Falar dos Guardiões da Galáxia nos dias atuais é quase como que falar dos Vingadores. As pessoas sabem descrever personagens, elas tem seus favoritos da equipe e com certeza você ouvirá um “Eu sou Groot!”. E não é por menos. A equipe que já era pouco conhecida dos ávidos leitores de quadrinhos Marvel era ainda menos conhecida do público em geral antes do lançamento de Guardiões da Galáxia em 2014.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

No entanto, pouco sobre a verdadeira origem dos Guardiões da Galáxia é realmente conhecida. Como por exemplo, sua formação original de 1969 que não possuía nenhum dos personagens que conhecemos e amamos hoje. É com isso em mente que nós do Bastidores trazemos este artigo falando dessa primeira equipe que acabou se tornando esquecida com a nova formação e também sua participação ao longo da história da Marvel.

A Era Espacial

No ano de 1969, o planeta observava em silêncio e contemplação a primeira viagem tripulada do homem à Lua. Mais precisamente, no dia 20 de Julho de 1969, Neil Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin plantavam seu pé no solo lunar.

Não é complicado, portanto, entender a fascinação da humanidade com exploração espacial em alta neste período. Fascinação esta que permitiria indústrias de entretenimento explorarem cada vez mais os limites estelares.

Eis que surgem, no mesmo ano, os Guardiões da Galáxia em sua primeira formação oficial:

Esquerda para direita: Major Vance Astro, Capitão Charlie-27, Martinex T’Naga e Yondu Udonta

Como podemos ver na imagem acima, temos uma formação completamente diferente da que está indo para os cinemas no dia 27 de Abril. O personagem que talvez seja mais conhecido é justamente o de Yondu, que possui um arco e flecha em contrapartida com a flecha mágica ativada por assobio.

Origens

A história de origem também é completamente diferente. Enraizada em grandes temas de ficção científica, estas primeiras histórias foram comparadas pela Marvel como uma mistura de Star Trek e Os Doze Condenados (1976). Nela, vemos o “último” de cada povo se unir para enfrentar um vilão intergaláctico chamado Badoon.

As histórias dos personagens se conectam dessa forma, com todos fugindo do vilão no século 31 e também bolando um plano para lhe destruir, antes que este destrua o planeta Terra. Uma origem de certa forma similar com a versão cinemática dos Guardiões da Galáxia. A história possui vários elementos de ficção científica como viagem espacial, viagem no tempo, alienígenas e espaçonaves.

Desde sua aparição em Marvel Super Heroes número 18, escrita por Arnold Drake e desenhada por Gene Collan, esta primeira formação teve participações esporádicas em outros quadrinhos da Marvel como os quadrinhos dos Defensores, Vingadores e até Thor.

Foi somente na década de 90, no início, que a equipe ganhou sua série solo que chegou a surpreendentes 62 edições antes de ser cancelada.

Alguns membros originais permanecem ao lado de novas e explosivas adições

Influência no Relançamento

Mesmo ainda existindo no universo Marvel, a equipe acabou ficando reservada ao plano de fundo, devido baixas vendas. Esta equipe ainda reapareceria nas histórias da nova formação dos Guardiões da Galáxia e seria o motivo pelo qual Peter Quill decide adotar o nome.

A nova formação que agora contava com Peter Quill, Gamora, Drax, Adam Warlock, Phyla-Vell, Rocket Raccoon e Groot (lógico) e Mantis como uma auxiliar do grupo para missões. Em sua segunda missão, eles se encontram com Major Vance Astro, que é identificado como “Major Victory dos Guardiões da Galáxia”. E com base nessa identificação que Peter Quill adota o nome para seu grupo.

Capa variante da primeira edição do relançamento da equipe em 2008

E é isso. Mesmo com uma origem baseada na era da exploração espacial, o grupo original dos Guardiões acabou nunca recebendo o destaque de um personagem classe A. Algo que mudou totalmente após o lançamento cinematográfico mais arriscado da Marvel até então, em 2014. Mas, considerando a popularidade que o atual grupo têm recebido, é provável que a Marvel possa tirar esses personagens da gaveta e incluir em seu material editorial.

A equipe Bastidores certamente torce para que sim!

Comente!