Paul Haggis, diretor de Crash – No Limite foi acusado de cometer agressões sexuais por quatro mulheres. Três dessas fizeram seus depoimentos ao The Associated Press após Haggis ser acusado de estupro por uma publicista. Nas novas acusações, uma das mulheres disse que Haggis a forçou a fazer sexo oral e depois a estuprou. Já outra disse que conseguiu escapar de Haggis antes que uma agressão acontecesse, mas ela lembra que Haggis disse “eu preciso estar dentro de você”.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

A vítima que deu início ao primeiro processo tinha, na época, vinte oito anos e trabalhava em um programa de televisão o qual Haggis produzia, em 1996. Ele a convidou para olhar algumas fotos do programa no escritório.

“Achei estranho, mas concordei” ela disse ao AP. “ele era o chefão. Não me sentia à vontade de dizer não”.

A vítima acabou ficando sozinha com Haggis no escritório. Ela disse que ele começou a beijá-la assim que ela entrou no cômodo. Apesar de suas tentativas de se afastar, Haggis, supostamente, insistiu à força. “Eu estava sem ação. Não sabia o que fazer”, disse a vítima.

Ela acabou dizendo que Haggis a forçou a fazer sexo oral nele e depois a estuprou. O depoimento da vítima foi verificado por um de seus amigos, que disse ao Associated Press que, nas semanas posteriores ao ataque, a mulher acabou perdendo peso e parecia estar depressiva.

A vítima que iniciou o processo contra Haggis é Haleigh Breest, que diz que Haggis a estuprou no apartamento de Manhattan dele, em 2013. O diretor, supostamente, ofereceu a ela uma carona para casa, mas acabou a levando para sua casa. Breest disse que concordou entrar e beber uma taça de vinho, pois sentiu que iria insultá-lo se recusasse.

Dentro do apartamento, Haggis, segundo o testemunho, se tornou “sexualmente agressivo”. O processo diz que o diretor forçou Breest a entrar em seu quarto, onde ele tentou rasgar sua roupa. Ela disse que ela falou para ele parar, mas ele não escutou. O diretor, então, a forçou a fazer sexo oral, a acariciou e depois a estuprou. Breest disse aos seus amigos e psicológo, posteriormente, sobre o ocorrido.

Todas as mulheres disseram que Haggis tentou as beijar primeiro e quando tentaram fazer com que ele parasse, ele se tornou mais agressivo.

O advogado do diretor negou todas as acusações. “Ele não estuprou ninguém”, disse Christine Lepera, advogada de Haggis.

Comente!