em ,

Chateado com polêmica, diretor de Coringa diz que John Wick 3 é muito mais violento

A polêmica acerca de Coringa, novo filme da DC que estreia em 3 de outubro, já está dando nos nervos do diretor Todd Phillips, afinal ver sua própria obra avaliada por questões morais que não pertencem ao filme em si deve ser bastante difícil.

Em entrevista ao ET, Phillips comentou até mesmo sobre o filme não ser exibido no cinema Aurora, local do atentado de mass shooting na estreia de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge.

“O massacre de Aurora foi horrível, mas não foi culpa do filme. O atirador não estava sequer vestido como Coringa. Ele teve um colapso mental e fez algo desprezível, mas não tem nada a ver com o filme em questão”, refletiu.

“Nunca tentei fazer um filme que representasse isso. A história se passa em um mundo fictício, e é baseada em um personagem que existe há quase 80 anos. Fico intrigado com essa masculinidade tóxica branca. Todo mundo saiu rindo do cinema após assistir John Wick 3, porque o cara mata 300 pessoas e faz o público torcer e vibrar com ele. Porque essa polêmica com Coringa? Os parâmetros são diferentes? Não faz sentido”, concluiu.

Coringa está sofrendo com a retaliação da crítica desde que foi exibido no Festival de Toronto. Os críticos avaliaram a obra com medo dela incentivar espectadores a agir como o personagem e, por conta disso, diminuíram a avaliação do filme.

O que você achou desta publicação?

Redação Bastidores

Publicado por Redação Bastidores

Perfil oficial da redação do site.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Keanu Reeves já leu roteiro de Matrix 4 e dá sua opinião

Felipe Neto fala em deixar o país: “Não tá dando pra mim”