em , ,

Crítica | Sanguessugas: Uma Comédia Marxista sobre Vampiros – Sem graça e sem ritmo

Antigamente as peças de teatro eram divididas em comédias e tragédias. Não necessariamente uma comédia era o que consideramos hoje como alavanca para riso, mas meramente uma definição para o que não fosse drama. Em Sanguessugas: Uma Comédia Marxista, presente na 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o termo comédia é justamente isso.

Dividido em capítulos breves, o filme mostra uma pequena ilha com personagens que estão sob a impressão de que as descrições de Marx sobre um capitalista, são parecidas com as de um vampiro.

A trama segue nesse viés de maneira direta no começo e depois tenta criar uma ambiguidade, que simplesmente faz o filme capotar nas duas rodas. Algo que seria útil para sustentar toda essa abordagem – pasmem – era a própria comédia! Ou terror. De qualquer maneira, a ideia vai se diluindo aos poucos.

Começamos com uma turma de jovens que leem o Capital em círculo nos belos gramados da ilha. Depois conhecemos Anton, interpretado por Aleksandre Koberidze, que era um operário desiludido com a vida após ser cortado de uma ponta como ator em Outubro, de Sergei Eisenstein. Ele é recepcionado por Octavia, uma ricaça da região, que vive da tarde para a noite e evita a luz do sol.

O núcleo de Octavia, interpretada por Lilith Stangenberg, tem alguns convidados e um serviçal Jakob, interpretado por Alexander Herbst, que lembra muito Renfield, o fiel escudeiro de Drácula. A relação até ganha um fôlego, por ele ter dúvidas sobre a classe rica ser vampiresca e sua paixão pela patroa.

Sem nenhum esforço, o filme evolui para uma própria sátira. Anton os leva a querer fazer filmes, Octavia começa a refletir sobre o vampirismo e, no melhor capítulo do filme, Jakob tem uma jornada de autoconhecimento. A direção de Julian Radlmaier se prova eficaz, mas até certo ponto uma boa cena ou belo plano sustenta um roteiro com mais ideais do que expressões.

Provavelmente feito para os entusiastas de socialismo versus capitalismo, este Sanguessugas não diverte e nem entretém.

Sanguessugas: Uma Comédia Marxista sobre Vampiros (Blutsauger, Alemanha – 2021)

Direção: Julian Radlmaier
Roteiro: Julian Radlmaier
Elenco: Alexander Koberidze, Lilith Stangenberg, Alex Herbst, Corinna Harfouch, Andreas Döhler
Gênero: Comédia
Duração: 125 min

Acompanhe mais da nossa cobertura da 45ª Mostra Internacional de São Paulo

O que você achou desta publicação?

Publicado por Herbert Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Crítica | O Compromisso de Hasan – Efeito bola de neve

Set com Alec Baldwin teve acidente anterior com arma e parte da equipe se demitiu horas antes da tragédia, diz site