Provavelmente você já disputou alguma corrida na sua vida e sabe como é sentir a adrenalina, a resistência e a emoção. Seja em uma competição profissional ou até mesmo num desafio não oficial – onde o que está em jogo é alguma aposta, como dinheiro ou respeito – superar os adversários e terminar a corrida antes de todos é uma das sensações mais empolgantes existentes.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

“Pegando carona” no sucesso extraordinário de Velozes e Furiosos 8 nas bilheterias, separamos para vocês “Os 10 melhores filmes de corrida do cinema”. Aperte os cintos e prepare-se para o que vem pela frente!

10 – 500 MILHAS (1969)

Diferentemente de outros filmes da lista, 500 Milhas não faz questão de se aproximar tanto da realidade. Em mais um filme do gênero estrelado por Paul Newman, a história aqui é um romance até piegas, tendo o sonho de um talentoso piloto de vencer as 500 milhas de Indianápolis como pano de fundo. Além do carisma do protagonista, o que credencia o filme de entrar para nossa lista é a maneira empolgante como são apresentadas as cenas de corrida, realmente muito bem filmadas.

Sem se preocupar com spoilers, Roger Ebert escreveu sobre o filme em 2004: “é claro que ele vence a corrida e fica com a garota”. Não tem problema Roger, as vezes temos certeza de como irá acabar a história, mas a jornada até lá é o mais interessante. E 500 Milhas é um grande exemplo disso.

9 – SENNA (2010)

Seguimos nossa lista com esse documentário – que venceu duas das suas três indicações ao BAFTA – por um simples motivo: Ayrton Senna. É impossível pensar em Fórmula 1 e não se lembrar de um dos principais pilotos da história do automobilismo.

Repleto de imagens do seu arquivo pessoal, o documentário é praticamente uma biografia de Senna, passando pelo seu tricampeonato mundial até um dos momentos mais tristes do esporte, seu acidente fatal com apenas 34 anos de idade. O elemento humano presente em Senna é capaz de emocionar e conquistar até quem não é fã de filmes de corrida.

8 – RICKY BOBBY – A TODA VELOCIDADE (2006)

Will Ferrell é aquele típico ator que tem proporcionalmente o mesmo número de fãs e de haters. Sua alta estatura, jeito desengonçado e humor letárgico o fez alcançar grande sucesso em programas como o Saturday Night Live, mas muitas pessoas torcem o nariz na hora de ver algum filme seu. Em Ricky Bobby – A Toda Velocidade, o ator interpreta o principal piloto da Nascar, que tem seu reinado ameaçado com a chegada de um rival francês da Formula 1 (Sacha Baron Cohen).

Após um acidente, Ricky vai precisar de todo apoio de sua equipe, família e do melhor amigo (John C. Reilly) para retornar ao topo do mundo. Escrito e dirigido pelo vencedor do Oscar Adam McKay (A Grande Aposta) e embalado por uma trilha eletrizante repleta de rock and roll, o filme é uma das melhores comédias nonsense sobre automobilismo já realizadas, fundamentada, é claro, no humor incorreto característico de Will.

7 – CORRIDA CONTRA O DESTINO (1971)

Saindo um pouco das competições oficiais, surge este ícone que combina perseguições em alta velocidade com rebeldia e belas mulheres. O filme – que ganhou um remake para a TV estrelado por Viggo Mortensen – certamente inspirou franquias posteriores como o arrasa-quarteirões Velozes e Furiosos. A referência ao Dodge Challenger 70 não foi por acaso, por exemplo.

E a trama? Kowalski (Barry Newman) é um motorista que aceita a entrega de um Challenger do Colorado a California em tempo recorde. Isso é mais do que suficiente para ser perseguido por motoqueiros, carros de polícia e todo tipo de gente que quer atrapalha-lo (e alguns, ajuda-lo) a chegar ao seu destino. Típico filme onde a ação supera a história, um clássico cult absoluto.

6 – SUPER SPEEDWAY (2000)

Esse documentário é perfeito para fãs de Fórmula Indy. Lançado no final da década de 90 originalmente concebido para exibição em IMAX, são 50 minutos de pura adrenalina. Narrado pelo astro Paul Newman, acompanhamos a equipe Newman-Haas durante todo o processo de construção, testes e realmente performance durante a temporada.

Com câmeras acopladas por todo o carro de Michael Andretti, o documentário nos coloca “na pele” do condutor, experimentando as mesmas sensações desses pilotos que ultrapassam incríveis 400 km/h! Imperdível.

