O mais importante super-herói dos quadrinhos conta com uma extensa história de publicações, mas nem todos os roteiristas e artistas conseguiram captar a verdadeira essência do Superman, que simboliza tudo o que há de melhor no ser humano. Essa lista busca elencar as histórias que melhor transmitiram esse tom de esperança para suas páginas. Temos aqui abordagens diferenciadas e únicas, de autores que vão desde Alan Moore até Mark Millar, todos oferecendo seus pontos de vista únicos sobre o maior herói de todos os tempos.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

10. Paz na Terra

Nessa graphic novel de Paul Dini e Alex Ross, Superman deixa de lado as batalhas contra super-vilões e vai enfrentar os problemas de nosso mundo, enxergando e combatendo a profunda desigualdade social, injustiças e misérias. Esses esforços humanitários do personagem, contudo, acabam encontrando resistência em determinados locais. Paz na Terra é, possivelmente, a história que melhor reflete o símbolo representado por esse herói, nela, Superman é, de fato, a personificação da esperança, inspirando todos à sua volta. Todo esse realismo da trama ainda dialoga perfeitamente com a arte de Ross, que dá vida a Clark de maneira praticamente inédita.

9. As Quatro Estações

Pouco após entregarem o emblemático O Longo Dia das Bruxas, Tim Sale e Jeph Loeb retomam a parceria a fim de realizar As Quatro Estações, minissérie, fechada em si própria, que utiliza uma estrutura similar à já citada história do Batman, trocando os feriados por estações do ano. Com segmentos narrados por diferentes personagens do universo do Superman, a obra busca mostrar o impacto do herói na vida das outras pessoas, deixando bem claro o que ele representa para o mundo e para as cidades nas quais atua (Metropolis e Smallville).

8. Alienígena Americano

Sob a visão muito incisiva de Max Landis, o Superman ganha um retrato único. Roteirista de Poder Sem Limites, Landis traz esse aspecto adolescente e jovial para o Homem de Aço, abordando diferentes fases de sua vida em cada edição, tudo com uma perspectiva e estilo de diálogos que jogam uma nova luz nas inseguranças e relações do herói. O fato de termos um artista diferente em cada edição (que variam de Nick Dragotta a Jonathan Case), também reforça essa diferença entre cada fase, com ilustrações espetaculares para uma história digna.

7. Brainiac

Assinada por Geoff Johns e Gary FrankBrainiac traz de volta o icônico vilão de Superman, além de outros elementos pré-Crise, realizando importantes alterações na mitologia do herói. Após destruir um dos drones do antagonista e analisá-lo na Fortaleza da Solidão, ao lado de Supergirl, Clark descobre que nunca, de fato, enfrentara o verdadeiro Brainiac. Cabe, portanto, ao herói, derrotar o vilão, antes que esse armazene uma parcela da Terra em garrafa e destrua o restante, como fez com a cidade de Kandar, há tantos anos.

6. Olho por Olho

Publicada como resposta à popular revista Authority, de Warren EllisBryan HitchOlho por Olho nos mostra Superman indo contra um grupo de anti-heróis que visam proteger a Terra à qualquer custo, chegando a matar seus inimigos, algo que vai totalmente de encontro aos ideais de Clark Kent. Famosa pela forma como reitera a ideologia do personagem, a revista brinca, através de seu título original, What’s so funny about truth, justice and the american way?, com a famosa frase de Superman, Truth, Justice and the American Way (verdade, justiça e o “jeito americano”), além de referenciar diretamente a música de Nick Lowe, (What’s So Funny ‘Bout) Peace, Love and Understanding?

5. Identidade Secreta

Uma das mais criativas minisséries com o personagem, Identidade Secreta nos apresenta um mundo no qual super-heróis existem apenas como personagens de quadrinhos. Nesse universo, conhecemos Clark Kent, um garoto que descobre ter os poderes de Superman e decide se tornar, ele próprio, um herói, mantendo, porém, segredo de sua própria existência. Assinada por Kurt BusiekStuart Immonen, a história é inspirada nas aparições iniciais do Superboy durante a Crise nas Infinitas Terras e lida com o que realmente significa encarnar a persona de Superman.

4. Entre a Foice e o Martelo

Publicado sob o selo Elseworlds, Entre a Foice e o Martelo, desde seu lançamento em 2003, se tornou uma das mais famosas histórias do personagem. Roteirizada por Mark Millar, também conhecido por Kick-AssKingsmanGuerra Civil, a minissérie nos mostra o que teria acontecido se a nave de Kal-El tivesse caído na União Soviética ao invés dos Estados Unidos. Na obra, Superman significa para a União Soviética o que Doutor Manhattan, de Watchmen, representa para os EUA, defendendo os ideais da URSS à mando de Stalin. Trata-se de uma fascinante obra sobre a Guerra Fria, que situa os heróis sob um ponto de vista engajado politicamente.

3. O Legado das Estrelas

Originalmente concebida como a origem não-canônica de Superman, essa minissérie de Mark WaidLeinil Francis Yu acabou se tornando a origem oficial do super-herói entre os anos de 2003 e 2006, em outras palavras, até Crise Infinita e o posterior lançamento de Origem Secreta, em 2009. Aqui acompanhamos Clark desde seus dias em Smallville, onde ele se torna amigo de Lex Luthor, similar à famosa série de televisão. A obra ainda inspirou dezenas de outras produções com o herói, inclusive O Homem de Aço, no que diz respeito ao S de seu uniforme significar esperança em Krypton.

2. Superman por Alan Moore

Alan Moore também deixou duas grandes contribuições para a mitologia do Superman. A primeira, O Que Aconteceu ao Homem de Aço?, publicada em 1986, foi elaborada como conclusão imaginária para as histórias do personagem da Era de Prata. Com inúmeros ataques ao Superman, morte de pessoas queridas ao herói e a revelação de sua identidade secreta, Moore assinou o desfecho ideal para essa fase do maior herói do mundo.

Já em Para o Homem Que Tem Tudoencontramos Superman dominado pela Clemência Negra, uma planta que induz alucinações, fazendo com que o personagem imagine como seria sua vida Krypton, caso o planeta não houvesse sido destruído. Enquanto isso, Batman, Robin (Jason Todd) e a Mulher-Maravilha buscam livrar Clark de seu transe, tendo de lutar contra Mongul, que orquestrou todo esse problema.

1. Grandes Astros – Superman

Com roteiro de Grant Morrison e arte de Frank QuitelyGrandes Astros – Superman traz tudo aquilo que o Superman representa. O interesse de Morrison era criar uma história universal, não presa à continuidade da DC Comics, possibilitando que todos conheçam o verdadeiro e mais importante super-herói dos quadrinhos. Trata-se de uma obra que todos devem ler, independente se gostam ou não do personagem – o trabalho de Quitely e Morrison sabe muito bem explorar o poder do herói e como isso não afeta sua visão de mundo, fazendo dele o símbolo que todos devem seguir.

Leia mais sobre DC Comics

Comente!