Ao se falar de inovações, temos algumas provas de que a Samsung sempre entra no páreo todos os anos, mas que desde a linha S6 e S6 Egde estávamos precisando de algumas inovações, isso sim é um fator decisivo.

Vimos algumas evoluções em algumas linhas da Sammy nesse meio tempo. Vimos um Galaxy S5 aprova de água, tudo bem, não foi na mesma época da Sony, mas eles compensaram e lançaram ele rápido. Quase na mesma época tivemos o Note 4, este sim, com um potencial infinito de poder, tanto que até hoje temos o Note 4 a ser utilizado com ROM”s diferentes, e até mesmo com modificações que provam que ele consegue não bater, mas chegar perto de smartphones dos anos de 2016 e alguns de 2017.

Tivemos o Galaxy S6 e finalmente um egde que pudesse ser o chamatriz de um smartphone. A tela curva não era feia, como foi feita no Note Egde, que era apenas de um lado, simples e até com aspectos de mal feita e um pouco improvisada. Infelizmente ele não veio com o slot para cartão sd, mas ele teve pontos que até hoje poucos especialistas em tecnologia perceberam. Ele sim foi o principal teste da Samsung, não para bater um Iphone, não para tomar conta de vez do mercado de celular e vestíveis, mas para saber se eles poderiam com o tempo tomar conta de um mercado que tem sido um problema, o de processadores. No Note 4 veio o primeiro Exynos a bater de frente a frente com os processadores Snapdragon, veio o famoso Exynos 5433, ele chegou a chegar perto do Snapdragon, mas ainda não era aquilo que se podia fazer, e no S6, aí sim tivemos um teste de que o exynos podia sim ser algo para bater e até mesmo a longo prazo, para tomar o mercado.

No S6 veio o Exynos 7420, já mostrando um ponto que até os processadores de hoje conseguem ser melhores do que os da Snapdragon, capacidade energética. No 7420, ele tinha uma autonomia melhor do que o processador Snapdragon que foi enviado para o Estados Unidos e boa parte da Europa. Mas o modelo internacional, e principalmente, o que veio para o Brasil, esse estava preparado para tomar conta a longo prazo. E assim foi dito.

Em 2016 tivemos o poderoso Galaxy S7 e o S7 Egde. Estes vieram com todo o poder disponível no mercado no ano e trouxeram tudo aquilo que poderia ser, e se ter disponível. Trouxeram de volta o slot de cartão de memória, um fast charging mais rápido, um wireless charging mais rápido, 4GB de RAM, e o novo Exynos 8890. Ai que começou o cenário a ser mudado, pois na versão americana veio o Snapdragon 820, e ele parecia ser absolutamente poderoso, mas depois de alguns casos de superaquecimento aqui, alguns casos de péssima otimização ali, e de outros problemas durante o tempo, o 8890 acabou se destacando e sendo o principal processador do S7 Egde. Tendo diversos canais como phonebuff, unbos therapy, android authority confirmando o que já se parecia. O Exynos estava tomando o cenário e estava dando um baile no 820.

Então agora em 2017 temos o Galaxy S8 e o seu irmão “maior” S8+ com dois processadores novamente. Para a versão americana e em partes da Europa já se foi confirmado o Snapdragon 835 que foi praticamente feito pela Samsung, composto a 10n nanômetros, e na versão internacional, teremos o Exynos 8895, também a 10 nanômetros.

Até agora, os testes e speedtests já mostraram uma grande diferença, desde capacidade energética, otimização de RAM, mas também, em capacidade de poder, de força. Agora o Exynos parece ser melhor também. Então fica a pergunta, será que nesse ano, os processadores feitos pela Samsung tem o que precisa para tomarem conta, não só do embate contra a Snapdragon, mas para bater de frente com os processadores feitos pela Apple, ou Mediatek?

O S8 e S8+ serão oficialmente lançados no Brasil dia 17 de Abril, em um evento em São Paulo. Aguardaremos mais informações, e quaisquer novidades que possam sair disto.

Especificações Técnicas do Galaxy S8 e S8+:

  • Tela Super AMOLED de 5,8 polegadas (ou de 6,2 polegadas no modelo Galaxy S8 Plus)
  • Resolução Quad HD+ (2960 x 1440 pixels)
  • Chipset Samsung Exynos 8895 (ou Qualcomm Snapdragon 830, dependendo da região)
  • 4 GB de RAM (6 GB de RAM para o mercado koreano)
  • 64 GB de memória com suporte ao cartão microSD externo (vendido separadamente)
  • Câmera principal de 12 megapixels com tecnologia Dual Pixel
  • Câmera frontal de 8 megapixels
  • Resistência à água e poeira certificada pelo código IP68 (submerso a mais de 1 metro e meio por até 30 minutos)
  • Leitor de íris
  • Segurança feita pelo Samsung Knox
  • Samsung Pay
  • Carregamento sem fio (dock de carregamento é requerido, vendido separadamente)
  • Fones de ouvido feitos pela AKG
  • Android 7.1.1 Nougat como sistema operacional
  • Possibilidade de conexão com o novo Samsung DEX (vendido separadamente)

Disponibilidade e Preços:

Ambos S8 e S8+ tem previsão para estarem disponíveis para venda a partir do dia 27 de Abril, com evento marcado para o dia 17 para apresentação oficial.

Com preços especulados a serem mantidos os da geração passada

  • S8: Aproximadamente R$ 3899
  • S8+: Aproximadamente R$ 4200

Comente!