É um clichê comum atacar qualquer remake ou readaptação de língua americana para uma obra estrangeira. Porém, ainda que em sua maioria sejam esforços desnecessários, existem casos onde a segunda versão é infinitamente superior do que a original, o que nos leva a Os Homens que Não Amavam as Mulheres.

O filme de David Fincher é uma obra muito melhor e mais sofisticada do que a versão para a TV de Niels Arden Oplev, e o video essay do canal SceneCraft faz um trabalho fantástico ao analisar os motivos simples que ilustram essa superioridade. Basicamente, o vídeo ilustra as escolhas de direção entre ambos os filmes nas mesmas cenas, resumindo o processo na criação de “uma cena razoável vs uma cena expert”.

Confira:

Você concorda com o vídeo?

Só espero que Fede Alvarez tenha o mesmo apuro de Fincher em sua adaptação de A Garota na Teia de Aranha