Nessa semana tivemos o lançamento de um dos filmes mais esperados do ano, Liga da Justiça. O filme traz pela primeira vez ao cinema aquela que é considerada a maior equipe da história dos quadrinhos. Mesmo tendo sido recebida de maneira mista pela crítica, mas com uma recepção muito melhor pelos fãs e também por vários profissionais dos quadrinhos. Como aconteceu no caso de muitos filmes de heróis, com o filme da LJA saindo, muitos podem se interessar em ler HQs da equipe, pensando nisso decidi fazer uma lista de HQs que considero indispensáveis para aqueles que desejam ler sobre o time.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «


1. FASE GARDNER FOX

O inicio da equipe pelas mãos do seu criador, o escritor Gardner Fox. Nessa fase seriam moldados todos os conceitos que acompanhariam a equipe por muito tempo e que serviriam de base para muitos escritores que surgiriam a seguir. Temos aqui também a introdução de alguns vilões famosos da DC Comics, como Desespero e Doutor Luz. Com histórias divertidas, cheias de ação e com ótimas interações dos personagens da editora, essa fase eu considero muito importante para quem quer conhecer a Liga da Justiça. Foi nesse período que nós vimos também o ressurgimento da SJA, a primeira equipe da DC, que foi trazida de volta para estabelecer a ideia de Multiverso.


2. CRISE NAS INFINITAS TERRAS

A primeira grande saga da DC Comics e com certeza o arco mais conhecido da editora. A trama, escrita por Marv Wolfman e desenhada por George Pérez, traz a personagem Precursora reunindo diversos heróis a pedido do Monitor, que deseja salvar o Universo que está sendo destruído pela sua contraparte maligna, o Anti Monitor, um ser vindo do universo da antimatéria. Cabe agora aos vários personagens do multiverso se reunirem e tentar deter esse poderoso vilão.

A história foi feita para que se encerrasse o conceito de Multiverso, algo que estava fazendo parte da DC desde os anos 1960, mas que era considerado confuso por muitos leitores. Foi também a partir desse arco que a editora faria o seu primeiro reboot no seu universo de quadrinhos. Muito bem escrita e desenhada, a saga ainda é hoje uma das mais importantes da história dos quadrinhos.


3. LIGA DA JUSTIÇA-UM NOVO COMEÇO

Escrita por Keith Giffen e JM DeMattheis essa história faz parte da reformulação que aconteceu na DC pós-Crise. Apostando no bom humor, essa saga é lembrada com carinho pelos fãs por ser uma das mais divertidas e leves da equipe. Essa mudança de tom foi uma tentativa de contrabalancear o pessimismo que estava presenta na época depois do fim do Multiverso. A ideia era arriscada, visto que os roteiristas não poderiam contar com os personagens principais da DC já que na época todos estavam sofrendo uma reformulação, apenas tiveram em mãos o Batman, porém deu muito certo. Também foi nessa fase que a Liga da Justiça deixou de ser uma força que combate apenas seres de grande poder, se tornando uma força de paz da ONU, algo que fazia parte da tentativa da editora em humanizar seus personagens.


4. REINO DO AMANHÃ

Escrita por Mark Waid e lindamente desenhada por Alex Rossfaz parte do mundo Elseworld da DC, onde são feitas histórias que não fazem parte da cronologia do universo. Na trama, estamos no futuro onde os heróis da Liga da Justiça se aposentaram, pois seus métodos foram considerados antiquados pela população e os substituiu por outros seres poderosos mas com nenhum senso de moral. Cansado de tanta violência, o Superman decide sair da aposentadoria e voltar a ativa. Mas a maneira que ele faz isso não é muito correta, fazendo com que ele e Batman entrem em confronto.

A história era uma resposta ao que estava acontecendo na época, onde os quadrinhos estavam cheios de tramas sem roteiro e repletas de violência. Com Reino do Amanhã, Waid e Ross trouxeram de volta o real conceito de heroísmo, que é ser um exemplo a ser seguido e trazer esperança.

5. NOVA ORDEM MUNDIAL

A primeira história da fase Grant Morrison na Liga da Justiça, nova fase que não foi iniciada por ele e sim por Mark Waid no arco Pesadelos de Verão. Na trama, o grupo de seres poderosos chamados Hyperclan chega a Terra e começa a resolver todas as mazelas que o planeta enfrenta, o que faz com que a população comece a questionar a eficácia da LJA. Porém, os maiores heróis do planeta desconfiam das intenções desses novos seres, e decidem investigar, e descobrem que eles escondem um grande segredo.

O arco daria início a uma das melhores fases da LJA, onde os personagens voltariam ser vistos como seres supremos, quase deuses, que se juntam para defender a Terra de grandes ameças. Todos os personagens teriam as suas características bem definidas e todas muito bem exploradas.

6. O PREGO

Escrita por Alan Davis, também faz parte do Elseworld da DC. Na história, por causa de um simples prego, Jonathan e Martha Kent decidem não sair de casa e por isso não encontram a nave de Kal-El, que então nunca se torna o Superman. No futuro, a Liga da Justiça foi formada mesmo sem o Homem de Aço, mas por causa das campanhas do presidente Lex Luthor, a equipe sofre grandes críticas da mídia e também do público. E para piorar ainda existe algum ser misterioso que tenta incriminar os super heróis, forjando situações onde eles são pegos em atos questionáveis.

