Não se assuste com o tamanho do nome de Uma Dama de Óculos Escuros Com Uma Arma no Carro, ele é bem parecido com o título original e faz um resumo do que virá pela frente no novo filme de Joann Sfar (O Gato do Rabino) e que estreia essa semana nos cinemas do país. 

longa é baseado na obra de Sébastien Japrisot que teve todos os suspenses escritos adaptados para o cinema, desde Eterno Amor à Crime no Carro Dormitório. Ele escreveu sobre outros  livros sobre outros temas, mas ficou conhecido pelos seus thrillers com histórias surpreendentes. Esse não é diferente, e apesar de ter uma narrativa monótona consegue te envolver em grande parte do tempo. Essa é a segunda produção de Uma Dama… a primeira é de 1970 e foi dirigida por Anatole Litvak. A versão de 2015 traz cenas muito parecidas com a da versão original, só que o anterior tinha um ar mais de suspense.

Tudo é muito confuso do início até seus últimos vinte minutos que é quando ele apresenta realmente o que aconteceu e desvenda todo mistério. Na trama, Dany é uma secretaria que ao chegar no serviço recebe como missão de seu chefe redigir um relatório que segundo ele está errado e quer que seja entregue no dia seguinte. Ele propõe a ela que faça o trabalho em sua residência, pois para ele seria mais fácil pegar tudo e ir embora para a Suíça e ela ainda poderia reencontrar uma antiga amiga que é esposa dele. Ela vai até a casa do patrão, lá começa a escrever o texto usando uma máquina de escrever. Esse objeto já nos ambienta que estamos na década de 70, mesmo período que a primeira versão foi filmada. 

Ela passa a noite escrevendo, enquanto seu chefe e sua esposa saem ele para um lugar diferente do dela. Dany vai com eles ao aeroporto no dia seguinte e eles a pedem que leve o carro de volta para casa e deixe no estacionamento. No caminho ela pega o carro sem autorização dele e vai em direção ao mar, local que ela não havia ido até então. O carro que ela dirige é o modelo Ford Thunderbird de cor verde que começou a ser fabricado na década de 50, além de belo é um personagem de grande destaque. O diretor faz questão de filmá-lo de todo jeito, parado, correndo, participando de eventos importantes.

No caminho em direção ao sul vai fazendo paradas e sempre alguém chega e diz a conhecer de algum lugar, que esteve por lá no dia anterior. Dany diz não lembrar de nada e que estão a confundindo com alguém parecida com ela. E assim vai se desenvolvendo a narrativa, essa confusão que as pessoas fazem com ela acaba fazendo o longa perder um pouco da sintonia que foi transmitida de cara. O ponto que interessa mesmo é quando encontra no porta-malas do carro o corpo de um homem morto. Seria ela a assassina? Teria feito tudo sem se lembrar? Todo esse mistério é finalizado com um final que surpreende, mas acaba decepcionando.   

Uma Dama de Óculos Escuros Com Uma Arma no Carro em todo seu desenvolvimento não dá sinal algum sobre o que seria todo esse mistério envolvendo a personagem e isso talvez tenha deixado tudo um pouco estranho. A trilha sonora que poderia ajudar a mostrar que seria um thriller acabou dando um caminho diferente, parecia em alguns momentos que seria apenas uma viagem de autoconhecimento sem consequências. As cores do figurino e do filme em si tem uma estética em tons pastéis, como se estivesse vivendo um vislumbre de uma viagem, um devaneio. Nenhuma dica é dada a respeito do que seria tudo isso. Se o diretor tivesse se decidido em fazer um suspense desde o começo com certeza o resultado seria diferente e muito mais interessante.

O que ajuda a segurar a trama é a bela Dama de Óculos interpretada pela atriz Freya Mavor, ela é uma espécie de lolita e Sfar faz questão de filmar tudo de modo bastante sensual, a câmera sempre se apresentando como se estivesse a bisbilhotando. Assim o telespectador fica no papel de um voyeur a assistindo tudo o que acontece.

Uma Dama de Óculos Escuros Com Uma Arma no Carro (La Dame dans l’auto avec des Lunettes et un Fusil, Bélgica/França – 2015)

Direção: Joann Sfar
Roteiro: Gilles Marchand, Patrick Godeau
Elenco: Freya Mavor, Benjamin Biolay, Elio Germano, Stacy Martin, Thierry Hancisse, Sandrine Laroche
Gênero: Thriller
Duração: 94 min

Comente!