em ,

Ministério da Economia propõe acabar com a meia-entrada

Desde o mês passado, a ANCINE abriu uma consulta pública sobre a influência da obrigatoriedade legal de meia-entrada sobre o mercado exibidor brasileiro e deve ser encerrada em 13 de agosto.

Segundo um estudo do órgão, em 2019, cerca de 80% dos ingressos de cinema vendidos foram meia entrada (59,75% legal, 17,27% promocionais e 2,34% cortesias). Como diversos outros órgãos econômicos ao redor do mundo, a ANCINE crê que a existência da meia entrada acabe elevando o preço do ingresso integral, fazendo com que todos acabem pagando mais caro.

Segundo o Estadão, o Ministério da Economia se pronunciou sobre o assunto e propôs a extinção de todas as regras que garantem o benefício para estudantes, idosos, entre outros.

Fernando Capez, secretário de Defesa do Consumidor é contra a medida: “Isso é retirar um direito consolidado do consumidor. Não há nenhuma garantia de que isso vai resultar em ingressos mais baratos”.

Por enquanto, tudo segue normalmente, mas há chance disso mudar em breve.

O que você achou desta publicação?

Avatar

Publicado por Matheus Fragata

Editor-geral do Bastidores, formado em Cinema seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Parar de exibir Chaves é uma “agressão às pessoas”, diz atriz de Dona Florinda

Elenco de X-Men 2 ameaçou sair da produção por causa do diretor Bryan Singer