Enquanto Harvey Weinstein ainda lida com o artigo que expôs seus crimes sexuais contra inúmeras vítimas ao longo de quase três décadas, o produtor contratou a poderosa advogada de defesa Patricia Glaser para ajudá-lo no caso.

Glaser não irá representar Weinstein em conexão com as acusações de assédio incluídos no texto do The New York Times; seu objetivo é negociar com a The Weinstein Company acerca da demissão do produtor após uma votação unânime da banca de diretores. “Esperamos resolver isso”, Glaser declarou ao The Hollywood Reporter. “Entretanto, faremos qualquer coisa que pudermos para proteger os direitos que ele detém sobre a companhia”.

A advogada já tem um histórico de disputas de alto nível midiático, incluindo Keith Olbermann contra a Current TV, e Conan O’Brien contra a NBC. Mais recentemente, ela também aceitou o caso de Jamie Horowitz quando uma cliente foi demitida após falar de forma pública sobre supostos abusos sexuais que sofreu em seu tempo na Fox Sports.

Outras advogadas e conselheiras, incluindo Lisa BloomLanny Davis, quebraram contrato com Weinstein após as inúmeras acusações.