Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar está chegando e trazendo de volta o espírito aventureiro de uma vida de pirata. E para comemorar, vamos olhar para os títulos que melhor representam os bucaneiros no mundo dos jogos. Seja em terra ou no mar (e até no céu!), vamos atrás dos melhores tesouros eletrônicos.

Então embarquem neste navio e vamos para a lista!

7-  LEGO Pirates of the Caribbean

PS3, Xbox 360, Wii, Nintendo DS, Nintendo 3DS, PSP, PC, Mac

Apesar de não ser exatamente o jogo do Piratas do Caribe que queríamos (isso QUASE aconteceu) LEGO Pirates of the Caribbean é mais um divertido e descontraído jogo da série LEGO que reúne e homenageia uma grande franquia cinematográfica. Adaptando os 4 primeiros filmes da série, você poderá controlar desde o icônico Jack Sparrow até os bucaneiros mais desconhecidos da franquia, como a dupla de alívio cômico Pintel e Ragetti e até mesmo o cachorro que segurava a chave da cela deles. Um divertido passatempo para os fãs da franquia e aqueles que desejam se aventurar pelos mares com seus filhos ao som do clássico tema de Hans Zimmer.

6- Skies of Arcadia

Dreamcast, GameCube

Falando em piratas, há um subgênero curioso que leva o senso de aventura e caça ao tesouro para os céus. Estou falando dos air pirates, formado por aqueles que tem ambições tão altas quanto o céu sob suas cabeças. E o jogo que mais bem representa esta classe é Skies of Arcadia, jogo do Dreamcast lançado em 2000 pela SEGA. Acompanhando a história de Vyse, um jovem air pirate que junto com sua tripulação tenta impedir o império Valuan de trazer de volta antigas armas capazes de destruir o mundo. Em um clássico sistema de RPG por turno, o jogador podia explorar os 6 reinos do jogo com sua airship, encontrando itens e segredos nas áreas do jogo. Uma das franquias mais adoradas do Dreamcast, é ainda um ótimo RPG para aqueles que desejam se aventurar pelo mundo aéreo de Arcadia.

5- Franquia Shantae

PS4, Xbox One, PSVita, Game Boy Color, Nintendo DS, Nintendo 3DS, Wii, Wii U, Switch, PC, iOS

A franquia Shantae não é muito conhecida pelo grande público, tendo seu título de estréia no Game Boy em 2002. Ultimamente a série recebeu mais atenção após o lançamento da sequência, Risky’s Revenge, para Wii e mais recentemente com seu terceiro e quarto títulos para a geração atual de consoles, Pirate’s Curse e Half-Genie Hero, lançado com a ajuda de uma campanha no Kickstarter pelo estúdio criador da série, WayForward. Durante toda a série, controlamos Shantae, uma garota meio-gênio capaz de usar magias e ataques com o seu cabelo (!). Seus inimigos geralmente consistem de piratas que saqueiam vilarejos. Apesar de não controlarmos um pirata, a história da franquia sempre foi enraizada na aventura e na caça ao tesouro, e unido pela jogabilidade metroidvania onde Shantae adquire habilidades e itens piratas para alcançar novas telas como pistolas, canhões e cimitarras, traz um excelente jogo de plataforma 2D.

4- Zack & Wiki: Quest for Barbaros’ Treasure

Wii

Poucos conhecem esta joia rara do Wii. E não se enganem pelo visual cartunesco e pela plataforma de origem, Zack & Wiki: Quest for Barbaros’ Treasure é um dos games de puzzles mais difíceis feitos usando a tecnologia de motion control do console da Nintendo. Desenvolvido pela Capcom em 2008, acompanhando a história do simpático pirata Zack e seu macaco dourado Wiki, a bordo da tripulação dos piratas coelho. Certo dia seu barco é atacado e os dois acabam parando em uma ilha conhecida por conter um misterioso tesouro bárbaro. Em uma série de puzzles, o jogador controlava Zack apontando e clicando na tela, resolvendo quebra-cabeças que se utilizavam dos controles de movimento do Wiimote para encaixar peças em certos ângulos ou usar da física do jogo. Mas como boas armadilhas piratas, o jogo não perdoa e entrega problemas de quebrar a cabeça, sendo recomendado para jogadores mais experientes com o gênero. Ainda sim uma ótima pedida pelo seu visual cartunesco encantador e a carismática dupla de protagonistas.

