Já falamos sobre os melhores games, animes, filmes, mas agora é hora de fazer o ranking dos próprios piratas. Escolhemos aqui os 7 piratas da ficção que melhor representam o espírito do que um bucaneiro precisa para enfrentar as ameaças do mar (ou do espaço em alguns casos), em busca das aventuras e tesouros que o mundo reserva para ele e sua fiel tripulação.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Então à bordo, marujos. É hora de mais uma lista!

7- Willy Caolho

Começando por uma verdadeira lenda pois, ao contrário dos outros piratas da lista, só o conhecemos pelos seus feitos, anos depois de sua morte. Willy Caolho era um bobô da corte que foi banido da corte espanhola após exagerar nas suas brincadeirinhas. Para se vingar, ele reuniu um bando de piratas e saqueou diversos barcos da realeza. Reunindo essas riquezas, ele partiu para a América, mas logo foi atacado pela marinha. Fugindo desesperadamente com um navio danificado, Willy se esconde em uma caverna e passa o resto de sua vida tentando concertar a embarcação. Colocando algumas armadilhas nas passagens da caverna, Willy mal sabia que séculos depois um grupo de garotos seriam os descobridores de seu valioso tesouro.

6- Capitão Harlock

Uma lenda no mundo dos animes, Capitão Harlock é um personagem que já recebeu diversas versões, sendo a primeira uma animação criada pela Toei de 1978 e criada um ano antes pelo mangaká Leiji Matsumoto. Se passando em um futuro onde a humanidade luta contra ameaças espaciais. Harlock é um pirata espacial, que a bordo do navio Arcádia e sua tripulação extremamente incomum derrota essas ameaças interestelares. Harlock é descrito como um ser solitário e de poucas ações, sempre vestindo sua longa capa de capitão com o número 42 (que é conhecido na cultura japonesa não por ser a resposta do universo, mas sim um trocadilho com a frase “shi ni”, que significa “até a morte”). Seja na água ou no espaço, há sempre o espírito heroico de um capitão pirata.

5- Barba Negra

O único da lista que existiu e talvez o que recebeu mais versões em diferentes séries, filmes e jogos. Barba Negra, ou Edward Teach como era seu verdadeiro nome, foi um pirata que viveu no século XVIII e navegava pela costa leste da América. Conhecido pela sua longa barba negra e o hábito de acender pequenos pavios de fogo acesos no cabelo para assustar seus inimigos, Edward Teach já foi retratado em diversas obras da cultura pop. De um inimigo de Jack Sparrow em Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas, passando por um dos principais vilões da épica história de One Piece, Barba Negra inspirou e inspira milhares de histórias que desejam retratar os piratas de uma forma cruel e calculista, tão qual foi o verdadeiro pirata com a alcunha.

4- Long John Silver

Pensa em pelo menos duas características fortes de um pirata. Pensou em um cara com uma perna de pau e papagaio no ombro? Então Long John Silver é um exemplo perfeito de um bucaneiro. O vilão da clássica obra Ilha do Tesouro de Robert L. Stevenson, John Silver tem como objetivo o tesouro de seu contramestre, o capitão J. Flint, que escondeu suas riquezas em uma ilha que ninguém sabe onde fica. Originalmente o personagem não usava uma perna de pau e tinha apenas a perna amputada, mas nas diversas adaptações que a obra recebeu até hoje, o personagem já mudou consideravelmente. Seu fiel companheiro é o papagaio chamado de Capitão Flint, que frequentemente está nas costas de seu dono repetindo as palavras “Peças de Oito”. Além das adaptações mais literais da obra de Stevenson, pudemos ver Long John Silver imortalizado em uma animação da Disney no filme Planeta do Tesouro, que muda o cenário da história mas mantém a essência dos personagens da obra original.

3- Monkey D. Luffy

Um pirata com chapéu de palha? Monkey D. Luffy é praticamente a antítese do que conhecemos de um pirata tradicional. Um garoto magrelo, vestindo uma regata e bermuda, com uma habilidade capaz de transformar seu corpo em borracha e com um pequeno detalhe: ele não sabe nadar. É assim que Eiichiro Oda, criador do duradouro mangá de maior sucesso da história e o quadrinho mais vendido de todos os tempos, One Piece, criou um dos protagonistas mais carismáticos que já saíram do Japão. Com sua força de vontade de se tornar o Rei dos Piratas e seguindo atrás do tesouro escondido do lendário capitão Gol D. Roger, Luffy tem como principal característica a sua lealdade aos amigos e determinação de alcançar seus objetivos. Com a ajuda dos membros da sua tripulação, ele viaja o mundo de One Piece ajudando pessoas e recrutando novos amigos (ou nakamas) sempre com um sorriso no rosto, não importa o clima à frente.

2- Jack Sparrow

Em cima do mastro de um barco lentamente afundando, Jack Sparrow apareceu nos cinemas para marcar uma nova era de piratas em Hollywood. Com seu jeito afetado e aparentando constantemente um nível de embriaguez alta, Jack é descrito pelo ator Johnny Depp como uma mistura de Keith Reichards e o gambá Pepé Le Pew, dos Looney Tunes, sendo o exemplo da filosofia de que os piratas eram os rockstars de seu tempo, sempre em busca de inspirações para sua próxima aventura e atrás da liberdade dos sete mares. Mesmo tendo passado por uma maldição de ouro asteca, uma morte por um kraken e uma volta ao mundo dos vivos um tanto quanto maluca, Jack continua firme e forte, navegando por aí, em busca da próxima confusão causada por ele mesmo.

1- Capitão Gancho

As características que definem um pirata podem mudar ao longo do tempo, mas nenhuma consegue superar o que já foi estabelecido como um pirata clássico deve ser. E o icônico Capitão Gancho reúne todos eles. O homem conhecido por ser o único temido por Long John Silver e aquele que já navegou com Barba Negra, James Hook foi criado pelo escritor James Matthew Barrie para o livro e peça Peter Pan, se tornando um dos vilões mais conhecidos da cultura pop e imortalizado por suas versões cinematográficas, especialmente a animação da Disney de 1953. Hook é conhecido não só por seu viés maligno e eterna rivalidade com o garoto que não queria crescer e seu bando de Meninos Perdidos, mas também por ter certa complexidade em sua personalidade, que lentamente é desvendada por Wendy e que explica o motivo da ação de seus atos como pirata. Hook inveja Peter Pan, por ter a liberdade de voar e ter amigos, enquanto o pirata é preso ao seu estado, com sua perna de pau e um gancho, que substituíram membros decepados por seu maior nêmesis: o crocodilo que engoliu o relógio.

O personagem tem tanta complexidade que já recebeu até mesmo um filme com seu nome, em Hook – A Volta do Capitão Gancho, dirigido por Steven Spielberg. Apesar de não ter existido, Capitão Gancho tem sua reputação imortalizada nos 7 mares da cultura pop.

Comente!