» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as notícias! «

Depois de uma boa estreia na noite passada, a AMC nos presenteia com um novíssimo episódio de Preacher já nessa semana, demonstrando a confiança da emissora na sangrenta série de Sam Catlin, Seth Rogen e Evan Goldberg. E, sendo bem sincero, após terminar o primeiro episódio da segunda temporada de forma nada impressionado, Mumbai Sky Tower oferece um episódio dinâmico, vibrante e que definitivamente traz o brilho e ação que faltou ao anterior, oferecendo aquele que facilmente se figura entre os melhores da série até então.

O episódio começa imediatamente após o final de On the Road, com o Santo dos Assassinos (Graham McTavish) rastreando Jesse (Dominic Cooper), Tulipa (Ruth Negga) e Cassidy (Joseph Gilgun) até um hotel de aficcionados por armas. Após um massacre chocante e reminiscente do primeiro Exterminador do Futuro (um fato que até Cassidy faz questão de comentar), o trio resolve pedir auxílio ao anjo Fiore (Tom Brooke), que passa seus dias de depressão atuando como showman de uma atração no hotel cassino Mumbai Sky Tower, onde sua habilidade de ressurreição tornou-se um verdadeiro show de horrores. Visto que Fiore foi responsável por contratar o Santo, ele é o único que pode tirá-lo da cola de Jesse e o Gênesis.

Em termos técnicos, esse episódio pode ser considerado um filler, já que é apenas mais uma parada da road trip do trio protagonista, e pouco faz para avançar a trama além de oferecer informações aos personagens – a mais pertinente, a de que o Santo é capaz de localizá-los toda vez que Jesse faz uso do Gênesis. Mas como também havia dito na crítica anterior, o fato de a temporada estar nessa estrutura de road trip inevitavelmente vai depender das situações que são colocadas pelo caminho dos protagonistas, e felizmente tudo o que vemos em Mumbai Sky Tower é de uma energia e humor realmente notáveis, sendo também da veia humorística típica de Seth Rogen e Evan Goldberg.

Justamente por trazer de volta Fiore, a série oferece uma das melhores sequências do ano ao retratar a solitária vida do anjo depressivo, que vive cada dia apenas para que possa se matar e ter seu corpo substituído por um novo em folha; e o fato de termos a canção “That’s Life” como escolha musical é absolutamente brilhante, assim como os planos refinados e criativos da dupla Rogen e Goldberg, eficazes ao traduzir visualmente a chegada de novos Fiores após cada suicídio diferente. Todo o arco de Fiore virar uma celebridade nos shows do cassino, como o magnífico Ganesh, é aquele tipo de ideia tão boa que fala por si só, em uma clara crítica a como a violência acabou tornando-se um espetáculo ovacionado – o pequeno detalhe da plateia usar capas de chuva para se proteger do sangue é uma observação genial da figurinista Karyn Wagner.

Quando Cassidy fica encarregado de persuadir Fiore a cancelar o contrato com o Santo (2h45min exatamente), é aí que temos uma sequência que só poderia ser mais Seth Rogen caso James Franco aparecesse repentinamente. O vampiro e o anjo entram em uma verdadeira festa de fraternidade ao usarem uma mistura intensa de drogas em um quarto de hotel, incluindo cabanas de cobertores, corridas alucinadas pelos corredores e leituras de gibi. Um grande atraso narrativo, mas que é inquestionavelmente divertido, ainda mais pela dupla adotar técnicas de direção fortemente inspiradas no cinema de Danny Boyle, com mudanças no aspect ratio, câmeras acopladas em objetos e mudanças intensas na paleta de cores. Ainda que um escapismo, a sequência também oferece um insight maior em Fiore, que está abalado pela morte de seu amigo, e também justifica sua decisão final em pedir para que o Santo o mate.

Foi um episódio fortemente centrado nos personagens também, ainda mais por finalmente descobrirem que a cidade de Annville foi destruída, o que provoca uma reação melancólica em Tulipa, pela morte de seu tio Walter; e Negga brilha no pequeno monólogo em que compartilha uma lembrança de infância. O ritmo só peca na subtrama em que Jesse e Tulipa cogitam casar-se em uma capela do cassino, mas acaba resultando em uma mera corrida em círculos sem muito a acrescentar, além de nos revelar que Viktor continua enviando capangas atrás de Tulipa; onde Rogen e Goldberg nos surpreendem com uma cena de luta brutal e excepcionalmente bem coreografada.

Com o trio agora seguindo para Nova Orleans, já que Deus aparentemente é um grande fã de Jazz, Preacher segue em um caminho promissor. Mumbai Sky Tower foi um dos episódios mais dinâmicos e bem dirigidos da série até então, colocando a segunda temporada, até então, em um nível que pode facilmente superar a anterior.

Preacher – 02×02: Mumbai Sky Tower (EUA, 2017)

Criado por: Sam Catlin, Seth Rogen e Evan Goldberg
Direção: Seth Rogen e Evan Goldberg
Roteiro: Sam Catlin, Seth Rogen e Evan Goldberg
Elenco: Dominic Cooper, Ruth Negga, Joseph Gilgun, Graham McTavish, Tom Brooke
Emissora: AMC
Gênero: Aventura, Ação
Duração: 42 min

Confira AQUI nosso guia de episódios da temporada.

Comente!