Obs: Lista feita em colaboração com Leandro T. Konjedic e Ayrton Magalhães

Com a recente estréia do mais novo gordo sucesso da Marvel com Homem Aranha: De Volta ao Lar, é óbvio que não poderíamos perder a chance de fazer algo especial como talvez aqui em rankear TODOS os filmes adaptados de histórias e personagens Marvel

Então sim, você verá aqui filmes do MCU, X-Men e os antigos Homem Aranha da Sony, entre outros, todos rankeados aqui do pior ao melhor! Com certeza vamos chatear muitos, mas essa é a diversão da profissão, e que comece a contagem.

49. Howard, O Super-Herói (1986) – Universal Studio

Eu geralmente uso muito a definição vergonha alheia para categorizar alguns filmes, mas não há outra que melhor defina o que temos aqui. Pegar um dos personagens mais peculiares e interessantes da Marvel e transformá-lo aqui em um BIZARRO filme teen escolar para crianças com conceitos e calão adulto. Pelo menos Chip Zien e Ed Gale até que são engraçadinhos como o personagem título…

48. Capitão América (1944) – Republic Pictures

Os primórdios dos super-heróis no cinema já tinham nosso querido Capitão ganhando vida em um filme. Talvez contendo muito pouco do espírito do herói e se tornando apenas mais um pequeno e esquecível clássico de ação e aventura.

47. Quarteto Fantástico (1994) – Constantin Film

O início de tudo. Um indício de que talvez o Quarteto Fantástico nunca fosse funcionar no cinema. Talvez esse funcione mais como uma boa sessão da tarde classicona, mas que é deveras irritantemente ruim e até sem sentido.

46. Capitão América (1990) – 21ST Century Film Corporation

É pessoal, a Marvel clássica já teve uma época bem sombria. E esse filme apenas pobremente feito como esse Capitão América é um marco disso. Pelo menos entra no quesito de divertido samba do crioulo doido como um “bom” Batman e Robin da vida.

45.  Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança (2011) – Sony/Columbia Pictures

Nada de realmente especial que faça esse insosso e fraco filme algo a mais do seu primeiro. Mas pelo menos até que demonstra ter umas ceninhas de ação legais e um visual mais apurado e detalhado do herói menos vexaminoso que o segundo. Ah! E as cenas com Nicolas Cage surtando em insanidade são impagáveis como sempre.

44. Elektra (2005) – Fox

Talvez seja por esse filme que até hoje não vemos nenhuma heroína da Marvel recebendo uma merecida adaptação para o cinema. Que nem a pobre Elektra de uma sofrível Jennifer Garner que teve que esperar anos até a chegada da EXCELENTE série do Demolidor para que fizessem jus a sua personagem. E esse filme é apenas um pesadelo ruim de um sombrio passado.

43. X-Men Origens: Wolverine (2009) – Fox

Decepção se já houve alguma maior. Não só um filme que manchou o nome da franquia dos X-Men no cinema, como também consegue ser um verdadeiro desrespeito ao personagem titulo e ao grande Hugh Jackman. Ele fez o que pôde em um filme de ação totalmente genérico e ralo em seu drama e intenções narrativas. Um bom filme ruim. Não é a toa que os outros filmes da franquia quase que ignoram esse espécime por completo!

42. Blade: Trinity (2004) – New Line Cinema

É um daqueles casos onde se comprova a dita cuja maldição de que o terceiro filme é sempre uma decepção, e um bom exemplo de como David S. Goyer só funciona com a ajuda de Nolan. Porque o que temos aqui é apenas um filme vergonhoso e sem inspiração alguma. Sua narrativa é fraca e a ação é genérica. Pelo menos Wesley Snipes ainda consegue ser bem legal como personagem título. Mas Ryan Reynolds fazendo piada com calcinha de Hello Kitty é difícil defender.

41. Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado (2007) – Fox

Infelizmente mais do mesmo. Pelo menos aqui até que tentam entregar uma história mais dinâmica e com boas tentativas de ação. Mas o resultado é de novo apenas uma boa sessão da tarde.

40. Quarteto Fantástico (2005) – Fox

Eles nem sequer tentaram. Pouco se preocuparam em fazer um filme de super-heróis de ação e aventura. Apenas se esforçaram em fazer uma comédia família sessão da tarde com seres super poderosos, com um elenco até que bom, mas sem inspiração alguma, e um roteiro apenas vergonhosamente mal escrito. Mas hey! Pelo menos Stan Lee está se divertindo em sua única cena divertida.

39. Justiceiro: Em Zona de Guerra (2008) – Sony Pictures

Talvez o filme de ação da década de oitenta mais recheado de sangue. Frases de efeito e vilões caricatos que o filme de 89 com Lundgren tentou ser, e por isso até que chega mesmo a ser divertido em parte. Mas nossa, a cara morta e sem carisma algum de Ray Stevenson como Frank Castle apenas tornam o personagem e o filme sem graça e descartável.

38. Motoqueiro Fantasma (2007) – Sony/Columbia Pictures

Uma velha e boa história de origem redondinha, mas fracamente contada e realizada. Até que os surtos psicóticos de Nicolas Cage como personagem título conseguem divertir no meio de tantas irritantes atrocidades.

37. Justiceiro (1989) – New World Pictures

Um espécime de pura ação oitentista recheado de sangue e frases de efeito francamente mal realizado aqui e ali. Se bem que Frank Castle do ilustre Dolph Lundgren possui um charme de fodão redentor da justiça, deveras intrigante e interessante em sua encarnação do personagem.

36. Quarteto Fantástico (2015) – Fox

Um dos mais infames filmes do gênero. Devo dizer que não acho que o filme mereça todo o ódio e desprezo que tem, mas é inegável que temos aqui um filme de clima morto e foco quase nulo e completamente atrapalhado em seu desenvolvimento e desperdício de excelentes atores. Pelo menos tentaram realmente fazer algo original e diferente ao mesmo tempo em que tentam se manter leais aos heróis, isso em parte.

35. O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (2014) – Sony/Columbia Pictures

Um notável melhoramento do bagunçado e insosso primeiro filme, mas que ainda continua sendo uma MUITO bagunçada e insossa continuação. Capaz de criar motivações fracas para ambos vilões e heróis e não ser capaz de aproveitar do bom talento que tem em mãos. Andrew Garfield mais uma vez é um divertido Homem-Aranha, mas um ruim Peter Parker. Pelo menos a química entre ele e Emma Stone é fofa e a sequência do dupstep com o Electro destruindo a Times Square são capazes de tornar o filme divertido.

34. O Justiceiro (2004) – Artisan Entertainment

Thomas Jane sem dúvidas não estava em um de seus melhores dias de atuação, embora ele pareça estar claramente se divertindo horrores em seu Frank Castle. Um filme que possui até uma gratificante violência e acidez cínica em seu tom, com a história de Frank Castle recebendo a aura de filme de máfia e crime com elementos de Poderoso Chefão e Scarface. Quase até parecendo uma adaptação indireta de Max Payne só que com o nome de Justiceiro para disfarçar. É, eu até que gosto desse, me julguem.

33. O Espetacular Homem-Aranha (2012) – Sony/Columbia Pictures

Um reconto da bendita história de origem já tão bem conhecida, que passa no limiar da cópia fajuta sem graça de uma tão bem conhecida, hoje famigerada trilogia. As idéias até que são boas e Andrew Garfield se mostra um Homem-Aranha divertido, mas seu Peter Parker nerd hipster não convence e pouco conquista apatia. Ainda por cima sendo desenvolvido em cima de uma trama tão atrapalhada e rasa com um vilão absurdamente sem sentido. Ainda é um mistério como alguns ainda acham esse o melhor filme da cabeça de teia.

