Uma palavra que pode ser usada para definir o personagem Deadpool é fenômeno. Após o sucesso do filme lançado em 2016, o Mercenário Tagarela adquiriu uma fama gigantesca entre os fãs de cultura pop, com a sua popularidade chegando a ser comparada com a de outros personagens famosos como Batman e Homem Aranha. Se em 2016 o anti herói conquistou fama mundial, entre o público leitor de quadrinhos ele já tinha relevância, devido ao seu humor característico e suas histórias repletas de ação.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Para aqueles que desejam conhecer mais sobre o personagem, preparei uma lista com as melhores HQS do Deadpool. Como a maioria das minhas listas não existirá um ranking, a posição do quadrinho não vai indicar se ele é melhor ou não que o anterior.


PECADOS DO PASSADO

Uma das primeiras histórias solo do personagem, Pecados do Passado foi escrita pelo grande escritor de quadrinhos Mark WaidEssa história foi a responsável por dar as bases principais para o personagem, pois é apresentado para nós sobre o seu passado,e descobrimos todas as razões por ele se tornar tão problemático. É nesse arco que vemos pela primeira vez o seu rosto desfigurado, resultado do experimento que fez para tentar curar seu câncer. Percebemos aqui que todo o sarcasmo e arrogância  do personagem é apenas uma maneira de tentar fugir do seu passado.


EI, É O DEADPOOL

Em 1997, seria lançada a primeira revista solo do Mercenário Tagarela, que foi assumida por aqueles que muitos consideram o melhor escritor que passou pelo personagem, Joe KellyNa primeira história do título, Kelly trabalha com as bases deixadas por Waid, onde vemos Deadpool continuando em busca de vingança contra responsável pela sua desfiguração, Doutor Killebrew. Esse primeiro arco já mostra o que o roteirista pretendia fazer com as histórias do personagem, deixa-las com um tom de sátira e trazer diversas referências ao mundo pop. Resumindo, tudo o que se conhece de Deadpool hoje, começou com esse pequeno arco.  Kelly também seria responsável por trazer a característica mais marcante do personagem, a quebra da quarta parede.


COM GRANDES PODERES, VEM GRANDES RESPONSABILIDADES

Como dito anteriormente, Joe Kelly foi o responsável por transformar o personagem naquilo que ele é hoje, ao adicionar as características que o tornariam amado pelos fãs. O roteirista ficou responsável pelo volume 1 do personagem até o número 33, e escreveu histórias hilariantes. Uma das mais lembradas, e também considerada uma das mais engraçadas, aconteceu na edição 11 da revista.

Na história, Wade e sua parceira, a velhinha Al Cega, viajam para o passado, mais precisamente para o número 47 da revista Amazing Spider Man. Chegando lá, eles se disfarçam de Peter Parker e Tia May, enquanto tentam descobrir como voltar para o presente. Peter Woods faz um remix da arte de John Romita Jr, e Kelly faz mudanças nos diálogos da história, a levando pra contornos absurdos, e com críticas aos anos 60. Uma das histórias mais engraçadas do personagem.


CABLE E DEADPOOL: SE OLHARES PUDESSEM MATAR

Cable e Deadpool foram dois personagens bastante aclamados dos anos 90. Suas histórias traziam tudo aquilo que era comum na época, muita violência, desenhos exagerados, e ação sem limite. Porém, no início dos anos 2000, os fãs começaram a se cansar das suas histórias, que se tornavam bastante repetitivas. Foi então que a Marvel teve a grande ideia de fazer uma revista com os dois personagens juntos.

O responsável por iniciar o título foi o roteirista Fabian Nicieza, que conseguiu dar um motivo bastante coerente para que dois antigos rivais passassem a trabalhar juntos. O equilíbrio entre o soldado sério e pessimista do futuro, e o mercenário tagarela dá muito certo, e a revista dura até o número 50.

REIS SUICIDAS

Após atender a um chamado de ajuda, Deadpool acaba sendo acusado de um crime que não cometeu. Isso faz com que o Justiceiro vá em sua caça, determinado a mata-lo. Entram em cena o Demolidor e Homem-Aranha, que mesmo não concordando com muitas das atitudes do personagem, afirmam que ele merece um julgamento justo.

O legal da história não é apenas o alto nível de ação, e sim o fato de vermos o Mercenário Tagarela interagindo com outros personagens que não os X-Men, principalmente é interessante ver a relação dele com o Homem Aranha, dois personagens marcados pelo humor.


MEUS QUERIDOS PRESIDENTES

Um necromante, que tem o desejo de consertar o país, traz de volta a vida diversos ex-presidentes já falecidos. Porém, estes retornam sem nenhum senso de moral, dispostos a tudo para cumprir a missão que foi lhes dada. A Shield então convoca Deadpool para que ele volte esses zumbis de volta ao túmulo, e o Mercenário vai ter a ajuda do fantasma de Benjamin Franklin, que não deseja ver o país que fundou sendo destruído.

A história foi o inicio dos comediantes  Gerry Dungan e Brian Posehn como roteiristas do volume 3 do personagem, e ja mostra que eles abraçaram totalmente o lado ridículo e grotesco do Deadpool, e ainda sabem usar muito bem o humor para lidar com vários momentos políticos históricos dos Estados Unidos.


A GUERRA DE WADE WILSON

Fora da continuidade dos quadrinhos, A Guerra de Wade Wilson é uma história que reformulou as origens do personagem. Na história, Wade faz parte de um grupo secreto de assassinos, que teve participação em um massacre numa vila mexicana. O governo americano decide investigar, e então chama Deadpool para depor, visto que ele foi o único sobrevivente da operação.

Wade então começa a contar os fatos sobre ações do grupo, e também sobre a sua criação a partir do experimento Arma X.  Devido a sua total insanidade ao narrar os acontecidos, fica difícil saber o que é real ou não, ou se tudo não passa da invenção de sua cabeça maluca. Fica a critério de cada um.


O BOM, O MAU E O FEIO

Duggan e Posehn foram bastante elogiados por suas histórias no volume 3 do Mercenário Tagarela. O ápice dos escritores foi na história O Bom, O Mau e o Feio, onde eles reuniram os 3 personagens que foram criados a partir de experimentos científicos, Capitão América, Wolverine, e é claro Deadpool. Na trama, os 3 vão até a Coréia do Norte, e descobrem que os órgãos do Mercenário Tagarela estavam sendo usados para criar imitações dos X-Men.

Além do bom humor característico dos personagens, temos também um lado mais sério, mostrando aquele lado mais conturbado e trágico da vida de Wade, que ele constantemente tenta se esquecer. O roteiro sabe dosar muito bem o humor com o drama, e faria com Sergio Leone tivesse orgulho da homenagem.

Comente!