Aviso: Este texto aborda vários elementos da Marvel Estúdios e da franquia Guardiões da Galáxia, mas não é uma crítica. Para conferir nossa análise individual de cada filme, você pode clicar em Guardiões da Galáxia ou Guardiões da Galáxia Vol 2.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as notícias! «

Um Começo Simples

Foi durante a Comic Con de San Diego em 2012 que Kevin Feige anunciou o que seria o filme mais arriscado da Marvel até então. Uma trupe de heróis improváveis e intergalácticos que envolvia, dentre outros personagens, uma raposa armada até os dentes e uma árvore falante, foi recebido com alegria por parte dos fãs e com receio por grande parte do público. Dois anos mais tarde, com sua estréia em agosto de 2014, o sucesso da aposta Guardiões da Galáxia consolidaria a franquia cinemática Marvel de formas inimagináveis até então.

guardioes galaxia dc

Aposta Arriscada

Falar sobre os riscos envolvendo esta produção é tarefa fácil. Uma equipe de heróis pouco conhecida aos leitores de quadrinhos e menos conhecida ainda com o público em geral seria uma ideia difícil de se vender a qualquer estúdio. À eles não havia qualquer tipo de reconhecimento público que havia para Homem Aranha ou Super-Homem, por exemplo. Tampouco era um título extremamente popular na editora Marvel. Muitos analistas e palpiteiros de plantão (categoria esta a qual me incluo) ponderaram ser este o primeiro fracasso Marvel, desde o lançamento de seu universo cinemático com Homem de Ferro em 2008. Aliando estes elementos com um diretor de filmografia pouco conhecida, James Gunn, e atores para viver os papéis não muito convencionais como o improvável galã Chris Pratt e o lutador de MMA Dave Bautista, o cenário não era muito favorável. Comparando a produção de Guardiões da Galáxia com Esquadrão Suicida, por exemplo, Warner Studios tomou menos riscos ao trazer uma equipe também pouco conhecida do público; atores de nome como Will SmithMargot Robbie foram escalados para os papéis principais e o diretor David Ayer, que já possuía experiência com filmes de maior orçamento, foi escolhido para dirigir.

No entanto, foi dessa forma que o projeto Guardiões da Galáxia foi tomando forma ao longo dos meses anteriores ao seu lançamento; com um olhar de ansiedade por parte do público e um receio significativo por parte da Disney. O filme que hoje analistas indicam que pode arrebatar mais de um bilhão de dólares em bilheteria em sua segunda entrada, já foi sinônimo de risco a poucos anos atrás.

Sucesso Indiscutível

Hoje, alguns dias após o lançamento do excelente Vol. 2, é indiscutível seu sucesso com o público. Chris Pratt se tornou uma estrela do dia para a noite, sendo protagonista na primeira entrada da franquia Jurassic World e também atuando como protagonista em Passageiros e Sete Homens e um Destino. A frase “Eu sou Groot” têm reconhecimento enorme com o grande público e a marca Guardiões da Galáxia hoje vende brinquedos infantis, jogos e possui até série animada. Seu lançamento em Agosto de 2014 angariou críticas extremamente positivas com 91% de aprovação no site agregador de críticas Rotten Tomatoes e um impressionante total de 770 milhões de dólares em bilheteria mundial (dados de Box Office Mojo). Como comparativo, um ano antes deste lançamento, O Homem de Aço, filme do Super-Homem, conquistou 100 milhões de dólares a menos. O sucesso desta equipe até então desconhecida frente o herói mais popular do planeta fez muitos estúdios se debruçarem sobre o fenômeno.

Consolidação Marvel

Estes dados acabaram por comprovar o sucesso não só da produção cinematográfica, como também da marca Marvel. Após algumas semanas em cartaz, começaram a surgir os comentários de que a Marvel poderia transformar qualquer quadrinho em sucesso de bilheteria. “Marvel não pode falhar” era a frase sendo dita em diversos veículos de comunicação após a grata surpresa que 2014 foi. Depois de dois filmes lançados em 2013 que devem figurar o Top 3 de piores filmes de seu universo, foi em 2014 que a Marvel provou que existia sucesso fora do núcleo Vingadores e Robert Downey Jr. Dois meses após o sucesso do filme, a Marvel, através de seu diretor executivo Kevin Feige, apresentou toda a agenda de filmes a serem lançados até 2019. Não haviam mais limites nas possibilidades do UCM (Universo Cinemático Marvel) e diversos personagens pouco conhecidos começaram a ser cotados e estudados para terem seus filmes. 2015 veria o lançamento de Homem Formiga e 2016, Dr. Estranhoque trilharam caminho semelhante ao de Guardiões da Galáxia.

Mas e Vingadores?

Alguém poderia argumentar que não, não foi o sucesso do arriscado Guardiões da Galáxia quem consolidou a franquia Marvel no cinema. Quem fez isso foram os 1,5 bilhões arrecadados em bilheteria por Vingadores. E esta linha de pensamento não está errada. Até seu lançamento, os personagens de Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro gozavam de pouco reconhecimento público e este filme também foi um grande risco para a Marvel, com condições similares a de Guardiões da Galáxia. E sim, Vingadores foi a prova de que um universo cinemático coeso e promissor pode trazer grandes recompensas. No entanto, tão importante quanto ganhar a batalha pela simpatia do público (e seu rico dinheiro) é saber manter a vitória e a posição com a audiência. Vingadores trouxe Marvel à popularidade, mas foi Guardiões da Galáxia quem mostrou seu poder de resiliência e renovação.

Existe Vida lá Fora

O sucesso do arriscado Guardiões da Galáxia consolidou a Marvel no cinema e pode ser o que a manterá por muito tempo. Considerando que vários contratos dos atores que entraram na Marvel na fase 1 (Robert Downey Jr, Chris Evans, Chris Hemsworth) expiram após Vingadores 3 e 4, a Marvel mostra que pode continuar expandindo sua franquia no terreno fértil do espaço. Com planos de um terceiro filme e uma ampla gama de possibilidades apresentadas em Guardiões da Galáxia Vol. 2, é muito provável que tenhamos mais aventuras e incríveis personagens sendo trazidos ao plano de frente do UCM. E é isso que a Marvel precisa preparar, um universo rentável e popular pós-Vingadores. Filmes que possam superar a barreira do bilhão sem necessitar da presença de seu ator mais querido do público: Robert Downey Jr.

Certamente, é um vasto universo a ser explorado. Nós, como fãs, não podíamos estar mais ansiosos.

Comente!