32. Homem de Ferro 3 (2013) – Marvel Studios

Talvez o filme mais diferente e já esperado do MCU da Marvel, mas isso infelizmente não o torna automaticamente acima da média. Louvo a tentativa de Shane Black de buscar humanizar em novas facetas o personagem de Tony Stark com um sempre ótimo Robert Downey Jr. Infelizmente criando uma trama um tanto rasa que nunca faz jus as inesperadas e ousadas idéias que o filme levanta e tenta seguir. E termina numa nota quase sem nexo ou conectividade com os outros filmes do herói título, ainda mais esse sendo provavelmente seu último filme.

31. Thor: O Mundo Sombrio (2013) – Marvel Studios

Sem dúvidas um produto mais divertido que seu primeiro filme. Mas que irritantemente ainda possuí núcleos de humor tão bobos e fora de hora que estragam as poucas tentativas de algum aprofundamento dramático aqui. E ainda nos presenteiam com um dos vilões mais sem graça que o MCU e o próprio gênero dos super-heróis, já teve até hoje. Mas pelo menos temos um divertido Tom Hidleston com o seu Loki conseguindo roubar a cena quando aparece.

30. Homem de Ferro 2 (2010) – Marvel Studios

A definição de encheção de linguiça, nunca teve um melhor significado como em Homem de Ferro 2. Nos primórdios do universo compartilhado do MCU, o filme atira para todos os lados em querer estabelecer seu universo e futuras conexões com outras produções e heróis ao mesmo tempo em que conta  um tedioso arco de “desenvolvimento” do personagem de Tony Stark. E no final quase nota alguma é acertada, assim se tornando um filme inchado e até chato. Mas que se salva sempre pela presença forte e carismática de Robert Downey Jr como o já bom e velho personagem título.

29. Demolidor: O Homem Sem Medo (2003) – Fox

Todo bom Batman tem que descobrir seu lado sombrio antes de encarnar o herói com perfeição. Por isso que o espalhafatoso George Clooney e Val Kilmer nunca deram certo, e Christian Bale teve um bom currículo de personagens sombrios e de camadas antes dele embarcar nos filmes de Nolan. Ben Affleck teve aqui o seu Demolidor que só lhe rendeu má fama por tanto tempo. Quanto ao filme… nada mais a dizer, apenas ruim, genérico e sem charme algum.

28. Thor (2011) – Marvel Studios

Difícil julgar um desses com certo apelo nostálgico dos fãs da MCU. Se por um lado temos um Thor legal ganhando vida com um carismático Chris Heamsworth, do outro temos os seus amigos coadjuvantes que praticamente apenas servem de um bobo alívio cômico. E se tem um antagonista carismático e interessante como o Loki de Tom Hidleston, do outro tem uma trama rasa sobre aprender uma lição de vida de como ser humilde para poder se tornar um Deus rei. É divertidinho, mas bem desinteressante em diversos momentos.

27. Wolverine Imortal (2013) – Fox

Uma investida MUITO superior à primeira decepcionante desventura do carcaju de adamantium que todos amam. E é tão louvável ver o quanto James Mangold quis aqui realmente criar um filme e narrativa que é focada a todo o tempo no desenvolvimento dramático, psicológico e moral do Wolverine/Logan de um sempre soberbo Hugh Jackman. Embora infelizmente caia nas tendências genéricas e clichês irritantes em um extremamente bobo terceiro ato, e lhe falte maior sutileza na forma que conta sua história tão meditativa, mas com um ritmo muito corriqueiro. Mas já era um bom indício das possibilidades temáticas e de tom que a Fox poderia vir a assumir com seus heróis mutantes.

