A convite da 20th Century Fox, tivemos a honra de assistir quase meia hora do inédito Logan, novo e último filme estrelando Hugh Jackman como Wolverine. Como muitos devem saber, Logan bebe um pouco da fonte de Velho Logan como inspiração para seu setting e clima. A Fox, encorajada pelo rendimento espetacular de Deadpool, então permitiu a concessão para fazer um último filme com o Wolverine violento que todos nós gostaríamos de ver em tela – pelo menos uma vez.

Por isso, preparem-se para o que podem ser considerados spoilers médios. Não leia caso queira ter uma visita mais pura quando assistir ao filme em março.

O longa tem início mostrando já o quão decrépito está nosso querido Wolverine que agora “trabalha” como chofer de limusine – na verdade um disfarce para conseguir transitar no Texas em busca de outros mutantes localizados por Caliban.

Dormindo na limusine, é surpreendido por um grupo de bandidos que tentam remover os pneus do carro. Ao contrário do que esperava, a abordagem de Logan é tranquila, tentando conversar e sair dessa sem partir para a violência. Porém, estamos vendo Logan, e já nessa cena, James Mangold, diretor do filme, define o tom do que encontraremos no restante da prévia.

Com a reação dos bandidos, um Wolverine bem distante de seus dias de glória – as garras de adamantium demoram para sair de suas mãos, apanha muito. Mas mata praticamente todos rasgando a barriga, decepando as mãos de outros e cravando as garras diretamente no crânio de cada um. Mesmo sendo um filme +18 ou +16 na censura, é evidente que toda a violência, apesar de mais explícita, é maquiada pela fotografia mais sombria ou por cortes rápidos. Aliás, há uma excelente piada de humor negro com Logan usando seu próprio corpo como escudo para as balas não danificarem o carro.

É chocante, mas talvez nem tanto eficiente. A eficiência da nova proposta selvagem somente aparece quando Laura Kinney/X-23 entra em cena.

Depois da abertura, vimos Logan e Caliban discutirem sobre o paradeiro da menina enquanto Xavier, bem idoso e senil, se desespera e clama para que encontrem a garota – ele afirma que ela é mais semelhante a Logan do que ele mesmo imagina. Nisso, surge Donald Pierce e segue-se um grande diálogo expositivo definindo um pouco do que aconteceu para todo o legado de Xavier ter se perdido ao longo do tempo. Pierce é o grande antagonista do filme, a caricatura visual está presente, para moldar o clima western de um invasor chegando para retirar a paz de um grupo de oprimidos.

Aliás, toda essa parte que vimos é influenciada por westerns. O segmento de road movie surge apenas depois, após uma grande fuga. Depois do clima tenso originado pela presença do despojado vilão, Logan consegue desacordá-lo e manda Caliban desovar o corpo em algum terreno distante. Então o herói segue para ver o que Xavier está fazendo e, para sua surpresa, ele já está ao lado de X-23.

Dafne Keen oferece camadas de ódio e rancor nos olhares soturnos de X-23. É uma criança com os olhos de quem já viu horrores tremendos. A personagem é quieta e não fala uma frase em toda a prévia que vimos. Logan, já impaciente e sabendo que Pierce retornará para capturar a pequena mutante, tem aversão instantânea pela garota, achando que tudo é um embuste. De que ela não se trata de uma verdadeira mutante.

Xavier defende a garota, mas as palavras de um velho senil parecem não bastar para Logan. Aliás, Patrick Stewart está excelente com diversos tremores nas mãos, apostando em olhares perdidos e uma ligeira gagueira. Realmente parece que Xavier já não tem quase um pingo de lucidez. Aliás, Pierce também o procura já que ele é considerado um mutante com capacidade de destruição em massa. Ou seja, houve uma terrível caçada aos mutantes nesse meio tempo deixando todo o ambiente desolado.

Obviamente, Pierce retorna e Caliban está desaparecido. Logan pega Xavier e o coloca na limusine blindada para fugir de lá. Logan abandona a garotinha que parece não se importar nem um pingo com a situação. Pierce ordena que seus homens invadam o armazém para procurar Xavier e Laura enquanto outros já derrotam Wolverine em combate.

Então, surge uma pequena figura saindo do armazém. Ela segura uma coisa em suas mãos. X-23 então joga essa coisa que se revela ser a cabeça de um mercenário que invadira o armazém. Ela já está bastante ensanguentada também. Mangold não deixa as coisas apenas na sugestão. Logo depois disso, outra cena de ação começa com todos os capangas correndo atrás da menina. Nesse momento, são reveladas suas duas garras de adamantium.

Como a menina é pequena e rápida, toda a ação que segue mostra ela matando todos os capangas rasgando suas gargantas ou cortando partes do corpo. É uma boa sequência, bastante violenta, mas ainda mascarada pela contraluz. Na interpolação, Logan aproveita para entrar na limusine a fugir, mas Pierce já ordena uma nova perseguição. Nessa montagem alternada, em certo ponto, X-23 tenta alcançar a limusine para se livrar dos capangas.

Nesse momento, após muitos assassinatos, X-23 é arpoada. Sim, a menininha é atingida por arpão gigantesco que atravessa seu peito. É a cena mais gráfica dos trechos que vimos. Com pouco caso, Laura retira o arpão e parte para o encontro com Xavier e Logan. Alguns vilões tentam imobilizá-la. Nisso, descobrimos que ela possui lâminas também em seus pés. Após matar todos com todas as lâminas à mostra, Laura consegue entrar na limusine.

Depois, mais alguns minutos de perseguição de carro com direito a muito tiroteio e velocidade. O trecho termina com Logan conseguindo escapar ao atravessar uma encruzilhada logo antes de um trem de carga atravessar o caminho, separando os heróis dos vilões e encerrando a perseguição.

Isso tudo deve render mais de vinte minutos de filme. Como puderam perceber, realmente não há muito de história que descobrimos no dia. Apenas vimos muitas cenas de ação restritas ao começo do filme. As impressões são positivas. Mangold está melhor na direção conduzindo tudo com firmeza. A abordagem da violência também é interessante, embora eu espere que seja menos maquiada, afinal, não teremos outra chance de ver Wolverine com direito a toda sua carnificina. A relação entre Logan e X-23, sua réplica ainda mais selvagem e ranzinza, será o ponto alto do filme, além do significativo trabalho do elenco que merece ser destacado.

Há muito potencial para Logan entrar no panteão dos melhores filmes de super-herói que anda bastante carente de boas histórias calcadas em tragédia, amargor e superação.

Comente!