Sempre quando o sucesso é alto, o risco é ainda maior. Com Black MIrror: Bandersnatch, a Netflix enfrentará um processo perigoso de violação de direitos autorais. 

O processo registrado no tribunal de Vermont, nesta sexta (11), afirma que a Netflix está usando, sem autorização, a marca “Escolha a sua Própria Aventura”. A acusadora é a editora Chooseco, que publica livros interativos desde a década de 1980, utilizando o slogan.

A queixa afirma que a Fox possui os direitos de produzir séries interativas baseadas nos livros da editora. Além disso, foi revelado que a Netflix tentou comprar a licença da marca em 2016, sem sucesso. 

Por esse episódio da compra frustrada, a sorte pode não estar com a Netflix dessa vez que ainda não se pronunciou sobre o caso.

De acordo com o The Wrap, Black Mirror: Bandersnatch, o episódio interativo da antologia de ficção científica da Netflix, tem uma cena pós-créditos que só pode ser acessada seguindo certos passos bem específicos.

Na cena, voltamos ao momento em que Stefan está no ônibus indo para a Tuckersoft, mas ao invés de ouvir música, ele escuta uma fita com o nome Bandersnatch, e apenas conseguimos ouvir sons de estática.

Para destravar a cena extra, é necessário matar Stefan na viagem alucinógena; final de P.A.C.S.; lutar com a Doutora Haynes; Matar o pai e enterrar o corpo; cortar o corpo (duas vezes); Pegar o coelho do pai (mas pegar o cofre errado); Pegar o cofre do pai e por último matar Stefan quando criança.

Então a cena será destravada.

Black Mirror: Bandersnatch está disponível no catalogo da Netflix.

Comente!