Um dia especial como hoje – dia do jornalista, merece uma atenção carinhosa do nosso site, afinal é o jornalismo que faz a história diária tornar-se os registros do futuro para que todos não repitam os erros do passado. Aqui, também exercemos o ofício do jornalismo todo santo dia, sem descanso, sem parar, mas relatando a você, caro leitor, matérias sobre cultura em geral. Seja com o olhar analítico através dos artigos, seja com nossas recomendações de conteúdo ou com nossas notícias.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Para homenagear nossos colegas de profissão, aqui incluso os assessores de imprensa que tornam muito do nosso trabalho possível, selecionamos 10 excelentes filmes sobre jornalismo que merecem ser vistos por todos. Nós, cinéfilos e jornalistas, com certeza os adoramos.

10. Spotlight: Segredos Revelados

O vencedor do Oscar de Melhor Filme de 2016 chegou de mansinho e arrebentou as expectativas na categoria principal da premiação. E não é por menos. Apesar de mais se assemelhar a um telefilme por conta da linguagem bastante empobrecida que o diretor Tom McCarthy constrói ao longo do filme. Ainda que o visual decepcione, o texto de Spotlight é um dos melhores que pudemos conferir em um filme de jornalismo. O filme traz uma verdadeira aula sobre a construção de uma matéria de jornalismo investigativo incluindo sua mais profunda característica: a reação do escândalo. No caso, os jornalistas do Boston Globe descobriram um esquema viciado de padres católicos que abusavam sexualmente de crianças que frequentavam a igreja. Leia nossa crítica completa aqui.

9. Jejum de Amor

A Hollywood clássica dos anos 1940 não decepcionava e Jejum de Amor nada deve em termos de qualidade e substância cinematográfica em relação aos filmes contemporâneos. O clássico do mestre Howard Hawks é uma das obras mais engraçadas sobre o tema. É até engraçado como esse filme se destaca dos demais por se tratar de uma comédia excelente.

Na narrativa, acompanhamos um editor geral da redação fazendo de tudo para que sua ex-mulher, a melhor repórter do jornal, não case novamente. O filme se sustenta com perfeição somente no poder dos diálogos ligeiros e divertidos entre o casal protagonizado por Cary Grant e Rosalind Russell em uma das melhores sintonias entre atores que você verá na História do Cinema.

8. A Montanha dos Sete Abutres

Mais um filme excepcional da Hollywood clássica que merece ser visto e revisto. Feito pelo mestre Billy Wilder, um dos maiores cineastas da História, A Montanha dos Sete Abutres traz a história de Chuck Tatum – interpretado por um muito inspirado Kirk Douglas, um repórterzinho de um jornalzinho de uma cidadezinha. Ambicionando grandes coisas, Chuck é abençoado pela matéria perfeita: encontra um homem preso em uma caverna por décadas.

Com a exclusividade da matéria, Chuck começa a tornar a história cada vez mais sensacionalista. Porém, com o avanço da mídia nacional gigantesca sobre o personagem e a história, a situação do repórter torna-se cada vez mais complicada.

7. O Jornal

Este clássico de Ron Howard busca adaptar o “ecossistema” de uma grande redação de um tabloide de Nova Iorque. Concentrando nos dramas humanos dos personagens encarando desafios diários, além de intrigas entre a equipe. O conflito central gira entre os editores decidindo se devem publicar uma matéria sensacionalista que todos suspeitam ser falsa, mas que traria muito apelo do público, alavancando as vendas.

6. Quase Famosos

Ainda em sua fase excelente, Cameron Crowe conseguem emplacar uma nova obra-prima: Quase Famosos. Esse clássico deve ser o filme mais popular da lista por se concentrar em um tema que muita gente gosta: música. O longa é justamente peculiar e de fácil identificação por sua história muito divertida. Na narrativa, acompanhamos William Miller, um rapaz de 15 anos contratado pela Rolling Stone em um freela para acompanhar a turnê da banda de rock em ascensão Stillwater. Esse lado verdadeiramente único do filme, o faz destacar bastante dos demais. É uma das obras coming of age mais icônicas do cinema e que você não pode perder.

5. A Doce Vida e A Grande Beleza

Os filmes estão juntos muito por conta das semelhanças de A Grande Beleza com A Doce Vida. Tanto Marcello quando Jep Gambardella são jornalistas conceituados da high society italiana. Já no alvorecer da terceira idade, ambos não sabem o que almejar nesse ponto considerado como o pós-clímax de suas vidas. Divididos entre as frugalidades da elite hipócrita e namoros escusos, ambos buscam algo maior que acreditam estar na autoria de um livro, entretanto, o futuro reserva surpresas boas e ruins para os dois homens em crise.

4. Rede de Intrigas

Um dos filmes mais corajosos sobre jornalismo já feitos em Hollywood. Clássico inegável do estupendo Sidney Lumet, Rede de Intrigas traz a história de Howard Beale, um âncora de telejornais que viu seu tempo passar e acabou demitido após décadas trabalhando para a emissora. Porém, antes de terminar seu último dia, Beale, ao vivo, ameaça se matar, elevando a audiência do programa. Assim, os editores decidem mantê-lo no cargo. Uma escolha precipitada devido ao comportamento cada vez mais insano do âncora.

