It: A Coisa é um grande sucesso.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as notícias! «

E merecido, visto que também é um excelente filme e uma das melhores adaptações de Stephen King para os cinemas, com crítica e público convergindo suas opiniões acerca da primeira parte da saga do palhaço demoníaco Pennywise. Porém, por incrível que pareça, esta nova versão da história tinha tudo para ser um fracasso.

Isso porque o projeto sofreu alguns problemas de pré-produção, mais especificamente a saída do diretor Cary Fukunaga (a primeira temporada de True Detective), que trabalhou por quase 4 anos no roteiro e produção do filme. Porém, o diretor bateu de frente criativamente com a New Line e Warner Bros, que acabou optando por um novo roteiro e um substituto na forma de Andrés Muschietti (de Mama), e o resto é História. É uma grande supresa que este It seja tão bom quanto é, e fico feliz por isso.

Porém, o que aconteceu com a versão de Fukunaga? Quais foram os problemas criativos que levaram o premiado diretor a deixar o projeto tão em cima da hora, já tendo até mesmo escalado Will Poulter para intepretar Pennywise? É o que o canal LowRes Wünderbred tenta investigar através de uma série de 4 pequenos vídeos, batizados de Deconstructing Cary Fukunaga’s It.

Os vídeos dividem-se entre a pré-produção, as duas versões do roteiro de Fukunaga e Chase Palmer e a entrada do roteirista Gary Dauberman, que acabou cuidando da versão final do projeto. É uma excelente jornada pelos bastidores do longa, e ajuda a entender melhor o que aconteceu no início dessa jornada – e também algumas das ideias estranhíssimas de Fukunaga.

Confira:

It: A Coisa está em exibição nos cinemas.

Comente!