Essa história serve para mostrar a importância do Superman dentro da DC Comics. Ele não foi apenas o pai do conceito de super-herói, ele é também o maior símbolo de esperança dos quadrinhos.


7. TORRE DE BABEL

Nenhum dos outros escritores que assumiram a JLA iniciada em 1997 por Grant Morrison conseguiu fazer um trabalho tão épico quanto o escritor, mas ainda sim tivemos algumas histórias memoráveis. Entre elas Torre de Babel, de Mark Waid. O vilão Ra’s al Ghul tem em mãos planos de contenção para todos os membros da equipe e começa a usá-los para deter um a um os heróis. No meio da trama, descobrimos que todos esses planos foram criados pelo Batman.

Bem escrita e envolvente, para muitos foi a melhor história da revista após a saída de Morrison. É brilhante a maneira como o Batman sempre está com um pensamento bem a frente, mas começamos a nos questionar se seu pensamento totalmente analítico talvez o tenha transformado em um paranoico.


  8. ANO UM

Novamente Mark Waid aparece nessa lista, agora com a HQ Ano Um. A história é uma nova versão do surgimento da Liga da Justiça, agora que é formada sem a presença da Trindade, com a Canario Negro como uma das fundadoras. A história mostra um bando de novatos, que decide formar uma equipe. Agora eles têm que aprender a lidar com vários fatores, a desconfiança do público, seus parceiros, suas habilidades e ao mesmo tempo enfrentar um grupo terrorista.

A história mescla caracteristicas da fase Gardner Fox e da fase Giffen e DeMatteis e sabe mesclar muito bem comédia, ação e drama. Trazendo um belo teor de nostalgia, que apenas Mark Waid poderia nos dar.


9. JLA / VINGADORES

O crossover mais esperado por todos os fãs de quadrinhos, que em 2004 finalmente se realizou. Escrita por Kurt Busiek e desenhada por George Pérez, a trama fala sobre Krona, um poderoso ser que para descobrir os segredos da criação, vai destruindo milhares de mundo por onde passa, até ser impedido pelo Grão-Mestre. Os dois decidem fazer uma aposta, que caso o primeiro fosse vencedor, seria levado até Galactus para que seus questionamentos fossem respondidos, mas caso o segundo vencesse, Krona partiria. Este escolhe os Vingadores para que o representem, enquanto Grão-Mestre escolhe a Liga da Justiça e a disputa começa.

O interessante dessa HQ, é o fato dela mostrar a importância das duas editoras, que com suas diferenças, acabam se completando. Bastante divertida,  com muita ação e também apresentando um passeio em toda a história construída por essas duas equipes.


10. CRISE DE IDENTIDADE

Brad Meltzer, famoso por escrever histórias policiais, estreou na DC com uma bela história sobre seu herói favorito, o Arqueiro Verde. Mas foi em Crise de Identidade, seu segundo trabalho na editora, que ele alcançou grande sucesso. Na trama, a esposa do Homem Elástico, Sue Dibny, é assassinada, o que choca a Liga da Justiça. A principal suspeita cai em cima do vilão Doutor Luz, visto que no passado descobrimos que ele estuprou Sue na Torre da Vigilância. Para evitar que o vilão cometesse novos atos de crueldade, alguns membros da equipe decidem lobotomizá-lo para torná-lo inofensivo. Agora os responsáveis pelo que foi feito ao bandido, vão em sua caça para descobrir a verdade.

Meltzer nos entrega aqui uma história com uma forte carga emocional e nos faz questionar a moralidade dos super-heróis. Para muitos é uma obra-prima, já para outros foi uma história com polêmicas desnecessárias e desonrosa ao que foi escrito na Era de Prata. Eu fico do lado do time que acha a história uma obra prima

11. Rastros do Tornado

Brad Meltzer retorna nessa história, para dar inicio a uma nova Liga da Justiça. Na trama, a Trindade se reúne, depois de um ano fora, para repensar suas ações na saga Crise Infinita, para decidir quais heróis fariam parte da nova equipe que estavam montando. Paralelo a isso, temos Lanterna Verde, Arsenal e Canário Negro se reunindo para ir atras do Doutor Ivo, que junto de Grundy, decide roubar o corpo do Tornado Vermelho para poder criar um novo Amazo.

Meltzer, o responsável por trazer a desconfiança e o pessimismo para o Universo DC, agora traz de volta o otimismo e a esperança, nos fazendo lembrar a importância da Liga da Justiça e que ela é maior que qualquer super-herói.


12. GUERRA DE DARKSEID

O arco final da Liga da Justiça nos Novos 52, visto que a editora estava prestes a lançar o seu Renascimento. Escrita por Geoff Johns, responsável por toda as edições da Liga da Justiça nos N52. Metron esta preocupado, porque o Multiverso esta instável, por causa das diversas crises que ele sofreu e também prevê que está se aproximando um confronto que pode acabar com toda a existência. A Liga da Justiça terá de enfrentar aquele que vai ser seu maior desafio.

Com referências a todas as grandes sagas que a DC teve, influências de tudo aquilo que Jack Kirby criou enquanto esteve na DC , com uma belíssima arte, uma trama bastante interessante e cheia de ação, Guerra de Darkseid é a junção de tudo aquilo que editora tem de melhor e um belo final para uma Era que mesmo que conturbada, teve sua importância.

Comente!