26. Vingadores: Era de Ultron (2015) – Marvel Studios

Eis aqui uma colocação polêmica. Afinal o que o filme que tanto decepcionou os fãs faz ainda mais alto? Pra começar Joss Whedon realiza alguns dos exageros mais irritantes e barulhentos que se pode ter em um blockbuster tão grande como esse. Mas o foco narrativo se mostra tão mais centrado aqui e consegue criar uma divertida aventura com um ritmo sempre dinâmico e com seus personagens em seus melhores estados de carisma e heroísmo que só Whedon foi capaz de realizar até hoje. Sem falar que foi uma das primeiras vezes que tivemos um antagonista decente em um filme do universo cinematográfico da Marvel com o intimidador e divertido Ultron de James Spader.

25. X-Men: Apocalipse (2016) – Fox

Quando o universo dos X-Men tentou se encaixar no “gosto geral” do grande público da MCU. Quase um Vingadores versão X-Men, eu sei. Mas que graças ao amor de Bryan Singer por esses personagens, ele dirige aqui um filme que, embora siga idéias e caminhos clichês, possui uma convicção dramática forte e até ousada que ressoa os tempos áureos dos heróis no cinema envolvendo seus ótimos personagens com um sempre excelente elenco, em um subestimado e divertido pipocão!

24. O Incrível Hulk (2008) – Marvel Studios

Acho que nem a Marvel soube o que achar ou o que fazer com esse filme. Não é de todo ruim e possui decentes bons momentos de ação e humor. Ao mesmo tempo consegue ser tão tedioso e aparentemente sem rumo algum em seu roteiro, sem falar o quão aparente desconfortável está Edward Norton no papel, e o próprio resto do elenco. Não é a toa que ele pulou fora e Mark Rufallo entrou em seu lugar nesse universo e seguiram em frente, e todos quanto a própria Marvel e público deixaram esse pobre filme pra trás no limbo do esquecimento.

23. Hulk (2003) – Universal Pictures

De fato uma adaptação bem corajosa do herói descontrolado, sendo construído aqui em um filme bem quadrinhesco ao mesmo tempo que possui uma aura de um drama meditativo contemplativo (?!) no estudo de seu personagem título com um trabalho nada mal de Eric Bana e um bom elenco ao seu lado. Apenas não se torna melhor do que poderia ser quando temos cachorros Hulk aparecendo do nada no meio da trama e uns efeitos CGI borrachudos bem duvidosos. Mas, para o bem e para o mal, talvez seja mesmo o melhor filme do Hulk já feito, embora não o que ele realmente mereça.

22. Homem-Aranha 3 (2007) – Sony/Columbia Pictures

O filme que quase foi engolido pelo controle negativo e ganancioso de seu estúdio, mas que graças às mãos de Sam Raimi, este realiza aqui seu (infelizmente) último filme do herói. Que embora falho em vários de seus quesitos narrativos, ainda consegue entregar algumas das melhores e ferozes cenas de ação do gênero e com raros pequenos momentos tocantes.

21. X-Men: O Confronto Final (2006) – Fox

Outro pobre famigerado da lista que talvez receba mais ódio do que realmente merece. É, sem sombra de dúvidas, o mais fraco da trilogia inicial da franquia dos X-Men, mas consegue ter dentro de suas poucas sutilezas temas socialmente relevantes que fazem jus ao nome da franquia, e claro contando com algumas sempre ótimas performances de seu elenco de luxo.

20. Capitão América: O Primeiro Vingador (2011) – Marvel Studios

Outro pobre famigerado da lista que talvez seja bem melhor do que o público possa lembrar. É inegável que tem uma segunda metade um tanto desastrosa e inflada em sua atropelada narrativa, mas a história de origem até ali do jovem Steve Rogers quase parecia um pequeno filme de guerra de Steven Spielberg com uma roupagem de Super-Herói com seu bravo e tão puro protagonista. E claro, se não fosse por esse talvez nunca tivéssemos o ótimo Capitão América de Chris Evans que temos hoje.

