nota-4

Confesso que quando fiquei sabendo que iriam lançar um romance sobre Tarkin, não fiquei muito interessado. Tarkin estava longe de ser um dos meus personagens favoritos, não estava investido nele, tanto quanto eu estava investido em Obi-Wan antes de ler o livro Kenobi. Mas já vou adiantando que Tarkin subiu consideravelmente no ranking de personagens da série após a leitura desta aventura.

Lançado em 2015, Star Wars Tarkin é mais um livro dentro do novo cânone da Disney após a aquisição da LucasFilm e é escrito por James Luceno. Luceno tem bastante experiência com a saga, particularmente com histórias que sejam sobre os antagonistas. Escreveu, dentre outros, os romances: Darth Plagueis, Dark Lord: The Rise of Darth Vader e Labyrinth of Evil.

Eu sempre achei interessante ver os diversos pontos de vista que uma história tem. E ainda não vimos pelo ponto de vista dos “caras maus” de Star Wars ainda nos filmes. Achei Tarkin fascinante exatamente por isso, ele nos dá outra face do universo criado por George Lucas e faz isso bem.

A história começa quando o Imperador Palpatine designa a Wilhuff Tarkin e Darth Vader uma missão para que eles interfiram em uma pequena rebelião que ocorre em um planeta. Chegando lá, os stormtroopers que estavam encarregados de vigiar a nave são enganados por uma transmissão falsa de um grupo rebelde se passando por Tarkin. Os stormtroopers deixam seu posto e os rebeldes aproveitam para roubar a nave do Governador, mas claro eles não faziam ideia de com quem eles mexeram.

tarkincover2

A trama basicamente segue Tarkin e Vader perseguindo esse grupo rebelde. Mas já nos dá outras nuances. Como o relacionamento do Tarkin e do Vader, os dois se respeitam e se admiram mutuamente. Já na introdução do Darth Vader, o vemos matando pessoas, como de costume. Um personagem que presenciou o ato junto a Tarkin ficou enojado com os métodos do Sith, mas Tarkin tinha a certeza que esse tipo de opressão era muitas vezes necessária.

O que nos leva ao aspecto mais forte do livro, o passado do Tarkin. Nós passamos a entender melhor as motivações do personagem no filme Uma Nova Esperança, afinal, por que Tarkin tem tanta fé no projeto da estrela da morte? Os Tarkin conseguiram elevar o planeta Eriadu de praticamente inóspito a habitável pela tecnologia e fizeram também sua fortuna da mesma forma, esse fato forma a fé praticamente cega do Tarkin. Também é explicada a fé do personagem no poder do medo e da força para governar.

Todo membro masculino da família Tarkin passa por testes. Eles são soltos nas áreas selvagens de Eriadu para sobreviver. Tarkin então aprende a lição mais importante da vida dele: “É muito fácil passar de ter tudo para não ter nada” Frase de seu pai. Ele aprende que para conquistar e governar ele tem que ser forte e usar de todos os meios possíveis para manter o que tem, ele é o típico personagem maquiavélico.

Luceno vai além da infância e treinamento dele e fala do inicio da sua carreira promissora. Ele chama atenção após prender alguns piratas em Eriadu, é sondado pelo senador Palpatine para trabalhar na politica, luta ao lado dos jedi nas guerras clônicas, até se tornar o grand moff do Imperador.
Luceno toca também nas questões de como uma pessoa que vem do nada pode eventualmente se tornar alguém no futuro. Fazendo uma alusão ao triunvirato do império, os três vieram de planetas periféricos da galáxia, Tatooine, Naboo e Eriadu.

Além do ponto de vista de Wilhuff, vemos a história pelo ponto de vista do Imperador, que faz aquelas suas maquinações malignas de sempre e dos rebeldes, que estão tentando se livrar da cola do Vader e do Tarkin.

Tarkin é um ótimo livro para aqueles fãs que, assim como eu, gostam de ver as histórias de vários ângulos diferentes.

Comente!