Animações fazem parte da realidade infantil, mas nem todas elas competem exclusivamente ao universo das crianças. Principalmente quando o assunto é Studio Ghibli, produtor de animações japonesas que trouxe ao mundo diversos clássicos – a maioria de Hayao Miyazaki. Conhecido por suas narrativas profundas, repletas de níveis e camadas de entendimento, os filmes do estúdio agradam pequenos e grandes. Em comemoração ao Dia das Crianças, separamos as 10 melhores animações deles – escolha uma e aproveite o feriado ao lado da família toda, com muita pipoca!

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

10. Sussurros do Coração (1995) de Yoshifumi Kondô

Apaixonada por livros, Shizuku descobre o nome do mesmo menino em todos os exemplares que retira na livraria. Eventualmente, ela encontra o garoto, seu “Príncipe dos Livros”. Emocionante, Sussurros do Coração é uma narrativa simplista e sem prepotência – muito pelo contrário, é extremamente inocente. A premissa até parece boba, mas sua honestidade, linda arte e tratamento tão realista dos personagens tornam assisti-lo uma experiência única.

9. O Castelo Animado (2004) de Hayao Miyazaki

Colocar O Castelo Animado nesta lista pode ser considerado uma polêmica. Alguns dizem que ele é um dos filmes mais confusos de Miyazaki. Mesmo assim, o filme carrega toda a beleza característica do Studio Ghibli, apostando nas peculiaridades da história original do livro de Diana Wynne Jones. Difícil não adorar Calcifer, um demônio do fogo confinado à uma lareira, e não se impressionar com o gigantesco castelo do feiticeiro Howl, que dá nome à história.

8. Porco Rosso: O Último Herói Romântico (1992) de Hayao Myazaki

Um dos principais filmes que mostram o amor de Myazaki pela aviação, conta a história de um piloto italiano de avião que durante a as duas guerras é amaldiçoado e fica com o corpo de um porco. É um filme que denota os conflitos antes e pós a guerra e os seus absurdos, já que Myazaki era uma criança durante a guerra do Pacifico e se lembra dos males do ocorrido. Um dos mais interessantes do estúdio. 

7. As Memórias de Marnie (2014) de Hiromasa Yonebayashi

O filme mais recente do Ghibli e o primeiro após o anúncio da aposentadoria de Myazaki. As Memórias de Marnie tentou alcançar a mesma sensibilidade e qualidade dos clássicos que tanto amamos. Com a história de Anna, uma menina que encontra uma mansão abandonada e uma criança misteriosa, o filme quase consegue, em momentos aquecendo o coração de quem assiste – e em outros, o quebrando em pedacinhos.

6. Nausicaä Do Vale do Vento (1984) de Hayao Myazaki

Uma animação pós-apocalíptica que mostra a humanidade sobrevivendo após um evento conhecido como 7 Dias de Fogo que acabou com o ecossistema do planeta. Somos apresentados à protagonista-título, uma princesa de um pequeno povoado que descobre como o ecossistema pode voltar a funcionar.  Baseado no mangá escrito pelo próprio Myazaki, o filme já conota a preocupação do autor quanto a questão ambiental, sem que se mostre um panfleto. Além de deixar claro como gosta de trabalhar as suas personagens femininas, sempre as demonstrando como fortes e independentes. Para o primeiro filme do estúdio, uma bela estreia.

5. O Conto da Princesa Kaguya (2013) de Isao Takahata

Baseado em um conto popular do Japão, conta a história da personagem título, que foi encontrada dentro de um bambu quando era um bebê. Ela se torna uma bela mulher que é cobiçada por cinco nobres, incluindo o Imperador. O que mais chama atenção nesse filme é sua animação, parecida feita a mão com tinta aquarela. O resultado final é lindo. Indicado ao Oscar de Melhor Animação.

4. Meu Vizinho Totoro (1988) de Hayao Miyazaki

Uma lista de melhores filmes do Studio Ghibli que não inclua Meu Vizinho Totoro é uma lástima, se não uma grande mentira. A animação consagrada consegue tocar temas difíceis, como a maneira das crianças experenciarem a possibilidade de uma tragédia iminente, com muita sensibilidade. Algumas cenas são verdadeiramente icônicas, como Totoro e as irmãs Satsuki e Mei na chuva e a chegada do Catbus. Mesmo com elementos mais sombrios – há quem diga na internet que Totoro é um deus da morte! – Meu Vizinho Totoro não deixa de ser lúdico e muito engraçado, um filme perfeitamente equilibrado.

3. O Túmulo dos Vagalumes (1988) de Isao Takahata

Senão um dos filmes mais bonitos e tristes da Ghibli, um dos mais tristes que já foram feitos. A história dos dois irmãos que sofrem durante a Segunda Guerra Mundial é uma das mais humanas já contadas pelo estúdio. Apesar de curto, O Túmulo dos Vagalumes é um filme poderoso que vai fazer qualquer espectador se emocionar e chorar.

2. A Viagem de Chihiro (2001) de Hayao Myazaki

Durante a mudança de sua família para uma pequena cidade do interior do Japão, Chihiro e seus pais acabam descobrindo uma cidade ocupada por deuses, bruxas e espíritos. Essa fantasia épica do Estúdio Ghibli é recheada de cenas belíssimas, com uma narrativa complexa que lhe tornou o filme de maior faturamento da história japonesa. Ao mesmo tempo em que envolve fábulas tradicionais nipônicas, seus temas conseguem ser universais e onipresentes – uma verdadeira lição de storytelling!

1. Princesa Mononoke (1999) de Hayao Myazaki

Um dos filmes mais premiados da carreira do genial animador Hayao Myazaki. Conta a história de um príncipe que é amaldiçoado por um javali gigante e tem que encontrar uma cura. Enquanto isso se vê no meio de uma luta entre os homens de uma cidade mineradora e os seres da floresta. É um filme que evita qualquer tipo de maniqueísmo e é antibélico, além de ser muito bem escrito e com um trabalho de animação 2D soberbo. É a obra-prima de Myazaki.

Comente!