A querida Mulher-Maravilha já está entre nós há 75 anos. E dentro de todo esse tempo, assim como todos os grandes deuses da DC, Diana Prince ganhou histórias mais que inesquecíveis. Agora com, finalmente, o lançamento de seu primeiro filme em uma grande produção hollywoodiana, diversas novas leitoras (e leitores) que nunca se aventuraram a abrir um quadrinho da Princesa antes, terão um comichão de curiosidade.

Aproveitando esse embalo, desenvolvo aqui uma lista organizada pelo dcnauta de carteirinha e fã da Mulher-Maravilha, Leandro Konjedic. Depois nos diga nos comentários se concordam ou não ou se simplesmente se faltou alguma ótima história dessa grande heroína.

10. Sangue

O primeiríssimo arco de seis volumes para a estreia da heroína no reboot dos Novos 52 definiu um padrão que devia ter sido tomado como exemplo para toda a linha editorial. A fase com Azzarello e Chiang explora histórias de Diana e seu relacionamento com a mitologia grega, deuses e criaturas. Uma abordagem mais inteligente entre ela seu nêmese, Ares, é apresentada aqui, além do contato mais intenso com sua mãe a as amazonas. Recomendado para qualquer um que não tenha lido nada da heroína e garantimos que uma vez lido Sangue, você quererá ler a fase inteira da dupla. Você pode comprar aqui.

9. Desafio dos Deuses

Primeira participação do mito e da lenda George Pérez nessa lista. Um dos principais responsáveis por toda a revisão de origem e modernização da heroína, Peréz ainda faria muito mais com Diana Prince. Aqui, a história segue Diana tendo que lidar com seu recém status de heroína celebridade. Além de um stress cotidiano, a heroína encontra sua nova arqui-inimiga, a Mulher-Leopardo, que fará de tudo para roubar seus artefatos místicos como o Laço de Héstia. Além de todos esses “pequenos” problemas, Diana encontra problemas com as Amazonas quando Zeus decide que a Mulher-Maravilha é a esposa ideal que ele tanto quer.

8. O Círculo

Depois dos eventos de Crise Infinita, diversas histórias da DC obtiveram carta-branca para os novos arcos. Enquanto Superman e Batman se saíram bem no começo, Diana sofreu com péssimos arcos até chegar O Círculo, escrito por Gail Simone. Apesar de não se tratar de uma história de origem, todo o potencial dessa narrativa está relacionado intrinsecamente a gênese da Mulher-Maravilha.

Em Themyscyra, é revelado que um grupo de amazonas não achou natural o nascimento de uma criança na Ilha Paraíso – pior ainda quando descobrem que ela é uma semi-deusa. Esse grupo conspira para expurgar Diana dali que, em sua jornada, descobre que ela tem muito mais poder do que imagina, sem precisar a recorrer às vantagens de ser uma deidade.

7. Paraíso Encontrado

Uma das HQs que explora um dos piores momentos da vida de Diana: a morte de Hipólita, sua mãe, depois de um sacrifício para salvar a Terra. Claramente, não teríamos uma narrativa inteira de luto. Vendo sua inimiga fragilizada e o planeta em estado pré-apocalíptico, a bruxa Circe lança um feitiço que torna todos os homens em animais selvagens violentos. Como isso também afeta os heróis igualmente, Diana tem a desculpa perfeita para criar uma Liga da Justiça 100% feminina para colocar ordem no mundo novamente. Você pode comprar a versão estrangeira aqui.

6. Olhos de Gorgon

Diana Prince diplomata! Bem conveniente aos cenários “e se” do excelente Greg Rucka, temos uma narrativa que toda a Ilha Paraíso muda de lugar, ficando próxima da costa norte-americana. Escolhida para media toda a desconfortável situação, Diana se ocupa na burocracia, deixando de lado a pancadaria da justiça. Claro que isso propicia um momento ideal para seus piores vilões se reunirem a fim de derrotar Mulher-Maravilha.

Seria genérico, não fosse o jeito que Rucka delineia a história até o clímax do conflito com Diana enfrentando Medusa sendo obrigada a pedir ajuda para quem você menos imagina.

5. Paraíso Perdido

Aqui temos uma coletânea de pequenas histórias escritas por um time sensacional de roteiristas que vão desde Phil Jimenez até George Perez (sim, o mito, de novo). A proposta é sensacional: Ares retorna e decide, enfim, parar de tentar matar Diana sozinho. E onde vocês imaginam que ele encontraria aliados da pior extirpe? Exatamente, em Gotham.

Se Coringa, Espantalho e Hera Venenosa já eram um inferno para combater, tudo fica ainda pior quando Ares oferece poderes divinos para o trio. Sem conseguir deter todos sozinha, Diana recorre a Batman para ajudá-la a prender os novos falsos deuses. Além disso, uma guerra civil na Ilha Paraíso acontece logo depois dos eventos em Gotham. Você pode comprar a versão estrangeira aqui.

4. League of One

Essa one-shot é uma das grandes pérolas de todas as publicações de Mulher-Maravilha. Tudo gira em torno de uma profecia de que um dia, uma antiga ameaça retornaria para destruir a Liga da Justiça. Tendo conhecimento que um antigo e enorme dragão despertou de um sono de séculos, Diana decide confrontá-lo sozinho para impedir qualquer aliado seu morra durante o combate. Só que para impedir os colegas de partirem para a briga, Diana é obrigada a derrota-los um a um.

3. Hiketeia

Hikiteia é sensacional por trazer uma das plot twists mais inspiradas das HQs mainstream como um todo. Justamente por isso, serei breve na descrição. Começamos com Batman perseguindo uma criminosa em Gotham. Porém, ao conseguir detê-la, ninguém menos que Diana Prince aparece na situação. Mas dessa vez, não para ajudar o Batman que tem duas opções: desistir de prender a vilã ou lutar contra a Mulher-Maravilha. Vocês já imaginam o que acontece, certo?

2. Deuses e Mortais

Lembram de George Pérez? Como esquecer se já venho martelando o nome do cara na lista inteira. Aqui é onde acontece a intensa reformulação de Mulher-Maravilha após os eventos de Crise nas Infinitas Terras. Deuses e Mortais reúne os sete volumes que Pérez trabalhou para modernizar Diana Prince nos anos 1980.

Simplesmente, é uma das melhores histórias de origem, amadurecimento e coming of age de toda a DC. Muito daqui foi transportado para o filme deste ano. Vemos Diana em seu primeiro contato com o mundo dos homens, descobrindo seus poderes até a primeira luta contra Ares. É por conta dessa história aqui que sempre será impossível desassociar o nome de Diana Prince de George Pérez.

1. Espírito da Verdade

Paul Dini em seu manifesto sobre deuses e heroísmo no mundo moderno com o foco em, obviamente, Diana Prince. Acompanhamos seu cotidiano realizando diversas tarefas seja na diplomacia, no quebra-pau, salvando inocentes e militando pela causa feminina. Porém, o agravante de ter tantas responsabilidades entra em contraste com sua pureza ingênua que cativa, mas também condena. É um trabalho belíssimo, mas mais sobre o papel do herói no mundo do que um estudo de personagem extremamente sagaz. Também traz as ilustrações perfeitas de Alex Ross.

Qual a sua história preferida da Mulher-Maravilha? Comente!

Leia mais sobre DC