em

Mulher explodiu banheiro na tentativa de matar uma barata

O asco de baratas é um ponto em comum entre diversas pessoas. Matar essas criaturas rastejantes que parecem ter vindo do Inferno é um desafio para muita gente. 

Enquanto uma bela chinelada resolve o problema, muita gente vai além em suas tentativas de matar esses insetos. Porém, por mais que você seja criativo ao planejar diversas formas de eliminar esse inseto resistente, dificilmente vai superar o exagero de uma mulher tawianesa nesse ano. 

Uma faxineira estava limpando um banheiro em Chungli. No meio de seu trabalho, se deparou com uma barata que parece ter despertado toda a fúria do seu ser. 

Ao atingir a barata com seu sapato, ela pegou o inseto e o jogou no vaso sanitário. Nisso, ela pegou em seu carrinho de limpeza diversos produtos inflamáveis, misturando seu conteúdo na privada que logo se tornou um caldeirão. Não bastasse ter criado uma poção mortal, a mulher achou que isso não seria suficiente para dar cabo à barata. 

Por conta disso, jogou um fósforo aceso dentro da privada que, obviamente, resultou em uma explosão forte. Por um milagre, a mulher não morreu, mas fez questão de procurar a barata para averiguar se a criatura tinha morrido. 

Ao ser entrevistada, ela não estava preocupada em ter explodido o banheiro. Não se sabe se a empresa vai obrigar a faxineira a pagar pelos danos causados. Até mesmo o escritório ao lado do banheiro foi afetado pela explosão.

Fonte.

O que você achou desta publicação?

Avatar

Publicado por Matheus Fragata

Editor-geral do Bastidores, formado em Cinema seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Designer cria Soldadinhos de Guerra em poses de Yoga para ensinar a paz

seriado witcher 3

Análise | The Witcher 3: Wild Hunt – A Revolução do RPG