A indústria de cinema adora apostar em continuações de filmes que deram certo em um primeiro momento. Mas não é pelo fato de um longa ser bom que os outros que o sucederam serão também bons. A tendência é sempre de um longa que inicia a franquia de forma espetacular e depois suas sequências vão ficando tão ruim que ninguém mais se importa em acompanhar as histórias. A franquia acaba se tornando vazia e perde a essência do original. Muitas vezes as continuações apostam em filmes cheios de sangue e violência e se esquecem do principal que é a trama. A seguir as vinte piores franquias de terror. 

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

20. Premonição 

Franquia iniciada em 2000 foi sucesso instantâneo de público por trazer um vilão que age fisicamente mesmo não estando presente nas cenas, que é a morte. O problema foi justamente querer fazer continuações que não acrescentaram em nada a história. Todas repetiram a fórmula do primeiro filme, tanto nas mortes como no jeito em que o “vilão” agia. O último longa foi Premonição 5 e saiu nos cinemas em 2011. Desde então não fizeram nenhum novo capítulo da saga. 

19. Atividade Paranormal

O primeiro Atividade Paranormal foi tão original, que rendeu outras 4 sequências e dois derivados chamados Atividade Paranormal: Marcados Pelo Mal e Atividade Paranormal – Tóquio. Tirando o primeiro longa o resto é uma porcaria total. Do segundo ao quinto fizeram tudo completamente igual, até chegar ao episódio final em que se abre um portal para um outro mundo. Mudaram toda estrutura e ideia inicial que era de causar terror psicológico.

18.  A Experiência

A experiência em questão que dá nome ao filme é interpretada pela bela atriz Natasha Henstridge, que usou de sua beleza para dar um ar de inocência para a vilã do longa, que na realidade era um monstro alienígena. É um clássico dos anos 90 mal aproveitado pelos produtores, que fizeram apostas arriscadas com continuações abaixo do esperado. 

17. Resident Evil

Se há uma franquia amada e odiada tanto por fãs de games quanto pelo de filmes de terror este é justamente a saga Resident Evil. O game de terror é um marco para as produções do gênero e teve inúmeras continuações nos consoles. Os filmes com Milla Jovovich são quase todos fracos – com exceção sempre do primeiro – e a cada longa parece que a história piorava e se tornava mais surreal. Quase todos capítulos foram dirigidos por Paul W. S. Anderson, claro que teve uma parcela de culpa em destruir uma franquia que tinha tudo para ser excelente. Foram cinco continuações diretas contando a trajetória da heroína Alice. 

16. Colheita Maldita 

Baseado no conto homônimo de Stephen King do livro “Sombras da Noite” é outra produção do mestre do terror, que conseguiram transformar em algo mais trash do que deveria ser. Uma ideia boa com um primeiro filme regular e uma sequência de filmes tão ruins que devem envergonhar Stephen King. São 9 continuações todas tratando praticamente do mesmo assunto da versão original e sem acrescentar nada de novo a narrativa. Uma franquia tão esquecível quanto ridícula. 

15. Anaconda

Com Jennifer Lopez no elenco Anaconda foi uma agradável surpresa no ano em que estreou (1997). Na trama, uma cobra gigante que atacava a uma embarcação de pesquisa no Amazonas. Longa soube trabalhar bem a tensão e a surpresa do que havia naquelas inóspitas águas. Era desnecessário uma sequência, pois o primeiro filme já era bom e fazer uma continuação tão boa quanto a versão original seria bastante difícil. Só que teve e foram horríveis. Pessimamente feitos e pensados e com roteiro ridículo. Fizeram até a bizarrice de um cross over entre Anaconda e Pânico no Lago (outro filme com um animal assassino).

14. Rec

Filmado ao estilo found footage, em que os personagens usam uma câmera na mão para dar a sensação de que o fato realmente está acontecendo, foi um sucesso instantâneo na época de seu lançamento. Tanto que recebeu um remake americano chamado Quarentena, mas sem o mesmo brilho do original. Foram três continuações diretas, todas ruins e que tentam imitar de alguma forma a versão de 2007. 

13. Brinquedo Assassino

Os dois primeiros filmes da franquia que trazia o boneco Chucky como vilão foram um terror bastante regular e assustador. A partir do terceiro longa foram piorando tudo e no quarto filme deram a ele uma noiva e um filho, e em O Culto de Chucky o multiplicaram dando várias outras versões do brinquedo. Uma pena terem desandado tanto com um personagem que antes causava medo e agora só faz rir. 

12. Mestre dos Desejos

Produzido por Wes Craven (Pânico) é uma das franquias que tinha tudo para ter um ótimo futuro, já que seu primeiro longa é um clássico da década de 90. Suas três sequências são fracas, vazias e com atuações péssimas. Fora que o tal mestre dos desejos que dá nome ao filme se tornou um ser escroto e ridículo, algo que não era no original. 

11. Natal Sangrento

Filmes de terror em datas comemorativas tem ao monte. Aniversário, dia dos namorados, dia das mães e por aí vai. Natal Sangrento resolveu ir mais longe e colocou como antagonista um homem vestido de papai-noel, que na noite de natal matava todo mundo. Na época do lançamento público e crítica se revoltaram com o teor do longa. O longa original dirigido por Charles E. Sellier Jr. até que é um slasher interessante, mas que perdeu força com suas inúmeras continuações (4 ao todo).