19. Doutor Estranho (2016) – Marvel Studios

Talvez um dos filmes e mais aguardados e sim ambiciosos do MCU, mas que infelizmente cai nas tendências genéricas de construção de seu universo compartilhado com um estabelecimento de mundo, (ricos) conceitos e desenvolvimento de personagem demasiado corriqueiros. Mas que consegue presentear com um visual único e uma performance carismática e cheia de vida de Benedict Cumberbatch que parece ter nascido para interpretar o personagem título!

18. X-Men (2000) – Fox

Um dos pioneiros de tudo. O filme que chutou o pé na porta em sua entrada e mostrou que filmes de super-heróis poderiam ser algo a mais do que apenas produtos ou aventuras e comédias familiares, e muito além do que apenas Batman e Super-Homem. E sim mostrar ser verdadeiros dramas emocionalmente e moralmente complexos sobre seres poderosos perdidos num mundo frio e cruel que os rejeita, onde o ódio e o confronto são fáceis e o amor e paz difíceis. Longe de ser perfeito, mas um presente de ouro e oportunidades que Bryan Singer deu ao gênero para todo o sempre!

17. Capitão América: Guerra Civil (2016) – Marvel Studios

Mais um Vingadores 2.5 do que um verdadeiro filme do Capitão América. Aqui temos um dos filmes mais divertidos do MCU que mais uma vez comanda seu enorme elenco dando destaque e foco para todos brilharem. E ainda introduzir o amigão da vizinhança nesse expansivo universo em grande estilo em um dos confrontos mais épicos que esses heróis já tiveram, mas talvez não o mais emocionante e compensador, apesar da ótima qualidade do filme em si.

16. Blade, O Caçador de Vampiros (1998) – New Line Cinema

Pena que hoje muitos esquecem o quão legal foram os primeiros filmes do Blade com Wesley Snipes. Claro que não são de tão alto nível ou até sequer excelentes adaptações, com um bom leque de tendências genéricas aqui e ali. Mas um filme que traga vampiros icomo seres punks demoníacos frios como pedra e sedentos de sangue como se fosse droga, e no meio temos um caçador deles no modo Van Helsing moderno fodão, provido pelo carismático Wesley Snipes como protagonista título decepando tudo e a todos. Gratificante e divertido.

15. Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017) – Marvel Studios/Columbia Pictures

Tudo o que eu precisava. Depois de 13 anos sem um bom filme do Homem-Aranha, a volta do Amigão da Vizinhança para o lar não poderia ser mais doce e inocente. Mais parecendo um episódio das melhores séries animadas do herói e bebendo muito da fonte de filmes juvenis de John Hughes dos anos 1980, “Homecoming” chega com o tom exato exigido pelo personagem e repaginada de diversos personagens consagrados, adaptados para a modernidade. O que falta em densidade e profundidade, compensa em inventividade de humor e amostra de momentos clássicos do gênero em pequena escala há muito perdidos, se tornando um dos melhores filmes do Universo Cinematográfico da Marvel, com um de seus melhores vilões.

14. Homem-Formiga (2015) – Marvel Studios

O perfeito exemplo de quando menos é muito mais. Triste que nunca poderemos ver o que Edgar Wright tinha em sua total visão para o personagem, mas sua marca se expande e surge marcada em cada linha de hilários diálogos em um uso de montagem frenética. Sem balbuciar no bom elenco em perfeita sintonia aqui com dois sempre ótimos Michael Douglas e Paul Rudd, que garantem que esse pequeno épico filme se afaste um pouco do quadro genérico dos filmes do MCU com uma aventura divertidíssima em pequena escala, exatamente como o seu pequeno grande herói!

13. Deadpool (2016) – Fox

Ofensivo, irritante, imaturo, exacerbado e arrogante. Esse é o filme de Deadpool. E não poderia haver melhor e mais fiel adaptação do mesmo personagem nesse estilo tão linguarudo, sarcástico, cínico e metalinguístico. Com Ryan Reynolds mostrando o porquê que nasceu para interpretar esse personagem de forma tão perfeita. É um clássico ame ou odeie para todos os gostos, e esse é exatamente o Deadpool que precisava existir!