O que posso dizer? É um filme dos anos 1970 e, naquela década, parecia ser lei fazer os filmes mais corajosos e marcantes que podemos ter conhecimento. Lumet e seu elenco sensacional constituído por Faye Dunaway, William Holden, Peter Finch e Robert Duvall fizeram história com essa outra obra-prima. Obrigatório para qualquer cinéfilo.

3. Zodíaco

David Fincher emplaca novas obras-primas a cada filme lançado. Em 2007 não foi diferente com o espetacular Zodíaco que acompanha a narrativa de um cartunista do San Francisco Chronicle, o jornal escolhido pelo serial killer Zodiac que envia, regularmente, a cada nova vítima, mensagens encriptografadas para provocar jornalistas e investigadores.

Obcecado pelas mensagens, Robert Graysmith se une ao jornalista Paul Avery para iniciarem uma investigação por conta própria a fim de descobrirem a verdadeira identidade do assassino. Com Fincher, nada é fácil. E certamente Zodíaco é um de seus filmes mais difíceis. A narrativa é longa e atravessa quase uma década inteira de investigações. Recomendo muito a versão do diretor que é um pouco mais extensa e consegue detalha ainda mais todo o processo investigativo, além de dedicar mais cenas para a vida pessoal da dupla e do assassino.

2. Cidadão Kane

O principal filme inventor de linguagem cinematográfica da História tinha que estar na lista. O clássico de Orson Welles narra a história de Charles Foster Kane, um magnata da imprensa, contada por outras pessoas que tiveram contato com o megalomaníaco editor. Diversos jornalistas buscam traçar um panorama da vida de Kane após sua morte tentando descobrir o significado de suas últimas palavras: Rosebud.

Nisso, a épica odisseia de uma vida inteira mostra como Kane foi de zero a magnata supremo até descender para a insanidade completa conferida pelo poder. O clássico dos clássicos é um filme mais que obrigatório para qualquer um.

1. Todos os Homens do Presidente

Os homens que derrubaram um presidente. Todos os Homens do Presidente é a obra máxima do cinema sobre jornalismo e isso é indiscutível. Alan J. Pakula praticamente revoluciona o gênero criando uma estrutura fabulosa de um thriller de investigação em plena redação do Washington Post te envolvendo durante o filme todo com sua autenticidade ímpar. Dustin Hoffman e Robert Redford encarnam os jornalistas que investigaram dia e noite o escândalo Watergate comprovando o envolvimento do presidente Richard Nixon no esquema de espionagem que acabou originando seu processo de impeachment.

Menções Honrosas

São tantos filmes bons sobre o tema que não gostaríamos apenas de apontar 10 filmes e cair fora do post. Aqui, separamos 2 filmes e 1 seriado que se destacam dentre todos os demais. Assim como as recomendações acima, são filmes obrigatórios.

O Abutre

O recente filme que alçou Dan Gilroy como um dos nomes mais quentes em Hollywood acompanha a história do esquisitíssimo Louis Bloom, um homem desesperado por uma oportunidade. Reparando em um acidente como diversos cinegrafistas disputam pela melhor imagem do desastre, Bloom tem a brilhante ideia de comprar uma câmera e entrar na concorrência.

Rapidamente, sua desvantagem social torna-se sua vantagem profissional. Lou não tem escrúpulos, atravessando as barreiras da polícia conseguindo as imagens mais sangrentas e violentas do que seus competidores. Rapidamente, vira o nome favorito das emissoras de TV que também não fazem ideia do quanto estão alimentando um monstro implacável.

O Informante

Um dos melhores cineastas que você nunca ouviu falar é Michael Mann, esnobado e subestimado. E obviamente, ele não deixaria de colocar sua autoria em um filme do gênero. O Informante acompanha um produtor do 60 Minutes em um caso perigoso de denúncia sobre uma indústria consolidada: a do tabaco. Um químico decide revelar verdades sobre a indústria do tabagismo. Porém, a corporação processa o jornalista e o ex-empregado por perjúrio, além de ambos terem que lidar com constantes ameaças de morte.

A Primeira Página

Mais um filme de Billy Wilder a figurar na lista, A Primeira Página é um retorno do diretor ao tema do Jornalismo, além de contar com a reedição da memorável dupla formada pelos hilários Jack Lemmon e Walter Matthau (a primeira vez em que aturam juntos sob a égide de Wilder foi no filme “Uma Loira Por Um Milhão”). Filmado como uma peça de teatro, o longa é uma comédia implacável sobre as relações entre os profissionais da mídia escrita e o mundo das reuniões de pauta. (Miguel Forlin)

The Newsroom

Talvez The Newsroom seja o melhor trabalho de Aaron Sorkin como roteirista em toda sua célebre carreira. O seriado de apenas três temporadas acompanha uma redação que busca fugir a todo custo do sensacionalismo barato enquanto relatam acontecimentos de importância mundial como o assassinato de Bin Laden. Sorkin elabora uma redação ideal que quer se contentar apenas com a força das notícias dando uma aula do verdadeiro jornalismo que parece há tempos esquecido.

Gostaram das nossas recomendações? Qual filme você teria colocado na lista? Comente! E, aqui, deixamos os nossos parabéns para todos os profissionais dessa área difícil, mas apaixonante.

Comente!