A Associação Nacional de Juristas Islâmicos – ANAJI, entidade que é constituída por juristas muçulmanos que tem como objetivo defender os interesses da comunidade islâmica brasileira, emitiu uma nota de repúdio contra o grupo Porta dos Fundos e contra a Netflix por desrespeitar a fé cristã por representar em seu especial de natal, intitulado A Primeira Tentação de Cristo, Jesus o insinuando sendo gay tendo uma relação com o personagem de Fábio Porchat.

Os islâmicos entendem que os cristãos ao serem atacados pelos humoristas liderados por Fábio Porchat e Gregório Duvivier, que está sendo colocado em risco no Brasil a liberdade religiosa, já que existe uma garantia constitucional que protege os símbolos religiosos e a crença no país.

“Não se permite é que uma pessoa intolerante possa agredir qualquer outra, motivada apenas pela sua ignorância e falta de compreensão básica de respeitar a religião alheia, ultrapassando assim os limites da lei”, disse a Anaji em nota.

“Pedimos a todos os cidadãos de bem que denunciem os vídeos, independente da religião, pois a liberdade deve ser para todos sem exceção, pois amanhã os injustiçados seremos nós”, finaliza o texto.

Em sua nota a Anaji reforça a posição de boicote pelos cristãos à Netflix, e também ao canal Porta dos Fundos, criador do vídeo que segundo a entidade zomba de Jesus. Os islâmicos disseram que vão tomar medidas judiciais contra os humoristas.

“Estaremos buscando os meios judiciais cabíveis para coibir tamanho desrespeito, nos unindo contra quaisquer atos que não respeite a liberdade religiosa e tolerância de todas as religiões”, diz parte do texto.

O especial de natal do Porta dos Fundos está em exibição na Netflix.