Se você viveu no planeta Terra nas últimas 24 horas, você com certeza deve saber sobre o mais novo lançamento da Marvel nos cinemas; Vingadores: Guerra Infinita. Sendo você um fã casual dos filmes ou mesmo sendo o famoso “fanboy” que está presente em todos os lançamentos da Marvel Estúdios desde o primeiro Homem de Ferro talvez você tenha saído de sua sessão com algumas dúvidas referentes às famosas gemas do infinito, presentes nos filmes da Marvel desde o primeiro Capitão América: O Primeiro Vingador, lançado em 2011. Este artigo busca explicar um pouco mais sobre estes poderosos artefatos, usando o que que sabemos sobre os filmes, visto que as joias do infinito nos quadrinhos são um pouco diferentes de como foram apresentadas no cinema. Confira abaixo e deixe seu comentário caso tenha mais alguma dúvida!

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Aviso: Este artigo contém spoilers enormes sobre Vingadores: Guerra Infinita e é recomendado para quem já assistiu o filme.

Origem

As gemas do infinito tiveram suas origens, de acordo com o Colecionador no primeiro Guardiões da Galáxia, antes da existência do universo. Elas eram singularidades que, após o big bang, se transformaram nas joias. Estas joias que agora contém a completa força em forma bruta, concentrada. Cada uma possui o poder de um dos aspectos da existência; alma, espaço, mente, tempo, poder e realidade. Devido ao seu imenso potencial destrutivo, uma simples pessoa não pode sequer segurar uma dessas em suas mãos sem perder a própria vida, como observado no filme supracitado. Poucos detalhes, no entanto, são conhecidos a respeito de como estas pedras vagaram para os locais onde se encontravam durante todos os dez anos de UCM (Universo Cinemático Marvel).

 

A Joia do Espaço

O primeiro artefato relacionado às gemas foi apresentado às telas em Capitão América: O Primeiro Vingador. Neste filme, acompanhamos a luta do Caveira Vermelha para encontrar o cubo chamado Tesseract. Seriam somente dois anos depois que o público saberia que este cubo nada mais era que um invólucro contendo a jóia do Espaço. No filme de 2011 descobrimos que a intenção do vilão era extrair energia do artefato para desenvolvimento de armas poderosas durante a Segunda Guerra Mundial. No entanto, os poderes da joia do espaço envolvem coisas muito maiores. Com ela, seu usuário pode se teletransportar para onde sua imaginação quiser, mover objetos, rearranjar espaços mesmo que contrários a qualquer lei da física. Em seu poder extremo, pode conceder até mesmo onipresença. É interessante lembrar que foi o Tesseract, a jóia do espaço, que permitiu ao Loki abrir uma fenda nos céus e trazer o exército Chitauri para Nova York no filme dos Vingadores. Portanto, ao assistir (ou reassistir) Vingadores: Guerra Infinita lembre-se: toda vez que Thanos cria um portal atrás dele para desaparecer, é a joia do espaço que lhe está permitindo isso. Primeiro escondido na Terra, o Tesseract passa por uma longa jornada até chegar nas mãos de Thanos. Desde ficar submerso no oceano até ser utilizada para pesquisas pela SHIELD, encontrou o Titã Louco quando Loki a usou para salvar seu irmão Thor.

A Joia da Realidade

A segunda gema a ser revelada ao público seguiu um caminho semelhante ao do Tesseract. Em Thor: O Mundo Sombrio, Jane Foster se depara com uma anormalidade que a leva diretamente à gema. Dentro do filme, esta joia é chamada de Éter, possui coloração vermelha e se encontra em estado líquido. Ao se aproximar dela, Jane é tomada pelo líquido, ficando com o éter dentro de seu corpo. O vilão do filme, Malekith, precisa deste objeto e emprega todo o seu poderio militar para obtê-lo.. Este material concede uma espécie de proteção ao seu hospedeiro. Vemos que somente Thor e outras pessoas que Jane permite podem tocar seu corpo sem ser arremessados para trás. A Gema da Realidade permite materializar qualquer desejo, mesmo que esteja em contradição direta com as leis do universo. Em utilização conjunta com toda as gemas, pode alterar a realidade em escala universal. Seu poder de fato é somente mostrado em Vingadores: Guerra Infinita, com Thanos transformando armas em bolhas de sabão, por exemplo. Ao fim de Thor: O Mundo Sombrio, esta gema é entregue ao colecionador, pois Odin acreditou não ser sábio manter duas gemas do infinito tão próximas.

