A produção de Mulher-Maravilha 2 ainda não começou mas Gal Gadot teria dito que não voltaria para a produção do segundo longa da heroína se o produtor Brett Ratner estivesse envolvido. A notícia é do site Page Six.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

De acordo com uma fonte anônima dentro da Warner Bros., a atriz já teria anunciado que não faria um novo filme da Mulher-Maravilha caso Brett, que foi acusado recentemente de assédio sexual, retornasse para a produção do filme. Ratner, junto com a sua empresa RatPac-Dune Entertainment, produziu o primeiro filme e é dito que ele lucrou muito com o sucesso de bilheteria da aventura solo da heroína.

Gal Gadot teria sido enfática sobre a sua decisão, com a fonte dizendo que seria muito irônico que um filme sobre empoderamento feminino fosse produzido por um homem acusado de assediar mulheres.

“Ela sabe que a melhor forma de afetar pessoas como Brett Ratner é na carteira. Ela também sabe que a Warner Bros. precisa ficar do lado dela nessa questão. Eles não podem ter um filme baseado em empoderamento feminino sendo parcialmente financiado por um homem acusado de mau comportamento contra mulheres”, disse a fonte.

De acordo com um representante da Warner, tal comentário da atriz é “falso”, não dando nenhum detalhe sobre a opinião de Gal Gadot sobre a produção da sequência.

Mulher-Maravilha 2 tem data marcada para estrear no dia 19 de dezembro de 2019, com o retorno da direção de Patty Jenkins e, se tudo der certo, de Gal Gadot como Diana Prince.

Comente!