Scarlett Johansson mais uma vez está enfrentando críticas em suas redes sociais por ter aceitado interpretar um papel de minoria – o mesmo ocorreu anteriormente com Ghost in the Shell, no qual ela interpreta uma personagem originalmente japonesa. Agora, no vindouro filme Rub & Tug, de Rupert Sanders, mesmo diretor de Ghost in the Shell, Johansson viverá um homem trans.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

As críticas, claro, dizem que o papel deveria ter sido entregue a alguém que se encaixe nesse grupo de minoria, visto que pessoas trans contam com pouquíssimas oportunidades na indústria cinematográfica (sem contar as outras áreas, claro). Dentre as pessoas que criticam a escolha do elenco do filme, está Jamie Clayton, mais conhecida por interpretar Nomi Marks em Sense8.

“Atores que são trans nunca sequer têm audições para quaslquer coisa que não sejam papeis de personagens trans. Esse é o real problema. Nós sequer conseguimos entrar na sala. Escalem atores que são trans como personagens que não são trans. Eu te desafio, Rupert Sanders, New Regency, Scarlett Johansson.”

 Ciente das críticas, Johansson não demorou muito a respondê-las, falando “diga a eles que eles podem ser direcionados aos representantes de Jeffrey Tambor, Jared Leto e Felicity Huffman para comentários.”

Evidente que a saída da atriz foi a pior possível, basicamente dizendo “eles que começaram”, e desde então mais críticas vem sido recebidas tanto por ela quanto pelo diretor do filme. Para quem não está ciente, Tambor, Leto e Huffman interpretaram personagens trans anteriormente – Tambor, no caso, foi afastado do papel após denúncias de assédio sexual.

Em todo caso Rub & Tug segue sem data de estreia e não se sabe ainda de que forma essa repercussão negativa irá afetar o filme em si ou a sua produção.

Comente!