5 – CARROS (2006)

Essa animação dos estúdios Pixar recebeu duas indicações ao Oscar e conquistou tanto as crianças, quanto o público mais velho. E isso não foi por acaso. Carros é um filme visualmente incrível e sua história se beneficia muito da direção do experiente e prestigiadíssimo John Lasseter (indicado a 7 Oscars).

A trama pode até ser um pouco batida: um famoso piloto que se torna bem arrogante passa por um momento de dificuldade e acaba aprendendo valores muito mais importantes do que simplesmente vencer, como amizade e amor. Apesar da continuação bastante inferior alguns anos depois, Carros consegue divertir e emocionar com a mesma eficiência.

4 – AS 24 HORAS DE LE MANS (1971)

Steve McQueen viveu entre os anos 60 e 70 a melhor fase de sua carreira. Ainda no auge, foi convidado para interpretar um drama cheio de ação que se passa em uma das provas automobilísticas mais difíceis de todos os tempos: “As 24 Horas de Le Mans”. Na época em que o filme se passa (anos 70), ainda eram dois pilotos que se revezavam ao longo do circuito – sendo que a partir de 1979, passaram para três pilotos – e aí reside o drama da história.

Michael Delaney (McQueen) precisa vencer um duelo pessoal com um piloto alemão, mas para isso, vai ter que superar o trauma do ano anterior, onde um acidente brutal acabou matando o marido de sua melhor amiga. Usando imagens reais do incrível evento e longos silêncios com apenas o som ambiente, a estética do filme fica quase documental, dando um ar de maior realidade.

3 – RACING DREAMS (2009)

Algo que adoramos em filmes de esporte é a capacidade que eles têm de nos emocionar, provavelmente por causa de um fator que é inerente a todos nós: a busca para atingir nossos sonhos. No meio automobilístico, Racing Dreams é o que melhor traduz esse sentimento. O documentário acompanha a luta de três jovens pilotos buscando o título do Campeonato Mundial de Kart, e todos eles têm o sonho de dirigir na famosa NASCAR. Mas, será que todos irão conseguir?

Dirigido pelo duas vezes indicado ao Oscar de Melhor Documentário Marshall Curry, o sucesso de Racing Dreams é mostrar a vida dessas crianças de 11 a 13 anos, a pressão pela qual elas passam, as dificuldades, as vitórias e como aprendem a lidar com o sucesso e o fracasso tão cedo. Extremamente magnético e empolgante, vale a pena a procura.

2 – RUSH: NO LIMITE DA EMOÇÃO (2013)

Nosso vice-campeão é o espetacular Rush: No Limite da Emoção. Baseado na rivalidade real entre dois dos pilotos mais icônicos de sua época, James Hunt (Chris Hemsworth) e Nikki Lauda (Daniel Bruhl), o filme conta os bastidores das diferenças pessoais e de direção entre os dois. Ambos elevaram a disputa pelo título de 1976 da Fórmula 1 a um nível competitivo jamais imaginado, arriscando tudo, até suas vidas.

Ron Howard (Uma Mente Brilhante) contextualiza o filme perfeitamente à glamorosa “Era de Ouro” da Fórmula 1 nos anos 70 e utiliza sua experiência como contador de histórias para tornar a rivalidade extremamente atraente para o espectador, que fica envolvido com ambas as partes (assim como fez no ótimo “Frost/Nixon”). Indicado a dois Globos de Ouro, por aqui só ficou em segundo lugar porque claramente se inspirou no nosso número 1 da lista.

Antes de conferirmos nosso vencedor, vamos a algumas menções honrosas:

Velozes e Furiosos (2001)

Corrida da Morte – Ano 2000 (1975)

Speed Racer (2008)

Thunderbolt: Ação Sobre Rodas (1995)

1 – GRAND PRIX (1966)

Esse épico de quase 3 horas de duração de John Frankenheimer ganhou todas as suas três indicações ao Oscar em 1967. Estrelado por James Garner, o filme conta a história de um piloto que foi demitido da Jordan após um acidente no GP de Mônaco que feriu seu companheiro de equipe. Enquanto o ex-parceiro se recuperava, Pete (Garner) começou a correr por uma equipe japonesa e a se envolver com a esposa ainda não divorciada do amigo.

O motivo de Grand Prix ser o melhor filme de corrida de todos os tempos é a escala épica que Frankenheimer confere à trama. Mesclando realismo com momentos extremamente absurdos e sensacionalistas, o filme prende o espectador nesse emaranhado de rivalidades, paixões e os bastidores de um ambiente extremamente competitivo. A obra-prima das pistas.

E vocês, gostaram da lista? Concordam com as escolhas ou acham que faltou algum filme? Deixe seu comentário ou crítica (educadamente) e até a próxima!

Comente!