Uma das mais poderosas fontes de entretenimento, o cinema (Hollywood, especialmente) é especialista em representações equivocadas das mais variadas culturas e etnias. Em especial os indígenas nativo-americanos têm sofrido já por mais de 100 anos (desde a época dos fotodramas e do cinema mudo) com os estereótipos e com a perpetuação de uma imagem exagerada, anacrônica e desrespeitosa de sua História e Cultura nas telas.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Ainda assim, volta e meia, obras cinematográficas quebram este padrão e conseguem com sucesso trazer às telas personagens indígenas únicos e interessantes, que merecem seu lugar nos panteões dos grandes da ficção. Em memória dos 140 anos de um evento terrível, o brutal assassinato do Chefe Cavalo Louco, e na qualidade de representante indígena do Bastidores, resolvi compilar minha lista de 10 melhores personagens Nativo-Americanos do Cinema. 

Pequeno Urso (A Chave Mágica)

Etnia/Tribo: Iroquois 

Baseado na obra de Lynne Reid Banks, Pequeno Urso é bonequinho do infame e clássico conjunto de brinquedos Cowboys & Indians (também conhecido no Brasil como Forte Apache) que ganha vida ao ser colocado pelo garoto Omri em um armário mágico. Apesar de longe de ser um personagem livre deestereótipos, por estar em cena como indivíduo em vez de parte de uma massa, Pequeno Urso cativa o menino Omri e a audiência por sua personalidade e sentimentos, características que muitas vezes nem entram em pauta quando se trata de personagens indígenas, e representa um passo positivo nadesconstrução dos mitos do Velho-Oeste. 

Tainá (Tainá – Uma Aventura na Amazônia)

Etnia/Tribo: Tupi-Guarani 

Nossa única representante brasileira na lista, Tainá é uma importantíssima personagem do Cinema Nacional por apresentar às crianças uma imagem diferente da habitual que se tem dos índios. As crianças brasileiras quase nunca conseguem ver a si mesmas como índias, exceto quando se pintam e se fantasiam no dia 19 de Abril. Tainá faz com que crianças consigam se identificar com uma menininha índia, e nos lembra do papel que todo brasileiro tem em proteger a Amazônia.

 

Ira Hayes (A Conquista da Honra)

Etnia/Tribo: Pima 

Este emocionante e poderoso filme de Clint Eastwood merece destaque por inúmeros feitos artísticos, e um lugar em nossa lista pro trazer ao grande público a História de um herói indígena da vida real, o soldado Marine Ira Hayes, que foi um dos militares que levantou a bandeira em americana em Iwo Jima (registrado naquela célebre foto no final da Guerra). Longe de ser o relato comum de nativos no cinema, Ira é totalmente diferente em esperanças e sonhos, e através da magistral performance de Adam Beach, temos todas as nuances do drama de Ira com o alcoolismo, um dos piores flagelos impostos pelos europeus aos nativos.

Lone Watie (Chefe Dan George em Josey Wales – O Fora da Lei)

Etnia/Tribo: Cherokee

O único western em nossa lista tem mais uma vez o envolvimento de Clint Eastwood, mas nosso destaque vai para o coadjuvante Lone Watie, brilhantemente retratado pelo Chefe Dan George. Rompendo barreiras e fazendo história num gênero que tanto nos envergonha, Lone Watie é um índio espirituoso e engraçado, algo até então jamais visto. O Chefe Dan mais tarde receberia uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante

Karamakate (Antonio Bolívar em O Abraço da Serpente)

Etnia/Tribo: Tribo não especificada da Amazônia (possivelmente Guarani)

Voltando ao nosso continente, esse excelente filme (indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro) traz um épico e marcante personagem: Karamakate. Nosso guia nessa odisseia amazônica em busca de uma planta sagrada, Karamakate é um shaman que tem de preservar a identidade de sua tribo, ao mesmo tempo que busca proteger o senso de si e entender sua própria jornada. A atuação hipnotizante de Bolívar e o cenário ora claustrofóbico, ora plácido da Amazônia Colombiana tornam esse filme obrigatório para qualquer amante do Cinema.

Pata de Onça (Rudy Youngblood em Apocalypto)

Etnia/Tribo: Tribo não especificada Mesoamérica Maya

Todos ficaram surpresos quando Mel Gibson revelou que pretendia fazer um filme sobre conflitos indígenas no México pré-colombiano, e ficaram mais surpresos ainda com a jóia que é Apocalypto. O carismático protagonista Pata de Onça, vivido pelo Comanche Rudy Youngblood é um herói indígena quase perfeito, incansável defensor de sua família e de sua cultura contra um descaracterizado Império Maia, trazendo todas as nuances da luta épica de Pata de Onça pela sobrevivência.

Kicking Bird (Graham Greene em Dança com Lobos)

Etnia/Tribo: Lakota (Sioux)

Dança com Lobos é um absoluto clássico do Cinema e meu filme preferido que lida com o tema dos nativo-americanos, principalmente pela performance espetacular de Graham Greene como o Pajé Kicking Bird. Para muitos é o melhor personagem indígena de todos os tempos, devido a seu carisma insuperável, bom humor contagiante e a forma como ele granjeia sem violência ou bruteza o respeito e admiração de todos ao seu redor, inclusive do White Saviour Kevin Costner.

“Chefe” Bromden (Will Sampson em Um Estranho no Ninho)

Etnia/Tribo: Nativo da Planícies Americanas

Meu personagem indígena favorito, no que eu considero o melhor filme da lista (e um dos melhores de todos os tempos). Num peculiar papel, sem dizer uma única palavra sequer em quase o filme todo, Will Sampson dá vida ao surdo que mais ouve, ao mudo que mais diz e ao louco mais são em toda a ficção. Esse filmaço acerta em tudo, mas principalmente no casting de um nativo num universo e num roteiro tão diferente, uma das raras oportunidades em Hollywood e que foi brilhantemente aproveitada.

Atanarjuat (Natar Ungalaaq em Atanarjuat – O Corredor Mais Veloz)

Etnia/Tribo: Inuit

Um filme pouco conhecido do público em geral, mas tido em alta conta nos circuitos de arte e considerado o melhor filme canadense de todos os tempo Atanarjuat enche todo indígena de orgulho. Feito por nativos, sobre um mito da cultura Inuit, Atanarjuat é um retrato do que todo personagem indígena devia ser no cinema – humano, cheio de camadas e com sentimentos reais – além de correr mais rápido que o vento!

Chingachgook (Russel Means em O Último dos Moicanos)

Etnia/Tribo: Mohican (Moicano)

Essa era barbada! É verdade que o personagem concebido por J.F. Cooper em seus livros muitas vezes não passa de um apêndice de mais um White Saviour (Nathaniel, vivido por Daniel Day-Lewis na adaptação), no épico e clássico absoluto de Michael Mann temos um rosto, uma face que inspira temor, admiração e respeito por parte de qualquer um. A atuação eterna do ativista Lakota Russel Means ficará para sempre marcada entre as grandes do Cinema, e referência pra combalida causa indígena no mundo todo. A clássica sequencia do filme em que Chingachgook vinga a morte de seu filho é uma das melhores de todos os tempos, digna do maior personagem indígena do Cinema – Chingachgook, O Último dos Moicanos!

Comente!