CUIDADO COM SPOILERS!

Não é novidade para nenhuma pessoa que está acompanhado a série até aqui e já sabem o quanto que ela anda nessa montanha russa de qualidade entre os episódios, variando do morno ao ok e aos ótimos. Bem, esse oitavo episódio acabou sendo outro desses ótimos, se não o melhor da temporada até agora.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Logo após os eventos macabros que o grupo enfrentou no asilo no último episódio, Dick Grayson, interpretado por Brenton Thwaites, decide partir para um novo recomeço e descobrir quem ele quer ser realmente, alguém que não seja o Robin, e acaba encontrando uma amiga do passado, Donna Troy, interpretado por Conor Leslie. Enquanto isso, a mãe de Rachel sugere ao grupo que eles se mudem do esconderijo para sua antiga casa, afastada de qualquer perigo de serem seguidos. Ao mesmo tempo que Kory (Anna Diop) começa à ter estranhas lembranças do seu passado.

É basicamente isso que temos nesse episódio, onde pouco acontece e com certeza pode despertar certo tédio do público com quase nenhuma grande ação ocorrendo. Porém, o episódio se sobressai por ser exatamente o melhor episódio ao extrair o melhor de cada personagem e atores em seus arcos dramáticos individuais.

Seja com Brenton Thwaites mostrando um Dick quase que aliviado por se livrar do manto de Robin, ao mesmo tempo em que ele tenta ser uma pessoa mais socializável com a ajuda de sua velha amiga Donna, a Moça-Maravilha, embora sua sede por ação continue insaciável quando ele parte para a porradaria quando pensa ter salvado Donna do traficante de animais no qual ela estava investigando. O bom e velho Dick de sempre.

Já no outro núcleo temos Teagan Croft ainda mostrando uma Rachel em conflito, ao realizar que mesmo tendo encontrado a mãe biológica e ter obtido respostas sobre o culto sinistro que seu pai criou, ela continua com esse estranho mal dentro dela e que ela teme em controlar. Com os diretor David Frazee fazendo um ótimo trabalho em demonstrar a solidão da personagem com muito silêncio e lentos movimentos de câmera deixando a atriz expressar muito da personagem só pelas expressões, ou em uma linda tomada dentro do trem em que viajam denotando Rachel completamente sozinha.

Até mesmo o Garfield (Ryan Potter) tem seu momento ao mostrar seu nervosismo de adolescente em querer expressar seus sentimentos para Rachel sem saber como, e tendo que ouvir alguns conselhos debochados da Kory.  Ambos que aliás recebem um bom tempo de tela para desenvolver uma relação de amizade, coisa que ainda não tínhamos visto antes. Ao mesmo tempo que Kory está em conflito com seus demônios interiores, tanto paranoica com eles estarem sendo possivelmente seguidos, e também com suas visões mais e mais fortes borbulhando em sua mente. E que se revelam bem mais perigosas do que imaginávamos graças à descoberta de Donna que só vai elevar os conflitos que o grupo terá que enfrentar mais pra frente na série.

O oitavo capitulo de Titans foi mesmo um daqueles episódios que põem o pé no freio e deixa um episódio inteiro dedicado à desenvolver os personagens, e o melhor até agora da série em deixar o elenco muito bem prosaico dentro da narrativa e onde todos tem seu bom momento de brilhar. Ao mesmo tempo em que consegue estabelecer coisas ainda mais interessantes por vir. Seja a vindoura e quase óbvia transformação de Dick no Asa Noturna ou talvez num futuro embate entre a Moça-Maravilha e Estelar em sua forma final e letal. Muita coisa boa está por vir e esperamos que mantenha a ótima qualidade desse episódio.

Titans – 01×08: Donna Troy (Idem, 2018 – EUA)

Criado por: Greg Berlanti, Akiva Goldsman, Geoff Johns
Direção: David Frazee
Roteiro: David Frazee
Elenco: Brenton Thwaites, Anna Diop, Teagan Croft, Ryan Potter, Rachel Nichols, Conor Leslie
Emissora: DC Universe
Gênero:  Ação, Aventura
Duração: 45 minutos

Comente!