Todos já devem conhecer a história da fática noite quando Voldemort descobriu onde os Potter estavam escondidos, e foi até lá para mata-los – e ele quase conseguiu. Porém Harry, que na época era um bebê, conseguiu sobreviver a maldição que o Lorde das trevas conjurou nele, graças aos poderes de sua mãe, mas mesmo assim ele teve uma grande sequela. Uma parte da alma de Voldemort ficou presa no jovem Harry, e com isso ele ganhou uma cicatriz em forma de um raio.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Com isso, listamos cinco curiosidades sobre a famosa cicatriz do jovem Harry, confira.

O MOTIVO DELA TER O FORMATO DE UM RAIO

Sim, existe um motivo para isso. Graças ao Pottermore, ficamos sabendo que o movimento usado para lançar a maldição de Avada Kedavra corresponde exatamente à forma do relâmpago que adorna a testa de Harry. A implicação óbvia aqui é que, embora o feitiço tenha se voltado diretamente para Voldemort, a ferida menor que ele deixou no jovem Harry espelhava perfeitamente os movimentos usados ​​pelo Lorde das Trevas para invocar sua magia.

DUMBLEDORE JÁ SABIA DA CONEXÃO DA CICATRIZ COM VOLDEMORT 

Em A Ordem da Fênix, Dumbledore revela que no momento em que viu pela primeira vez o corte em forma de raio na cabeça de Harry, ele supôs instantaneamente que isso significava uma conexão duradoura entre o menino bruxo e Voldemort, e após 15 anos, a sua suposição se concretizou. Realmente existia um vínculo mental (e espiritual) único entre Harry e o Lorde das Trevas, graças ao fragmento da alma de Voldemort que ficou em Harry.

A CICATRIZ VOLTOU A INCOMODAR HARRY ANOS DEPOIS

Em as Relíquias da Morte e por uma declaração que a própria Rowling havia soltado na época do lançamento do livro, havia sido deixado claro a cicatriz nunca mais havia incomodado Harry em toda a sua vida. O epílogo do livro mostra que Harry está livre de dor há 21 anos desde a Batalha de Hogwarts e a escritora depois complementou dizendo que ele nunca mais em sua vida havia sido afetado pela cicatriz novamente. Contudo, quando Rowling concebeu a ideia de fazer uma nova história do Harry Potter, ela acabou criando meio que um furo nisso tudo. Já que em A criança Amaldiçoada, o Harry  já adulto fica sentindo a dor na cicatriz novamente, em resposta aos esforços feitos para ressuscitar o Lorde Voldemort.

ELA NÃO PODE SER REPARADA PELA MEDICINA MÁGICA

A medicina mágica é absolutamente espetacular e é realmente capaz de curar ferimentos ou doenças muito mais rápido e espontaneamente que a medicina dos trouxas. Na maioria das vezes, as curas mágicas inclusive curam os pacientes sem deixar a menor cicatriz, e existem feitiços e métodos que eliminam cicatrizes até. Porém, no primeiro livro da saga, Dumbledore deixa claro para Harry que nenhuma magia seria capaz de reparar a cicatriz que ele possui na testa, Dumbledore não revelou o motivo exato na época claro, mas já sabemos o porquê dele não poder ser eliminada da testa de Harry.

ELA NUNCA MUDOU OU DESAPARECEU

Na vida real, a maioria das cicatrizes geralmente desaparecem com a idade e outras, com o tempo, se tornam quase imperceptíveis aos olhos nus. Muitos fãs imaginaram que como a alma de Voldemort havia sido retirada de Harry, a cicatriz aos poucos iria desparecer. Porém, isso não aconteceu, no livro Harry Potter e as Relíquias da Morte é deixado claro que Harry ainda possui a cicatriz mesmo após a morte definitiva de Voldemort, isso somando 21 anos após este ocorrido, ou seja, Harry carregará essa cicatriz em sua testa pelo resto de sua vida.