Imediatamente no título deste quarto episódio de Preacher, já fica a promessa da série em enfim explorar um de seus novos mistérios: a identidade do misterioso Viktor, que vem assombrando a memória e segurança de Tulipa desde o início da temporada, e que aqui ganha uma apresentação mais formal. Porém, visto que é focado na subtrama de uma personagem, Viktor representa também um grande desvio da narrativa central da busca por Deus, mas felizmente o ritmo e a qualidade se mantém, mesmo diante deste inegável filler.

O episódio começa logo após o final do anterior, com a personagem de Ruth Negga sendo escoltada por um grupo armado até a luxuosa residência de Viktor (Paul Ben-Victor), que é sugerido ser um gângster respeitado e admirado nos moldes da família Corleone em O Poderoso Chefão, mantendo Tulipa presa ali. Paralelamente, Jesse (Dominic Cooper) se reencontra com Cassidy (Joseph Gilgun) para que ambos continuem a procura por Deus, agora seguindo a pista de uma agência de elenco que teria cuidado do ator que substituiu Deus no Céu, visto na igreja de Jesse no season finale da temporada anterior. Por fim, mas não menos importante, continuamos seguindo a desventura do pobre Cara de Cu (Ian Colletti) no Inferno.

Casos de Família

A começar pelo título, o personagem de Viktor acaba por representar o arco mais fraco. O design de produção de David Blass segue criativa e competente ao oferecer novas locações a cada novo capítulo, dessa vez agradando pela grandiloquência e escala da mansão do mafioso, marcada por uma arquitetura clássica e objetos de decoração renascentistas, todos demarcados pela paleta de cores diversa e vibrante. A atmosfera do local também é perceptível pelo fato de Tulipa ser ignorada por todos, revelando que tinha uma relação muito forte com os capangas, cozinheiros e até as crianças da residência, resultado em silêncios embaraçosos e até cuspidas na cara, e Negga segue dominando cada segundo de sua participação; saindo-se bem ao tentar forçar uma cordialidade com todos os sujeitos que evidentemente a querem morta.

Os eventos em si acabam novamente marcados pelo mistério. Logo quando Tulipa e Viktor ficam cara a cara, não entendemos exatamente a relação dos dois, e por mais que Paul Ben-Victor traga uma ótima presença ao mafioso, quase como um Vin Diesel mais velho e relaxado, todos os momentos em que o roteiro de Craig Rosenberg voltava sua atenção para este arco, o episódio enfraquecia. Felizmente, nos segundos finais temos a bombástica revelação de que Viktor é o marido de Tulipa, e o espectador se sente recompensado por finalmente entender toda a resistência da personagem ao pedido de casamento de Jesse em Mumbai Sky Tower.

“Game of Thrones”

Falando em Jesse, foi bom termos alguns momentos do Padre junto a seu amigo vampiro, e o núcleo de abordar uma agência de elenco foi realmente inesperado. Quando Cassidy vê o “falso Deus” em um comercial na TV (com uma impagável participação de Frankie Muniz), os dois seguem para a agência a fim de garantir informações sobre seu paradeiro, já que encontrando seus empregadores, a dupla tem uma ligação direta com o Paraíso. Cassidy sendo Cassidy, finge ser um empresário de Game of Thrones para conseguir o contato do ator, mas o agente vivido por James Hiroyuki Liao revela que o mesmo está desaparecido, oferecendo apenas a fita de teste de elenco do sujeito para a dupla. Jesse e Cassidy descobrem que, logo após sua contratação, o ator foi morto à queima roupa, sendo imediatamente levado ao Céu para assumir o posto de Deus.

Com a falta de resposta de Tulipa, Cassidy convence Jesse a invadir a mansão de Viktor e ir ajudá-la, o que nos leva diretamente ao clímax do episódio. Antes de termos a revelação de Viktor ser o marido de sua namorada, o pastor protagoniza uma das melhores cenas de luta da série até então, onde Michael Slovis ousa ao oferecer uma pancadaria em um plano longo falseado – mas impressionante. Incapaz de usar o Gênesis para controlar seu oponente, que usa fones de ouvido, temos uma luta com facões, bastões e até mesmo um corpo pendurado, tudo ao som da energética Uptown Girl, de Billy Joel. Uma sequência formidável, e que representou o ponto alto do episódio. E depois de um tempo desaparecido, finalmente temos um novo vislumbre do Santo dos Assassinos (Graham McTavish), que é visto cruzando a ponte para Nova Orleans nos segundos finais.

Problemas no Submundo

De volta ao Inferno, temos o início de um arco muito curioso e incomum. Com a pane no sistema de algumas celas, a “segurança” do Inferno envia Eugene, Hitler (Noah Taylor) e alguns outros detentos para uma “área de recreação”, para que matem tempo ali até suas celas sejam devidamente consertadas e todos possam voltar a reviver suas piores memórias – inclusive, temos um enigmático vislumbre na pior memória do infame ditador nazista, que o coloca em um almoço em 1919 com uma moça pela qual está interessado, oferecendo também foreshadowings de sua aversão a judeus, mas a memória é interrompida antes de vermos o quê exatamente a torna a pior de sua existência. Hitler acaba se tornando aquele detento que defende Eugene dos outros prisioneiros mais hostis, que chegam a incluir até mesmo um neanderthal (em uma ideia genial de Rosenberg).

Tudo fica mais interessante quando Eugene é forçado a ter uma mudança em seu caráter. A segurança do Inferno (Amy Hill) alerta o jovem que o Inferno não é um local de bom comportamento, e que ele deveria agir de acordo com a demanda do local, que renda uma breve e criativa exposição sobre sua criação – “estamos com falta de investimentos, então o equipamento está sempre falhando”. Esse aviso faz com que Eugene abrace seu lado sombrio, levando-o a espancar Hitler junto com os outros detentos no centro de recreação. E está aí uma frase que eu nunca imaginei que escreveria na minha vida.

A segunda temporada de Preacher segue bombástica. Mesmo com o desvio narrativo proporcionado por seu personagem-título, Viktor garantiu ótimos momentos de ação, humor e irreverência, prometendo arcos muito complexos com a jornada de Eugene e o que exatamente a revelação de Tulipa significa para Jesse. Eu não poderia estar mais empolgado.

Preacher – 02×04: Viktor (EUA, 2017)

Criado por: Sam Catlin, Seth Rogen e Evan Goldberg
Direção: Michael Slovis
Roteiro: Craig Rosenberg
Elenco: Dominic Cooper, Ruth Negga, Joseph Gilgun, Ronald Guttman, Noah Taylor, Ian Colletti, Amy Hill, Paul Ben-Victor, Frankie Muniz, Graham McTavish, James Hiroyuki Liao
Emissora: AMC
Gênero: Aventura, Ação
Duração: 44 min

Confira AQUI nosso guia de episódios da temporada.

Comente!