Um dos filmes mais aguardados do ano e também um dos favoritos na corrida do Oscar enfim chegou ao Brasil: O Primeiro Homem, terceiro longa metragem do promissor Damien Chazelle. Como todo longa baseado em fatos, é normal que haja uma hollywoodização da história para torna-la mais cinematográfica, apesar de a primeira viagem do homem à lua ser cinematográfica o suficiente.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Entretanto, no caso de O Primeiro Homem, como veremos a seguir, temos muita fidelidade aos fatos da missão e da vida do introspectivo Neil Armstrong. Acompanhando os eventos da vida de Armstrong de 1961 até a conclusão da missão Apollo 11 em 20 de julho de 1969, há diversos elementos fortes da vida do astronauta no filme. Por isso, caso ainda não tenha assistido ao longa ou desconheça completamente a história da missão, avisamos que o texto está repleto de SPOILERS.

Com isso, vamos aos fatos.

Neil Armstrong, um esquisitão?

Ao contrário do que muitos podem imaginar, o filme é bastante realista com a apresentação de Ryan Gosling como Neil Armstrong. O astronauta não atraia muito interesse e sempre foi bastante quieto, tímido e introspectivo. Até mesmo depois da missão, pouco se descobriu de sua vida e logo sumiu dos holofotes ao contrário de Buzz Aldrin, sempre presente em grandes eventos.

Música Lunar

Em uma das cenas mais íntimas do filme, o casal Armstrong dança a estranha Lunar Rhapsody, uma música levemente experimental. O mais legal é que Chazelle fez questão de inserir a música justamente por ser uma das favoritas do casal na época das preparações para a missão. Um pequeno detalhe que faz a diferença.

O Trauma que Move

Uma das passagens mais tristes da vida de Neil Armstrong foi adaptada para o filme também: a morte da filha de dois anos por conta de um câncer cerebral. O astronauta afirmou em sua biografia que não podia desistir de viver por causa do trauma e decidiu entrar para o programa espacial naquele mesmo ano. Impressionante a força de vontade.

Um Incêndio Cruel

Neil Armstrong realmente passou por dificuldades cruéis. Além de suportar a morte da filha, o astronauta perdeu tudo o que tinha durante um incêndio inesperado em sua casa que quase matou ele e também sua esposa. Seu vizinho, Ed White, que também se tornaria astronauta futuramente, salvou a vida do casal e do filho deles de dez meses de idade.

Treinamento Mortal

Armstrong também quase morreu em um dos treinamentos do pouso lunar. Um dos módulos customizados para simular a gravidade da lua teve um vazamento inesperado de gás hélio prejudicando os motores da nave. Assim a cápsula pegou fogo e começou a cair livremente para o chão. Felizmente, o astronauta se salvou ao conseguir se ejetar da cápsula, mas caso tivesse atrasado mais de meio segundo, teria morrido na queda.

No filme, há apenas um exagero ao mostrar Armstrong com o rosto ferido. Na realidade, ele saiu sem lesões graves do acidente, apenas tendo machucado a língua na queda.

Conversa de Adulto

Outra cena emocionante de O Primeiro Homem se trata da conversa real e séria que Armstrong teve com seus filhos sobre sua viagem à lua. O astronauta deixou claro que havia uma enorme possibilidade dele não retornar para Rick e Mark. Os dois colaboraram ativamente no diálogo e direção da cena para ser o mais próximo da realidade possível. Bom, pelo menos do que eles conseguiam se lembrar.

No fim, Armstrong e Aldrin permaneceram na lua por pouco mais de três horas. Coletaram amostras, experimentaram a baixa gravidade e tiraram algumas fotos. A famosa pegada da bota lunar de Buzz Aldrin, ironicamente, virou o porta-retrato favorito da citação bela do astronauta: Um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade.

Armstrong conseguiu retornar em segurança para a Terra, totalmente emocionado. Permaneceu por trinta e oito anos, separando por conta do pedido de divórcio de Janet em 1994. O astronauta acabou se casando de novo dois meses depois de ter se divorciado. O homem que se tornou uma lenda morreu em 2012, se tornando parte dos astros que pode conhecer de perto.

Comente!