» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Se você é daquelas pessoas que nunca ouviram falar de nomes como Kéfera, Luba, Felipe Castanhari, Júlio Cocielo ou Christian Figueiredo saiba que eles são muito conhecidos. Juntos contam com mais de 30 milhões de inscritos no YouTube e são muito populares entre o público jovem em especial os adolescentes.

Chamados pelo nome de “YouTubers’, ficaram populares fazendo vídeos caseiros para a plataforma digital de vídeos. O lema “Uma ideia na cabeça e uma câmera na mão” vale para esse pessoal que começou fazendo vídeos quando o YouTube se popularizou e assim que o acesso à internet foi facilitado e mais pessoas começaram a se conectar e passaram a a seguir esses canais.

Christian Figueiredo é um dos mais conhecidos e vem justamente da primeira geração de YouTubers. Começou fazendo vídeos caseiros, falando sobre sua vida durante a adolescência e dos desafios passou e dos problemas que enfrentou nesse período que todo jovem atravessa.

Seu canal no Youtube (Eu Fico Loko) conta com mais de 7 milhões de inscritos e cada vídeo seu tem em média mais de um milhão de visualizações. Ele já apresentou quadros no Fantástico, deu entrevistas para talk shows, se tornou capa de revistas, lançou 3 livros que foram sucesso de venda e agora está lançando um filme.

“Eu Fico Loko!” estreia nessa quinta-feira (12) e é baseado no livro de mesmo nome que conta a história desse seu período de adolescência e como começou a fazer seus vídeos. É um filme de origem e engana-se quem acha que ele será óbvio e igual a muitos outros filmes brasileiros que assistimos e falam a respeito de adolescentes.

Ele consegue se sobressair em um nicho que ultimamente era pouco explorado pelas produtoras. Os Youtubers entenderam que existia um caminho e começaram desbravar esse público que antes assistia malhação e hoje procura conteúdo digital na tela do celular ou no computador.

Na história do filme Christian (Filipe Bragança) vive os dilemas da adolescência. Se preocupa com o primeiro beijo, como levar uma garota para a cama e a aceitação entre os amigos. Nisso o filme vai apresentando a característica do jovem que gosta de gravar com sua avó e com seu melhor amigo vídeos cômicos e os joga na internet. Ele é apaixonado pela sua colega Alice (Isabella Moreira), mas sofre uma decepção amorosa enquanto a vê começar um relacionamento com o valentão do colégio que vive por fazer bullying com ele. Nisso ele vai a uma festa com seu melhor amigo e conhece Gabriela (Giovanna Grigio). Christian consegue se adaptar ao seu momento do colégio e os vídeos caseiros se tornam seu refúgio.

Na realidade as pessoas têm muito preconceito contra Youtubers. Muitas pessoas passaram a ver essas pessoas como se fossem uma molecada em frente ao computador fazendo “mimimi”. Foi esse mimimi que tornou Christian Figueiredo o sucesso que ele é. E a verdade é que o filme é bom sim. Você certamente entrará no cinema pensando “mais um filme de youtuber” e sairá pensando “não é que o filme é bom?”

Uma ressalva para a produção é: era necessária tantas vezes a aparição de Christian Figueiredo durante o filme? Claro que quem vai ao cinema só vai vê-lo se o conhecer e quem for com o filho vai querer saber quem é esse tal de Christian. No início e no fim eu concordo que ele apareça para contextualizar a história. Agora, durante o filme não era necessário. Havia situações que o filme se desenrolava bem e havia uma intromissão em que ele aparecia falando sobre a situação que acontecia. Essas intromissões durante o filme quebravam o ritmo e a piada ficava sem fôlego. Talvez se ele aparecesse menos ficaria melhor.

A direção de Bruno Garotti é firme e audaciosa e já é um grande feito só o fato de ele contar uma história que já assistimos muitas vezes no cinema e mesmo assim divertir diferente do que as pessoas estão acostumadas a ver aqui no Brasil. A direção de arte e figurino estão ótimas e só consolidaram a boa produção. O elenco composto por jovens promessas atuam sem grandes vícios de linguagem, diferente do que vemos em filmes com elenco recheado de atores da rede globo, por exemplo.

O trio principal composto por Filipe Bragança, Isabella Moreira e Giovanna Grigio tem um grande futuro pela frente.  Filipe surpreende por ser tão jovem (16 anos) e mesmo assim conseguir interpretar de forma perfeita uma celebridade teen como é Christian Figueiredo. Isabella e Grigio já haviam trabalhado em chiquititas juntas e elas mostram que tem talento. Ambas conseguem apresentar para o público os dilemas da adolescência.

A grande questão dessa produção é se o filme será um sucesso. A pergunta é valida já que o filme da Kéfera “É Fada!” pode até atraído um público cativo, mas foi um fracasso de crítica. “Eu Fico Loko!” parece ter tomado o outro caminho. Foi bem avaliado pela crítica, não na totalidade, e deve ser um sucesso de público também. Outro fato é que o filme irá concorrer nos cinemas com blockbusters pesos-pesados como “Assassin´s Creed” e “Moana”. Como é um período de férias é bem provável que esse filme seja um sucesso e certamente tenha uma continuação

Quem é fã vai amar, quem não é fã vai passar a ver com outros olhos essas celebridades teens. Digamos que Eu Fico Loko! é uma grata surpresa e é uma versão da malhação melhor dirigida e roteirizada com personagens melhor pensados e com situações mais realistas.

Eu Fico Loko (Brasil, 2017)
Direção: Bruno Garotti
Roteiro: Bruno Garotti, Sylvio Gonçalves (baseado no livro de  Christian Figueiredo)
Elenco: Christian Figueiredo, Alessandra Negrini, Filipe Bragança, Suely Franco, Marcello Airoldi, José Victor Pires, Thomaz Costa, Isabella Moreira, Giovanna Grigio, Michel Joelsas, Ceará, Tania Khalill
Gênero: Biográfico, Comédia

Duração: 93 min.

Comente!