3- The Secret of Monkey Island

PS3, Xbox 360, Amiga, DOS, Mac, MegaDrive, Sega CD, Atari ST, FM Towns, Amiga CDTV, PC, iOS

Um adventure point-and-click que mudou tudo. Este é The Secret of Monkey Island, de 1990 o título que fez a fama para a desenvolvedora LucasArts e o diretor do jogo, Ron Gilbert, Além de ser o primeiro jogo co-roteirizado por Tim Schaffer, inventivo e produtivo criador de jogos do gênero como Full Throttle, Grim Fandango e Day of the Tentacle. Inspirado na atração Pirates of the Caribbean do parque temático da Disney, Schaffer e Gilbert criaram uma aventura bem-humorada e criativa capturando os principais elementos de uma história clássica pirata. Controlando o jovem Guybrush Threepod, pirata que sonha em se tornar rico e famoso indo atrás de tesouros, a aventura rendeu diversas sequências e se tornou uma das prolíficas franquias do gênero.

2- Sid Meier’s Pirates!

Xbox, Xbox 360, PSP, Wii, NES, Mac, iOS, Amiga, MegaDrive, Commodore 64, DOS, Atari ST, AmigaOS, Apple II, Amstrad CPC, NEC PC-9801, NEC PC-8801, PC

Sid Meier’s Pirates! é talvez o jogo da lista que mais se encaixa nas definições clássicas de um simulador pirata. Em um jogo de estratégia desenvolvido pela desenvolvedora MicroPose e dirigido pelo criador da série Civilization, Sid Meier, tínhamos em Pirates! a possibilidade de ser um pirata, corsário ou um caçador de piratas e adotar uma das nacionalidades (britânico, francês, espanhol ou holandês), navegando pelos mares e enfrentando outras frotas. O jogo ficou conhecido por adaptar muito bem personagens famosos da pirataria, como Henry Morgan, William Kidd, Jack Rackman e, é claro, o infame Barba Negra. Mesmo tendo 30 anos nas costas, Pirates! é um ótimo exemplo de como utilizar temática a favor da imersão no gameplay.

Menção Honrosa: Uncharted 4: A Thief’s End

CUIDADO! Spoilers de Uncharted 4

PS4

Apesar de não ser necessariamente um jogo de piratas, a última aventura de Nathan Drake traz talvez uma das mais fascinantes histórias sobre o tema. Após reencontrar seu irmão, Sam, Drake parte para Libertalia, dita como a lendária cidade pirata construída por Henry Avery e seus aliados. Lá, ele encontra uma vila abandonada há séculos, com esqueletos de piratas e moradores do local, abandonada após uma série de traições e conspirações entre seus líderes. A última parte de Uncharted 4 te faz atravessar áreas que parecem tiradas de um filme pirata, de antigas mansões luxuosas, passando por cavernas infestadas de armadilhas e culminando em um grande cemitério de navios. E se isso não bastasse, a luta contra o vilão do jogo, Rafe Adler, é realizada em um duelo de espadas em um antigo navio piratas em chamas!

1- Assassin’s Creed IV: Black Flag

PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One, Wii U, PC

Apesar de não ser uma franquia especializada no assunto, Assassin’s Creed IV: Black Flag é o melhor jogo de piratas já feito por encapsular tudo que queremos de uma vida de pirata (Yo-ho, yo-ho!). Trazendo exploração, aventura e ação em um gigantesco e ambicioso pacote. Controlando Edward Kenway pelos mares caribenhos através de uma simulação do Animus. O fascinante foi como o jogo conseguiu encaixar mecânicas estabelecidas previamente pela franquia em um espaço totalmente diferente, dando as ferramentas para um jogo sólido em todos os aspectos. O gameplay de parkour foi muito bem implementado em espaços de floresta e ruínas antigas. As batalhas de navio do terceiro título deram a solução perfeita para uma batalha marítima, e tudo isso amarrado com lindos gráficos. Mesmo quem não gosta de Assassin’s Creed aprovou esta épica aventura nas águas misteriosas do Animus.