Parece que o One Million Moms, grupo de mães unidas para, de acordo com seu site, “lutar contra a indecência”, andou assistindo a série Preacher do AMC. Baseada nos quadrinhos da DC de Garth Ennis e Steve Dillon, ela está em sua segunda temporada e conta a história de um ex-pastor que, após um evento sobrenatural que muda sua vida, aproveita a ajuda de um vampiro para encontrar Deus.

Nervosos com o conteúdo que eles mesmos caracterizaram como uma blasfêmia, o OMM redigiu uma carta extensa de boicote à série. Confira o material na íntegra. Mas cuidado! A carta é repleta de SPOILERS – descritos em detalhes – do episódio mais recente, “Dirty Little Secret”.

A série “Preacher”, do AMC, é divulgada como um bom divertimento sangrento e vai ao ar durante o horário nobre. O “pregador” no show está longe de ser nobre, e o programa comete blasfêmias contra Jesus em seu último episódio, com o Filho de Deus representado como um pervertido sexual mentiroso. O episódio começa com uma cena especialmente gráfica de Jesus transando e termina com um Messias fruto de incesto. O AMC continua a colocar no ar este programa anticristão nas noites de segunda, entre 09:00 ET/08:00 CT.

Primeiramente, você pode ter certeza que considerando a classificação indicativa de televisão, a série não é apropriada para a TV. “Preacher” é mais uma tentativa de distorcer a verdade sobre o Cristianismo. O programa repleto de sacrilégios zomba do Cristianismo e ridiculariza pessoas de fé. Esse show pesado enjoa quem acredita em Deus com seus conteúdos blasfemos.

No episódio “Dirty Little Secret”, o personagem principal, Jesse Custer, procura por Deus e eventualmente cruza o caminho da organização religiosa conhecida como The Grail. O show decide passar em seus primeiros cinco minutos uma cena de Jesus Cristo fazendo sexo gratuito com uma mulher casada na noite em que é preso no jardim de Gêtsemani. Eles são mostrados gemendo e gritando em múltiplas posições durante essa cena extremamente gráfica.

Em uma longa série de silhuetas em sombra o Filho de Deus é representado tomando parte em todos os atos sexuais e posições imagináveis acompanhado de grunhidos e gemidos. A mulher com quem ele está fala para esse personagem de Jesus não se preocupar, já que o marido dela não irá para casa durante os próximos dias.

Depois da maratona sexual, Jesus admite ser virgem e se prepara para ir embora, sutilmente fazendo referências à Última Ceia e sua crucificação vindoura. Ele é, então, encontrado por seus discípulos e mente para sair da situação, mas nem todos acreditam. A conversa termina com as palavras “legal” e “suave”.

O programa, sem respeito algum, zomba de Jesus e da fé Cristã e já foi longe demais. O AMC passou dos limites iludindo espectadores a respeito de Jesus Cristo, mas nunca em um milhão de anos colocaria no ar um programa difamando Maomé de uma maneira similar, por medo de represálias instantâneas e violentas.

Jesus Cristo retratado como um viciado em sexo que mentiu para seus discípulos a respeito do Salvador de toda a humanidade na noite de sua traição em Gêtsemani é apenas o começo. O episódio nojento não acaba aí. O programa termina com o descendente de Jesus mentalmente deficiente como um resultado de incesto. Ele urina no ex-pastor, Jesse Custer, porque Ele não entende, e então mostra Suas partes privadas.

O AMC está promovendo e apoiando intolerância e animosidade contra pessoas de fé.

Tome Ação

Some sua voz hoje! Por favor assine nossa petição para o AMC, pedindo para a emissora fazer um pedido de desculpas por zombar do Lorde Cristão e Jesus Salvador e cancelar esse programa cheio de blasfêmias, Preacher, imediatamente.

Será que isso impedirá uma terceira temporada? Se o AMC vai dar atenção à essa petição ou não é outra história. Por enquanto, podemos esperar o próximo episódio, que vai ao ar nos Estados Unidos dia 28 de agosto.