» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Muitos foram os filmes de terror que já trataram sobre o tema do exorcismo. Produções como “Invocação do Mal” ou clássico absoluto “O Exorcista”. Dominação (Incanarte) que estréia essa quinta (5) é um exemplo que o tema ainda tem muito a ser explorado.

Provavelmente muitos irão dobrar o nariz para ele. Vão dizer que é parado, não dá susto nem medo, que a história é chata entre outros argumentos que já ouvimos falar quando pedimos dicas de algum filme de terror para assistir. A questão é: um filme de terror precisa dar susto ou dar medo para ser bom?

Sem entrar nessa prolongada discussão Dominação cumpre seu papel ao contar uma história se não original diferente. É sim um bom filme e deve ser apreciado sem o comparar a outras produções pops americanas do gênero como o já citado invocação do mal.

Aaron Eckhart interpreta Dr. Ember é um homem preso á uma cadeira de rodas que trabalha não exorcizando, mas como ele próprio diz expulsando entidades demoníacas que aprisionaram a mente do possuído em sonhos que retratam o desejo da pessoa. Uma ilusão em que é vivenciado como se fosse realidade, mas na verdade é um truque do espírito maligno para prender a alma da pessoa para sempre.

Dr. Ember procura por um espírito chamado Maggie. Essa entidade causou uma grande fatalidade envolvendo sua família e o deixou paraplégico e agora passa a possuir um garoto de 11 anos.

Ele então é chamado pelo vaticano que já tentou de várias formas realizar um exorcismo, mas falhou em todos os momentos. Já que a religião não funcionou então eles partiram para o lado científico. Explicam a situação para ele e em um primeiro momento não aceita a missão, mas depois de saber que Maggie é o espírito em posse do garoto resolve participar do expurgo.

Esse é o diferencial da história. Dr. Ember tem um método nada convencional de entrar na mente das pessoas. Com fios ligados em sua cabeça e levando um pertence particular do possuído ele confronta a pessoa em seus pensamentos e abre seus olhos para o que realmente está acontecendo, que aquilo não é real e sim uma ilusão. Dr. Ember é uma espécie de Professor Xavier Demonologista.

Parece que as produções do gênero perceberam que não adianta ter apenas uma boa história e bons sustos. Um elenco qualificado melhora qualquer longa. Além de Aaron Eckhart o filme conta com a presença de Carice Van Houten a feiticeira do Deus do Fogo em Game of Thrones e Catalina Sandino que já participou de longas como “O Amor nos Tempos de Cólera” e “Che”.

A personagem de Carice é fraca, apagada e não foi muito desenvolvido. Poderiam ter estruturado melhor a mãe do garoto de 11 anos mostrando seu drama particular, mas o foco ficou todo em cima do Dr. Ember. Uma atriz tão talentosa merecia melhor destaque. Já Aaron Eckhart parece estar tentando pegar projetos novos que fogem de sua vasta filmografia e ele faz uma boa interpretação de seu personagem.

Quanto a direção ficou a cargo do jovem Brad Peyton (36 anos) que dirigiu o blockbuster catastrófico “Terremoto: A Falha de San Andreas”. Talvez se ele tivesse mais tempo para desenvolver não apenas a história, mas seus personagens e suas tramas o filme seria mais interessante. Ele sabe onde colocar a câmera e seu enquadramento é bom. Dominação não é ruim e é sim um bom entretenimento.

Dominação (Incarnate, 2016, EUA)
Direção: Brad Peyton
Roteiro: Ronnie Christensen
Elenco: Aaron Eckhart, Breanne Hill, Carice van Houten, Catalina Sandino Moreno, David Mazouz, Emily Jackson, Emjay Anthony, Karolina Wydra, Keir O’Donnell, Mark Henry, Mark Steger, Matt Nable, Petra Sprecher, Seaonna Chanadet, Tomas Arana
Gênero: Terror
Duração: 88 min.

Comente!