A Joia do Poder

Estamos finalmente em 2014, o ano que os Guardiões da Galáxia deixaram de ser heróis classe D dos quadrinhos da Marvel para se tornarem franquias de sucesso gigantesco nos cinemas. É no filme desta equipe de “perdedores” que temos a primeira explicação sobre as gemas, através do Colecionador. Uma referência a elas já havia acontecido um ano antes, na cena pós crédito de Thor: O Mundo Sombrio. Sendo a MacGuffin desta entrada cinemática, todos os personagens em tela estão atrás deste objeto. Os ravagers, liderados por Yondu, Peter Quill, Gamora e Ronan, o Acusador. Escondida dentro de uma esfera, para que pudesse ser manuseada com segurança, o poder da gema é revelado pelo Colecionador. Utilizando ela juntamente com alguma arma, o usuário poderia trazer devastação total a um planeta apenas tocando com o objeto no chão. Com coloração púrpura, a Gema do Poder é adquirida por Ronan, que por sua vez desafia o próprio Thanos. E com tanta capacidade destrutiva em sua posse, nem Thanos seria páreo em uma luta contra Ronan. No entanto, os Guardiões da Galáxia conseguem remover a gema do martelo de Ronan e a utilizam para destruí-lo. Ao fim do filme, vemos que a joia do Infinito é entregue à Tropa Nova para ser guardada em segurança. Com a gema do poder, o usuário pode manipular qualquer forma de energia, se tornar invulnerável, adquirir super força e aprimorar o poder das outras gemas. Em sua total capacidade, pode oferecer onipotência.

A Joia da Mente

A joia da mente esteve escondida em plena vista de todos os fãs da Marvel em Vingadores. Loki, ao receber apoio de Thanos para invadir à terra e conquistar o Tesseract para seu metre, obteve também um artefato poderoso: o cetro. Este cetro concedia à Loki a capacidade de tornar pessoas como o Gavião Arqueiro e o Dr. Erik Selvig em seus escravos. Com ela, o vilão também podia disparar raios de energia em seus inimigos. Deixado de lado como um artefato, a audiência esqueceu deste objeto por algum tempo. Até que fez seu retorno na cena pós crédito de Capitão América: O Soldado Invernal, com o Barão Von Strucker mostrando os gêmeos Maximoff, frutos de experiências com o cetro. Somente em Vingadores: A Era de Ultron é que teríamos a certeza absoluta de que o cetro se tratava neste tempo todo de mais um invólucro para uma gema do infinito, a amarela gema da mente. Tony Stark e Bruce Banner a utilizam primeiro para criar Ultron, que acaba indo totalmente errado. Ultron, por sua vez, a utiliza para criar o Visão, que também resulta em problemas para seu criador. Desde então, a gema do infinito ficou presa à testa deste personagem, concedendo a ele vida e um poder absurdo. A joia da mente aprimora as habilidades mentais e psíquicas de seu usuário, permitindo que o mesmo acesse mentes e sonhos de outras pessoas. 

A Joia do Tempo

A penúltima joia a ser apresentada dentro do universo Marvel é também uma das mais poderosas. Surgindo nos cinemas no filme de Doutor Estranho, esta gema estava escondida dentro do Olho de Agamotto. Diferindo dos quadrinhos, esta relíquia foi criada por Agamotto para conter o poder da joia do tempo. Stephen Strange, o Doutor Estranho, a encontra dentro da biblioteca de Kamar Taj. Com este artefato, não tivemos muito mistério. Desde a divulgação de Doutor Estranho já haviam teasers dando a entender que esta joia do infinito faria parte da trama. Os poderes dela são gigantescos e o herói a utiliza para reverter o dano causado por outra dimensão e inclusive derrota Dormammu criando um loop temporal. Stephen Strange contém consigo mesmo uma máquina do tempo poderosíssima e fica aqui a questão do porque ele não a utilizou para derrotar Thanos. De coloração verde esmeralda, a Joia do Tempo permite que seu usuário veja o passado e o futuro, manipule a velocidade do tempo, envelheça ou rejuvenesça pessoas e objetos ou aprisione universos inteiros em loops temporais. Em seu poder pleno, pode conceder onisciência e total controle sobre o passado, presente e futuro.

A Joia da Alma

Enfim, a joia mais aguardada por todos os fãs da Marvel finalmente deu as caras em Vingadores: Guerra Infinita. Depois de diversas especulações a respeito da localização da gema em Thor: Ragnarok e Pantera Negra serem totalmente frustradas, a gema de maior expectativa não deixou à desejar. Sendo acompanhada pelo Caveira Vermelha, que foi transformado no guardião da gema como uma maldição por seus desejos malignos, a sua conquista pede um sacrifício; quem quer que a tente obter, precisa abrir mão de algo que ama. Em uma das cenas mais impactantes do filme recém lançado, vemos Thanos, em lágrimas, carregando uma desesperada Gamora para a morte. Ao concluir o sacrífico, Thanos tem uma visão e, ao olhar para sua mão, encontra a joia. Sendo a última gema a surgir, seu poder não podia ser mais assustador e útil para os projetos genocidas de Thanos, pois é com ela que lhe é permitido tirar a vida de metade das pessoas no universo. Com coloração laranja, a gema da alma em sua total capacidade concede poder sobre toda a vida da existência. Sem dúvida, uma das gemas de maior potencial destrutivo na Manopla do Infinito.

E você? Qual gema do infinito você gostaria de ter? Deixe sua resposta nos comentários!

Comente!