arábia, de David Lean. Apesar do próprio filme original ter início mostrando a morte do personagem, a sequência mostra Lawrence e Feisal pedindo a independência árabe em uma conferência da paz em Paris em 1919.

Ralph Fiennes interpreta o personagem, substituindo a performance história de Peter O’Toole. Dizem que o longa não é completamente ruim, mas certamente é difícil de lembrar de sua existência.

Tratamento de Choque

Outra sequência que ninguém havia pedido, apenas embalada pelo sucesso de Rock Horror Picture Show, um dos musicais mais icônicos de Hollywood. Tratamento de Choque funciona como uma “sequência” já que pouco tem a ver com o filme original. Focado em game shows, o filme não traz canções memoráveis, além de uma narrativa bastante batida que trata o filme original de modo bastante satírico. É difícil levar essa daqui à sério.

A Chave do Enigma

Um dos maiores clássicos da Sétima Arte é Chinatown, filme de suspense criminal de Roman Polanski contando com ótimas performances de Jack Nicholson e Faye Dunaway. Mesmo depois de dezesseis anos, Nicholson encontrou dificuldades de esquecer seu papel como o detetive Jake GIttes e acabou bancando, dirigindo e protagonizando essa sequência do clássico de Polanski.

O mais curioso é que o filme ainda tinha a ajuda do roteirista do original, Robert Towne, para criar uma história tão boa quanto a do primeiro. Infelizmente, o resultado foi abaixo do esperado com críticas medíocres e baixa procura do público. Nicholson então desistiu de realizar um terceiro e último filme sobre o personagem.

Operação França II

O filme que catapultou a carreira do diretor William Friedkin, Operação França, acabou ganhando uma sequência quatro anos depois da estreia do original. Agora totalmente baseado em uma história fictícia, o longa acompanha a vida de Jimmy Doyle (com direito ao retorno de Gene Hackman ao papel) em sua procura pelo criminoso Alain Charnier. Com detalhes originais e uma abordagem nova para Doyle, o filme é um típico caso de ame ou odeie, dividindo opiniões até hoje.

Golpe de Mestre II

Como ficou provado nessa lista, realizar sequências depois de uma década da estreia do original é sempre uma má ideia. Ainda mais se for realizar uma sequência de um dos filmes mais icônicos de Hollywood: Golpe de Mestre. Funcionando basicamente como um remake preguiçoso, trazendo as mesmas viradas do original e um elenco reformulado não muito inspirado, o longa conquistou praticamente ninguém, permanecendo oculto no baú das sequências esquecidas.

Os Pássaros II

Lançado em 1994, Hitchcock acabou ganhando outra sequência deplorável inspirada em seus clássicos suspenses. Os Pássaros II apenas aproveita a situação da rebelião e ataque de diversas aves contra os humanos apresentando uma família apática que tenta sobreviver aos eventos – praticamente do mesmo modo que os personagens driblam a morte no original de 1964. Um dos piores filmes da existência, Os Pássaros II não tem muita consideração pelo original ao replicar momentos exatos sem a menor técnica e sutileza do mestre do suspense.

Aliás, reconhecendo que a produção é uma verdadeira bomba, o diretor Rick Rosenthal não assinou o filme, usando o pseudônimo de Alan Smithee.

The Fall of a Nation

Essa é a primeira sequência da História do Cinema. Servindo como continuação do épico controverso O Nascimento de uma Nação, a história de The Fall of a Nation é um dos maiores mistérios do Cinema também, já que todas as cópias foram destruídas ou se perderam no tempo. A produção do longa, obviamente, foi bastante apressada para ser lançada em 1916, apenas um ano depois da estreia do filme original que é considerado um clássico inventor de linguagem cinematográfica.

Os Embalos de Sábado Continuam

Nem mesmo o clássico oitentista, Os Embalos de Sábado a Noite, merecia uma sequência tão terrível como essa. Os Embalos de Sábado Continuam traz novamente John Travolta como Tony Manero agora tentando ser bem sucedido como dançarino nos palcos da Broadway. Em uma história realmente sem inspiração, atuações caricatas e glamour brega, a sequência fracassou em crítica e público. O curioso é que ela é dirigida por Sylvester Stallone que também escreveu o roteiro.

