em , ,

Crítica | What If…? – 01×04: E Se… O Doutor Estranho perdesse o Coração ao invés das Mãos?

Eu acho que What If…? finalmente está justificando sua existência. Olhei torto para os dois primeiros episódios, que simplesmente trocavam personagens de cenários para elaborar trocadilhos e piadas internas dentro do MCU, mas enxerguei um potencial maior no capítulo da semana passada, que audaciosamente matava seus principais heróis em um thriller de serial killer – ainda que prejudicado pelo humor pastelão da empresa. Nesta semana, temos o potencial alcançado.

Partindo de uma premissa mais metafísica do que literal, O Que Aconteceria se o Doutor Estranho perdesse o Coração ao invés das mãos? é uma obra de complexidade surpreendente. Tendo o Mago Supremo de Benedict Cumberbatch como protagonista, o episódio imagina como teria sido a jornada de Stephen Strange se o acidente de carro que ocasionou sua incursão nas artes místicas não tivesse levado suas mãos, mas sim sua amada Christine Palmer (Rachel McAdams, reprisando o papel).

Magia real

É uma clássica história de obsessão em torno de um ente perdido. O rumo de Strange para se tornar o Doutor Estranho é praticamente o mesmo, mas a obsessão em torno de Christine cria um protagonista muito mais amargurado e sombrio, tomando emprestada uma dose grande de H.G. Wells ao acompanhar Strange determinado a usar o Olho de Agamotto para voltar no tempo inúmeras vezes a fim de mudar o curso daquela noite trágica – mas com resultados igualmente deprimentes e melancólicos. É uma narrativa muito mais densa e dramática do que o MCU ocasional, até evitando usar tantas piadinhas e quebras de humor que costumam atrapalhar o grande potencial desses filmes.

Eu diria até mesmo que este quarto episódio de What If…? consegue aproveitar melhor o potencial do Doutor Estranho do que seu próprio filme solo. Apesar do visual inventivo e as claras limitações de uma história de origem, Scott Derrickson estava preso a um filme formulaico da Marvel Studios, com suas maiores ousadias vindo puramente de um nível de efeitos visuais. O que A.C. Bradley e Matthew Chauncey conseguem fazer nestes enxutos 30 minutos é um estudo de personagem profundo e ousado, levando a história para um universo de possibilidades macabras e trágicas. O antagonista desse episódio, assim como seu clímax arrebatador, são de cair o queixo, e até mesmo a animação que não havia me conquistado no início da série consegue ser bem melhor aproveitada para uma batalha de poderes místicas bem divertida.

Não há a menor dúvida de que What If…? atingiu seu ponto mais alto até agora com esta fábula sombria do Doutor Estranho. Eu até diria que faz anos que algo do MCU não me causa um impacto tão grande quanto essa pequena joia. Torço para que o Doutor Estranho, um excelente personagem, seja tão bem aproveitado por Sam Raimi em sua próxima aventura nos cinemas como aconteceu em forma animada.

What If…? – 01×04: E Se… O Doutor Estranho perdesse seu Coração ao invés das Mãos? (What If… Doctor Strange Lost his Heart instead of his Hands?, EUA – 2021)

Showrunner: A.C. Bradley
Direção: Bryan Andrews
Roteiro: A.C. Bradley
Elenco: Jeffrey Wright, Benedict Cumberbatch, Rachel McAdams, Tilda Swinton, Benedict Wong, Leslie Bibb
Gênero: Aventura
Streaming: Disney+
Duração: 30 min

Clique aqui para acessar o Guia de Episódios

O que você achou desta publicação?

Publicado por Lucas Nascimento

Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vítima de racismo, Nego Di faz boletim de ocorrência

Gal Gadot responde aos ataques por decidir interpretar Cleópatra nos cinemas