Não é de hoje que bonecos fazem parte do elenco de produções cinematográficas. Já estiveram em comédias, animações, dramas, mas é no terror que esses brinquedos se destacaram mais. Annabelle e Chucky são nomes que estão na memória de todos por atormentar as pessoas que chegam perto deles. Mas esse universo dos bonecos aterrorizantes é muito vasto e há muita história para se desenvolver ainda. Provavelmente se usam muito esses brinquedos pelo rosto ingênuo deles, o que atrai o público facilmente é o que vem depois. Aterrorizam e matam sem dó nem piedade, é de assustar que algo tão fofinho possa realizar atos tão brutais. Aqui colocamos dez bonequinhos que não são de se brincar. 

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

10. Dolly (Boneca Assassina – 1991)

Imagina você comprar essa linda bonequinha para sua filha de presente e descobrir que ela é uma espécie de Annabelle? Essa não é sua verdadeira fisionomia, seu verdadeiro aspecto é bastante bizarro e assustador. Se você gosta de filmes de terror com uma pegada trash esse é o filme certo. A boneca de tão monstruosa deixa nos chinelos a esposa de Chuky do filme A Noiva de Chucky. Ela foi possuída por um espírito antigo liberto por um arqueólogo no México. É uma narrativa interessante se entrarmos de cabeça no mundo do terror, hoje as histórias são quase sempre as mesmas. 

9. Robert (Robert, O Boneco – 2015)

Robert, O Boneco é uma produção bastante desconhecida por aqui, mas sem ele não existiria Brinquedo Assassino. Chucky, o boneco mais conhecido do cinema foi levemente inspirado na lenda de Robert, um boneco que atormentou uma família americana e hoje reside em um museu. A história real em que o filme foi baseado é sinistra. Uma família que maltratava seus funcionários recebeu de uma das empregadas um boneco para dar de presente a seu filho Eugene. Logo perceberam que o boneco tinha algo de diferente, gostava de pregar peças nos outros trancando funcionários em rondas noturnas, bagunçava tudo o que via pela frente como mesa de jantar, por exemplo. O trancaram em um quarto só para ele, com móveis e tudo. Crianças que passavam pela residência diziam ver o boneco da janela olhando para fora. Robert só foi levado para o museu depois da morte de Eugene já adulto e de sua esposa. No filme de baixo-orçamento Robert, O Boneco é bastante mediado e beira ao bizarro. Talvez uma produção futura possa dar um melhor ponto de vista para sua história macabra. 

8. Fats (Magia Negra – 1978)

Corky Withers (Anthony Hopkins) é um mágico bastante frustrado e que só começa a ter algum sucesso depois que passa a fazer números com um ventríloquo.  Só que durante a história vai passando vamos percebendo que Corky e seu novo boneco parecem ter uma ligação que ultrapassa a um homem segurando um boneco. Algo não está bem com Corky, ao longo da trama vamos percebendo que ele está mais frio e diabólico. Aqui o ventríloquo parece quase humano e vamos concordar que ventríloquos são bonecos bastante assustadores quando bem adaptados para o cinema. 

7. Palhaço de Brinquedo (Poltergeist – 1982)

Nos filmes de terror os palhaços quase sempre são retratados como personagens maléficos. Na versão original do clássico Poltergeist, as crianças são atacadas por um boneco-palhaço de brinquedo enquanto dormem de noite. No longa original produzido por Steven Spielberg esse boneco bizarro é bem desenvolvido, enquanto que na versão de 2015 não teve tanto destaque quanto merecia. Por sinal, é a única cena decente do filme. 

6. Brahms (Boneco do Mal – 2015)

Com vários clichês Boneco do Mal poderia ser algo maior do que realmente foi. A começar pelo boneco Brahms que tem um aspecto assustador, parece realmente com uma pessoa e isso que intriga a todos que o assistem. A ideia era fazer um filme de terror com o boneco sendo o elemento central, mas não fé isso o que vemos na tela. Depois de meia hora você percebe que o diretor não sabe bem o que fazer já que vai tentando te assustar sem apresentar elementos novos. No final acontece toda virada de jogo e acaba por jogar no lixo um ótimo vilão que seria o boneco. Quem sabe algum dia façam uma continuação focada mais em Brahms. 

5. Billy (Gritos Mortais – 2007)

James Wan é um nome que você verá muito nessa lista. James Wan é uma espécie de midas dos filmes de terror, quase tudo que dirige se torna sucesso a ponto de virarem franquia. Aconteceu isso com Invocação do Mal, Annabelle, Jogos Mortais e Sobrenatural. Sua forma de dirigir foi tão bem assimilada por Hollywood que dirigiu outras produções além terror como: Velozes e Furiosos 7 e o novo longa do herói Aquaman. Isso não aconteceu Gritos Mortais, produção não tão conhecida dele, mas que não deixa a desejar se comparado com outras produções. Aqui encontramos o boneco Billy que por coincidência é o mesmo nome do bonequinho que aparece em Jogos Mortais. Aqui James Wan usa muitas referências de outras produções suas como a aparição rápida de Billy (Saw) do boneco de Edgar Bergen e o ventríloquo de Jimmy Nelson. Na realidade, Billy é um vilão que tentou ser Chucky, mas falhou justamente em dar medo. Ele assusta em alguns momentos, mas não dá calafrios como Chucky em Brinquedo Assassino (1988).