12. Capitão América: O Soldado Invernal (2014) – Marvel Studios

O Jason Bourne dos filmes de super herói? Com certeza, mas a estreia dos irmãos Russo no universo Marvel consegue ser aqui uma perfeita adaptação moderna para nossos dias do herói em busca de fazer o certo em um mundo governado por injustiças. E acima disso, criar um filme que não aposta nas constantes piadinhas irritantes fora de hora familiar do seu universo compartilhado. Busca ser mais sério e natural sem arruinar um pingo da grande diversão que seu tom de filme de espionagem político com cenas de ação ferozes que o melhor filme do Capitão América entrega aqui com facilidade!

11. Guardiões da Galáxia (2014) – Marvel Studios

Talvez a culminação positiva de todo o cinismo presente no humor disparatado nos filmes do MCU e sua insurreição de personagens desconhecidos para o gosto geral. O filme de James Gunn é uma célebre sátira de tudo que o representa e expande em seu gênero, ao mesmo tempo que cria uma aventura tão escapista e com a sensação de um filme matinê de aventura ala Indiana Jones com o ritmo e construção de Star Wars em um universo de variedades no melhor estilo Star Trek. E dentro disso, dá vida a esses personagens que instantaneamente conquistam nossa empatia e carinho mesmo com suas personalidades duvidosas e absurdamente divertidas. É genérico em momentos? Com certeza, mas com a forte marca de seu diretor se revestindo por todo lado desse filme, é impossível esquecer de Guardiões da Galáxia tão cedo.

10. X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido (2014) – Fox

Se Bryan Singer foi o diretor que deu vida aos X-Men no início da década passada, seria ele também quem traria eles de volta para o grande público de hoje com louvor. Aparte de seus inevitáveis erros de continuidade de uma já bem conhecida linha temporal bagunçada, o sexto filme dos X-Men traz uma reunião de gerações simplesmente gratificante de se assistir em uma história com grande nível emocional dramático forte e um bom leque de excelentes performances. Sem falar que nos deu um dos já mais icônicos e divertidos mutantes com o rouba-cenas Mercúrio de Evan Peters. Um raro filme que balanceia seu lado de blockbuster de ação divertido ao mesmo tempo que se importa em criar um forte drama entre seus personagens

9. Guardiões da Galáxia Vol. 2 (2017) – Marvel Studios

A continuação mais do que perfeita e injustiçada por muitos dos fãs que já o chamaram de sequência inflada e insossa. Onde na verdade encontramos James Gunn fugindo de qualquer norma ditada pelo seu universo compartilhado e cria um filme 100% do tempo focado na construção e desenvolvimento de seus ricos personagens, tanto no seu humor disparatado quanto em seu bom nível dramático. Resultando em um filme nada menos do que extremamente divertido e até emocionante. Por mais das aventuras desses guerreiros desgarrados que tanto se amam!

8. Blade II (2002) – New Line Cinema

Se o seu primeiro filme já possuía uma boa dose de ousadia em seus conceitos de ação gráfica e tom sombrio gótico, sua continuação (aqui sob a tutela do senhor Guillermo Del Toro) leva tudo isso ao sentido literal da palavra e realiza um verdadeiro festim de porradaria e acrobacias a la Matrix com tripas de vampiros jorrando para todos os lados. Com Wesley Snipes sendo o definitivo Blade fodão que precisamos. Se é divertido? Apenas vá e veja esse subestimado e extremamente divertido filme de super herói completamente diferente do que estamos acostumados hoje.

7. Os Vingadores (2012) – Marvel Studios

Outra obra que redefiniu as possibilidades do universo compartilhado dos filmes de super-herói. Definiu o tom e técnica dos filmes do bilionário universo do MCU trazendo pela primeira vez na história mais de 5 heróis estabelecidos e conhecidos do grande público no telão em uma aventura para salvar o mundo recheado de ação e humor. O filme talvez tenha envelhecido mal no quesito hype do momento em ter visto os heróis juntos pela primeira vez cuja história lenga lenga se resume praticamente a isso. Mas é inegável a grande diversão que a obra é capaz de transmitir!

