Dois filmes que conseguiram superar a barreira do bilhão em bilheteria, Capitã Marvel Pantera Negra, eram indesejados por um executivo da Marvel.

No livro autobiográfico de Bob Iger, CEO da Disney, uma das revelações é sobre o fato dos filmes quase não terem saído, já que o CEO da Marvel na época, Ike Perlmutter, além de alguns outros executivos, tentaram impedir o projeto tocado por Kevin Feige, atual CEO da Marvel Studios, que na época ainda era ligado a sua empresa criadora.

No livro, Iger conta que sempre que Feige tentava avançar com os dois projetos, um executivo de Nova York ligado a Perlmutter colocava empecilhos. Uma das justificativas, um tanto racista, dizia que um filme como Pantera Negra jamais daria certo porque historicamente filmes protagonizados por negros não alcançam bons desempenhos na bilheteria mundial.

Cansado da situação, Feige teria conversado pessoalmente com Perlmutter para que a oposição acabasse. Os filmes foram feitos rendendo bilhões ao estúdio enquanto Pantera Negra trouxe o primeiro Oscar da Marvel.

Atualmente, pela hierarquia da Disney, a Marvel Studios não é mais subordinada à Marvel Entertainment facilitando os novos projetos da produtora.