10.  Piranha

Clássico das tardes do SBT é uma produção feita com a ideia de ser trash. Pessoas que iam nadar e eram atacadas por várias piranhas assassinas. Claro que a qualidade não era lá essas coisas Roteiro ruim, interpretações péssimas e direção quase amadora faziam dessa produção inesquecível de tão tosca que era. Contou com uma versão com piranhas voadoras e uma mais recente com peixes pré-históricos atacando a todos encontrasse pelo caminho.

9. Pumpkinhead

Pumpkinhead é uma franquia mais conhecida pelos fanáticos em filmes de terror trash, que vivem caçando algo novo para assistir do que do grande público. Para quem curte bizarrice é um prato cheio. História que nasceu bastante original devia ter parado por aí, mas decidiram fazer outras 3 continuações todas fracas. Na trama, um homem que tem o filho assassinado pede ao diabo para se vingar dos criminosos. O diabo aparece das mais variadas formas e vai matando de forma cruel um a um dos que cometeram o crime. Recentemente foi anunciado que Peter Block, produtor de Jogos Mortais: Jigsaw irá fazer um remake do filme. 

8. Criaturas

Contando no elenco com Leonardo DiCaprio em início de carreira e lançado no ano de 1986 produção marcou época com essas bolas alienígenas.. Mesmo sendo adorado pelo público até hoje é uma franquia fraca e desnecessária. Criaturas tem como referência outro filme com bichinhos amado pelo público, que é Gremlins. São três continuações. Todas de péssimo mal gosto e horrorosas. 

7. Bonecos da Morte (Mestre dos Brinquedos)

Outro clássico trash das tardes do SBT servia para entreter um público que gostava de filmes nesse estilo. Produção é claramente inspirada em Brinquedo Assassino, que havia estreado um ano antes em 1988. Atualmente a franquia já conta com dez filmes. O último a estrear ainda em 2017 e contará a origem de todos os brinquedos malignos. 

6. Ataque dos Tomates Assassinos

A franquia dos tomates assassinos é uma das coisas mais bizarras do cinema. Os filmes eram feitos quase que de forma independente, sem o mínimo de qualidade e sem o mínimo sentido. Engraçado e tosco teve uma vida não tão curta. O último filme da franquia foi lançado em 1992 e desde então os tomates assassinos só apareceram em uma série de 2000.

5. Sharknado

Produzido pelo canal SyFy. Sharknado é feito com o intuito de ser tosco. Um furacão em que vários tubarões voam e vão matando as pessoas ao invadir a cidade. Filme fez tanto sucesso no boca-a-boca que teve outras quatro sequências. Todas extremamente ruins bizarras e com tubarões de plásticos voando por todo lado.

4. Pânico no Lago

Filmes de terror com animais não é algo novo, ainda mais com crocodilos monstruosos que matam quem passe pela frente. Alligator já havia feito sucesso na década de 80 e Pânico no Lago o repetiu. Outra franquia que podia muito bem ter parado no primeiro, mas os produtores resolveram continuar e acabaram destruindo o legado deixado pelo original. São quatro sequências e uma quinta com o já mencionado cross over com a cobra de Anaconda. 

3.  A Centopeia Humana

Produção holandesa nasceu já criando polêmica pela temática bizarra e absurda de unir – via uma cirurgia inovadora – três pessoas interligadas na forma de uma centopeia. O filme não preza pela qualidade e não se preocupa se está fazendo um longa perturbador ou não, pois essa é justamente a ideia. Chegou a ser considerado por muitos como o filme mais chocante de todos os tempos. Obviamente que teve outras duas sequências que transformaram a produção em uma trilogia horrível.

2. Pânico na Floresta

É uma franquia toda errada, desde sua concepção até a sua construção narrativa. A começar pelos títulos que confundem a todos e isso se deve a tradução brasileira que faz de propósito em colocar nomes iguais com a ideia de confundir o público. O que deveria ser Pânico na Floresta 2 na verdade é Floresta do Mal. Isso se deve pelo único motivo de ter sido lançado outro Pânico na Floresta 2 no mesmo ano e que não tem relação alguma com esta franquia. Há ainda outros dois com nome nada a ver que são Floresta do Mal 3 e Floresta do Mal 6. Os títulos são problemáticos assim como todos os longas. Todos muito ruins, com muitas mortes sangrentas e violentas. Mas o pior mesmo é a falta de coerência entre um filme e outro. Os três assassinos aparecem em todos os longas e sempre aparecem diferentes, com outros nomes e com narrativas que não tem nada a ver uma com a outra. 

1. Amityville

Amityville figura em primeiro lugar pelo o que representa e pelo que devia ser. Há mais fama que qualidade nessa franquia da casa mal-assombrada que mata a todos que entram nela. Ao longo do tempo a história foi se deturpando e até uma luminária assassina foi inserida na trama, isso sempre mantendo o nome de Amityville. Este nome representa muita coisa e os filmes não deveriam ser horríveis. A partir do quarto longa da franquia é praticamente impossível conseguir assistir a qualquer um dos filmes até o final. Poucos são os que tem uma qualidade mais ou menos boa. O que se sobressai melhor é a versão de 2005 com Ryan Reynolds. Recentemente um remake (Amityville: O Despertar) foi lançado e foi um fracasso nos cinemas

Menção Honrosa: Doce Vingança, Ataque dos Vermes Malditos e Candyman

Comente!