6. Logan (2017) – Fox

Após anos sofrendo de cobranças dos fãs e gosto misto entre a crítica e o público, eis que ambos os fãs e seu grande intérprete Hugh Jackman recebem aqui o que é sem sombra de dúvidas o definitivo filme do Wolverine, Logan de James Mangold é um verdadeiro atestamento da diversidade que o gênero pode ter ao assumir as vestes de um verdadeiro drama adulto, brutalmente violento e emocionalmente trágico, sobre o estudo psicológico e moral de seu personagem título onde a esperança e o heroísmo não mais existem. E no centro, a mais grandiosa performance que Hugh Jackman já teve em seu icônico personagem no filme em que sempre mereceu.

5. X-Men: Primeira Classe (2011) – Fox

Um dos mais subestimados filmes do gênero e um representante tão perfeito de um grande blockbuster feito em ótima qualidade. Certamente desrespeita alguns fatores de sua linha temporal previamente já estabelecida, mas o grande Matthew Vaughn mostra o porquê ser tão bom no que faz, ao criar aqui o filme mais quadrinhesco, aventuresco e ouso dizer o mais divertido que os X-Men já tiveram até hoje. Junto de um elenco de ouro em suas encarnações jovens de seus clássicos personagens, e trazendo tantos níveis dramáticos entre eles. Quem dera mais blockbusters fossem tão habilmente feitos assim.

4. Homem-Aranha (2002) – Sony/Columbia Pictures

Talvez a história de origem perfeita. Com Sam Raimi realizando aqui a primeira aparição do Teioso no cinema e a fazendo icônica e histórica. Primeira aparição também do grande Peter Parker de Tobey Maguire.

3. Homem de Ferro (2008) – Marvel Studios

O filme que deu início ao UCM. E tudo se deve exatamente ao seu personagem pilar com Robert Downey Jr. retornando das cinzas e se tornando a estrela que tanto merecia. Com seu carisma dando vida à perfeita e única possível encarnação de Tony Stark no cinema, enquanto acompanhamos aqui a sua extremamente divertida história de origem tomando forma, rumo a se tornar o já icônico Homem de Ferro. E pensar que este fora a única vez que vimos um excelente filme do mesmo.

2. X-Men 2 (2003) – Fox

Um filme de super-heróis? O já icônico filme de Bryan Singer aqui mais parece um forte, sombrio e complexo drama sobre poderosos seres utando contra as forças do ódio que os repudiam da sociedade. E talvez uma das mais perfeitas continuações já feitas que permite aflorar os poderes de seus heróis em novos e divertidos níveis de fantástica ação, ao mesmo tempo que expande seu core dramático em novos níveis. Um filme que deixa saudades de um tempo onde filmes do gênero possuíam tão rara alta qualidade de diversão e maturidade que rogamos encontrar hoje.

1. Homem-Aranha 2 (2004) – Sony/Columbia Pictures

E existia alguma dúvida quanto a isso? Não há mais perfeita adaptação de um personagem e história Marvel do que o segundo capítulo da trilogia do Cabeça-de-Teia de Sam Raimi. Que vai muito além do que um simples drama depressivo como muitos o colocam, e sim um filme sobre assumir e encontrar o verdadeiro motivo e essência de ser um verdadeiro herói. E Homem Aranha 2 representa isso mais do que perfeitamente com sua história bem escrita, personagens tão bem construídos, um perfeito antagonista estabelecido, e o profundo drama e o hilário humor andando de mãos dadas na mais perfeita encarnação do herói em um dos mais grandiosos filmes de super-herói de todos os tempos!

Tudo na ordem certa ou estamos absolutamente loucos? Marvel melhor que DC? Não deixe de nos deixar sua opinião!

Comente!