4. Billy (Jogos Mortais – 2004)

Jogos Mortais é uma das franquias recentes de terror de maior sucesso no cinema. James Wan como dito acima é um diretor visionário desde o início de sua carreira quando fazia curtas-metragens. Um desses curtas curiosamente se chamava Jogos Mortais e deu origem a franquia sangrenta que terá uma volta aos cinemas em breve (2017). Billy (o boneco) serve apenas como mero informante para aqueles que participam dos jogos, ele aparece para dizer como será o jogo e quais suas regras. Isso porque o verdadeiro criminoso nunca dá as caras, então ele usa o boneco como interlocutor de tudo. Vamos concordar que ele é bastante assustador e só a aparição dele já nos dá uma dica de que algo cruel irá acontecer. 

3. Blade (Bonecos da Morte – 1989)

Mestre dos Brinquedos é um clássico do terror trash e porque não dizer das tardes do Cinema em Casa (SBT). E o nome do primeiro longa nem era Mestre dos Brinquedos e sim Bonecos da Morte, foram os dois filmes seguintes que fizeram com que esse nome fosse popularizado. Não é uma franquia de sucesso como Brinquedo Assassino ou Annabelle, mas ficou no imaginário por ser tão mal feito e bizarro. Coloque ele para alguma criança e veja ela nunca mais brincando com nenhum boneco. Blade é o líder de todos bonecos, ele e sua turma fazem uma tremenda carnificina em cada um dos longas. Franquia conta com 11 filmes todos muitos trashs e sangrentos e um 12ª deve chegar em breve aos cinemas intitulado de “Puppet Master Axis Termination” em que irá contar a origem dos bonecos. 

2. Annabelle (Annabelle – 2014)

O cinema de terror sempre buscou uma boneca que pudesse dar medo em quem assiste, assim como o fez gloriosamente com Chucky. A questão é que sempre o tiro saia pela culatra. A última tentativa ocorreu  em A Noiva de Chuck em que uma boneca demoníaca aparecia. Em 2013 estreou nos cinemas Invocação do Mal que desde então foi considerado um clássico moderno do terror. Foi dirigido por James Wan (Ele de novo) e teve grande receptividade entre o público, não apenas por apresentar elementos clássicos do terror, mas por acrescentar uma personagem que apavorou a todos. Trata-se de Annabelle, que apareceu apenas em uma introdução para nos mostrar quem são o casal de demonologistas Warren. Isso foi o suficiente para dar a ela uma enorme fama, tanto que ganhou um filme próprio (2014) que não foi muito bem visto pela crítica, apesar de dar alguns bons sustos. Agora está estreando nos cinemas a segunda parte dessa boneca que realmente existe. Os Warren a guardaram dentro de uma grande caixa construída especialmente para ela. Anabelle já apareceu em outras produções muito antes de Invocação do Mal. Uma delas é o clássico de 1972 Irmãs Diabólicas em que a verdadeira boneca aparece rapidamente. Em um episódio de The Twilight Zone (1963 – Living Doll) uma criança recebe uma boneca falante e a mãe dessa garota tinha justamente o nome de Anabelle. 

1. Chucky (Brinquedo Assassino – 1988)

Eis que chegamos ao primeiro lugar com o boneco mais cruel do cinema. Difícil imaginar um filme de terror que causou tanta aflição entre as crianças da década de 80/90 quanto Chucky. Todos os pais sempre compram bonecos para seus filhos, é algo comum. O problema é quando você compra um brinquedo amaldiçoado pela alma de uma assassino cruel. Brinquedo Assassino ficou tão popular que teve outras seis sequências, depois do segundo eles passaram a ir mais para a área da comédia. Em Curse of Chucky voltaram com o terror e agora com o próximo O Culto de Chucky devem voltar de vez ao que ele sempre foi, cruel e macabro. Os criadores de Chucky se basearam na linha de bonecas Cabbage Patch Kids para criá-lo, bonecas essas muito famosas nos 80. Outra curiosidade é que o assassino Charles Lee Ray que entra em Chucky é na verdade a composição do nome de três assassinos bastante famosos. Charles saiu de Charles Manson o homem que matou a esposa de Roman Polanski, Lee veio de Lee Harvey, o assassino de John Kennedy e por fim, Grey é de James Earl Grey, homem que matou Martin Luther King

 

Comente!