Look What’s Happened to Rosemary’s Baby

Indiscutivelmente que essa talvez seja a sequência mais inútil de todos os tempos. Além do título sensacionalista similar aos clickbaits que temos aos montes na internet, o filme responde uma questão que ninguém deseja saber ao final de O Bebê de Rosemary que já é perfeito por si só. No caso, o menino anti-Cristo, filho do Capeta, é adotado e cresce sem saber que é rebento do demônio na Terra. No meio do caminho, precisa se confrontar com o fato de ser o anti-Cristo. Exatamente como acontece em A Profecia II que é um filme muito superior a esse.

O excesso sempre é a prova da má saúde. Isso vale em praticamente todos os campos da humanidade, incluindo a arte. Quem disse que também não há poluição no Cinema? Felizmente, boa parte dessas sequências que não se importam em nada com a própria qualidade acabam encontrando o merecido destino depois de um tempo: o completo esquecimento.

Lista | 5 coisas que aconteceram com Harry Potter após os eventos de as Relíquias da morte

harry potter depois livro

Harry Potter realmente não passou por poucas e boas durante os eventos do livro as Relíquias da Morte. Perdeu vários amigos, aliados e descobriu que esse tempo todo estava com um fragmento da alma de Voldemort pregado em seu corpo. Mas felizmente, depois que a Segunda Guerra Bruxa acabou com a morte do Lorde das Trevas, as coisas melhoraram e muito para Harry, ele se casou, teve filhos e tudo acabou dando certo para ele.

Com isso, decidimos listar 5 coisas que aconteceram com Harry após os eventos do último livro e que você provavelmente não sabia, confira.

ELE SE TORNA O CHEFE DO DEPARTAMENTO DE EXECUÇÃO DAS LEIS DA MAGIA

Graças ao novo livro, Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, os fãs finalmente descobriram a escolha de carreira de Harry após todo o confronto contra Voldemort no passado. Harry não só se torna um funcionário no Ministério da Magia, ele se torna o Chefe de Execução das leis da magia. Um cargo altíssimo e muito bem reconhecido. Ele trabalha com Hermione, que virou ministra da magia e, eventualmente, com Ron, que se torna um auror.

SUA CICATRIZ VOLTOU A LHE INCOMODAR

Vários anos após ter derrotado o Voldemort de uma vez por todas, Harry voltou a sentir um incomodo na cicatriz, e com isso ele sabia o que significava, Desde a morte do Lorde das Trevas ele não havia sentido mais essa dor e só começou a sentir de novo quando a filha do Voldemort, como é mostrado no livro Harry Potter e a criança amaldiçoada, tenta trazer o seu pai de volta. Porém, felizmente acaba dando errado o plano dela.

ELE MANTEVE CONTATO COM DUDLEY

Harry nunca se deu bem com sua tia Petúnia, seu tio Walter e principalmente com seu primo Dudley. Ele costumava tratar muito mal o Harry, embora o jovem bruxo nunca tenha feito nada para perturbá-lo. Após o termino de As Relíquias da Morte, não ficamos sabendo o que houve com seus tio e com seu primo, contudo, durante uma sessão de perguntas e respostas em 2007 com a MTV, Rowling explicou que os primos nunca se tornaram bons amigos, mas que visitavam uns aos outros para que seus filhos pudessem passar um tempo com seus próprios primos.

ELE NÃO TERMINOU OS ENSINOS EM HOGWARTS

Em uma entrevista para Pottermore, a autora da saga explicou que Rony e Harry nunca voltaram para Hogwarts depois da batalha contra Voldemort, ou seja eles não se formaram lá, mas Hermione voltou e se formou na escola. Não é nenhuma surpresa que nem Ron nem Harry tenham terminado a escola, depois de tudo que ocorreu também, e faz sentido porque Hermione sentiria a necessidade de terminar a dela, considerando o seu histórico.

ELE SE TORNOU UMA DAS FIGURINHAS DOS SAPOS DE CHOCOLATE

Harry Potter definitivamente realizou inúmeros feitos incríveis desde que entrou na escola de Hogwarts. Ele salvou a escola inteira em várias ocasiões inclusive foi um dos responsáveis pela morte definitiva do lorde das trevas. Com essas conquistas, não é surpresa nenhuma que Harry tenha ganhado sua própria figurinha nos famosos sapos de chocolate. Afinal, outros bruxos tiveram essa mesma honra por muito menos do que o que Harry tinha feito. J.K. Rowling revelou esse fato em uma entrevista à Bloomsbury Publishing.