Se há uma criatura no gênero da fantasia/terror que até os dias de hoje habitam produções da cultura pop, esse é sem dúvida o Vampiro. Desde sua criação por John Polidori (crédito as vezes dado a Lord Byron) no livro O Vampiro esse ser imortal aparece em diversas séries e filmes fascinantes. A seguir elaboramos uma lista com 10 filmes ótimos desse universo dos vampiros.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

10. Vampiros de John Carpenter (1998)

Pode-se dizer que é uma das últimas produções relevantes e cativantes de John Carpenter. Não é uma longa excelente no que se refere a direção, o roteiro é que tem uma boa ideia ao abordar o universo dos vampiros como realmente é. A história chega a parecer um rpg do gênero com um vampiro mestre com vários seguidores. Provavelmente o mais interessante do filme é a definição de um vilão desde seu início. Valek é um vampiro secular e muito poderoso e o protagonista precisa vencê-lo para que ele não consiga finalizar seu plano de poder andar pela luz do dia e assim dominar o mundo.

9. O Que Fazemos Nas Sombras (2014)

Em filmes de vampiros já vimos esses seres em quase todas situações e em cada nova produção fica mais difícil fazer algo original. Em O que Fazemos Nas Sombras, filme dirigido pela dupla Jemaine Clement e Taika Waititi – que antes de Thor Ragnarok já mostrava ter jeito para o humor – é uma comédia deliciosa e faz rir espontaneamente sem precisar forçar nas piadas ou nas situações em que os vampiros se metem.

8. Fome de Viver (1983)

Quem curte filmes de terror da década de 80 precisa assistir a este clássico. Uma produção que transcende o tempo com personagens belos e ao mesmo tempo perversos com um elenco de peso os interpretando, composto por atores consagrados como Susan Sarandon e Catherine Deneuve, além do astro do rock David Bowie. O ótimo trabalho de direção de Tony Scott (Top Gun) nos lembra como um roteiro simples e uma trama bem construída podem sim ser bastante assustador sem precisar forçar para causar medo.

7. Quando Chega a Escuridão (1987)

Muito antes de Kathryn Bigelow ganhar o Oscar por Guerra ao Terror ela dirigiu esta produção sombria e sangrenta que por vezes é desconhecida pelo público do gênero. Trama ao estilo road movie segue um grupo de vampiros que ataca quem passa pelas estradas nos Estados Unidos. É um filme trash que tem como ideia realmente mostrar os vampiros como simples assassinos que saem para caçar a noite, com a diferença do protagonista interpretado por Bill Paxton (O Círculo) que tem uma certa moral que é a de não querer matar para saciar sua sede de sangue. A fotografia também é um ponto forte para o filme, dando um ar mais lúgubre para as cenas.

6. Amantes Eternos (2013)

Outra obra atemporal que trabalha o lado romântico – e sanguinário – dos vampiros com foco na melancolia dos personagens em estarem cansados de viverem tanto tempo, presos na imortalidade da vida. Quem está acostumado com produções com mais ação não irá gostar do jeito que a narrativa é conduzida pelo diretor Jim Jarmusch (Paterson) de forma maçante, mas seu ritmo é o necessário para o que a história pede. Tilda Swinton e Tom Hiddleston estão ótimos como os amantes vampiros, há uma sensibilidade na relação dos dois que é difícil de encontrar até mesmo em produções que pedem esse tipo de sentimento.

5. Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014)

Longa de estreia de Ana Lily Amirpour é uma das produções mais fantásticas do gênero. Ao longo de sua história vamos conhecendo mais sobre a garota que anda pela noite nas ruas de Bad City (cidade iraniana) matando pessoas. Feito em preto em branco dá um tom a mais e o deixa lindo visualmente. O contraste entre a garota com capa preta durante a luz da noite chega a ser assustador e ao mesmo tempo belo. Alguns podem o julgar como sendo parado pela falta de ação, mas essa é a ideia da diretora. Não precisa fazer um filme sobre vampiro com violência extrema ou correria, há outros caminhos e Ana Lily o mostrou para o telespectador. 

4. Deixa Ela Entrar (2008)

Não há uma lista sobre vampiros que Deixa Ela Entrar não esteja presente. Produção sueca dirigida por Tomas Alfredson (Boneco de Neve) tem uma simbologia fascinante e uma trama que gira em torno de um adolescente que sofre bullying dos colegas. Há uma questão humana em sua narrativa, mesmo com cenas tão sangrentas, e ela está presente no jeito com que o garoto a trata.

3. Entrevista Com o Vampiro (1994)

Dois dos maiores atores de sua geração compõem o elenco desta ótima adaptação da obra da escritora Anne Rice. O trabalho de recriação de época em que os vampiros Lestat  (Tom Cruise) e Louis de Pointe du Lac (Brad Pitt)  viveram é fascinante e necessária para mostrar que ambos são vampiros muito velhos e poderosos. Lestat é um vampiro antigo quando conhece Louis De Pointe e quando o diretor nos mostra Louis no presente, conversando com o repórter descobrimos que ele mesmo se tornou um ser antigo e perverso tanto quanto Lestat o foi. O trabalho de direção fica a cargo de Neil Jordan que algum tempo depois dirigiu o belo Byzantium: Uma Vida Eterna, também sobre vampirismo.

2. Drácula de Bram Stoker (1992)

Drácula já foi retratado de diversas formas no cinema, em alguns momentos não necessariamente com o nome de Drácula, mas com alguma referência explicita ao lorde das trevas. O Vampiro da Transilvânia ganhou uma das melhores adaptações feita pelas mãos de Francis Ford Copolla (O Poderoso Chefão). Gary Oldman interpreta Drácula e aqui ele é representado de início como um homem rico e que busca o amor de sua amada reencarnada para depois o mostrar de forma horrenda. Copolla prefere não ir para o lado da fantasia e sim pelo lado realista do terror, criando um Drácula que poderia sim estar presente nos dias de hoje disfarçado como outra pessoa.

1. Nosferatu (1922)

Nosferatu é um clássico e possivelmente o primeiro filme a trazer um vampiro em sua história. Em preto e branco somos confrontados com um ser milenar que é um verdadeiro vampiro raiz, cruel e que deseja poder. Para a época é muito bem dirigido e roteirizado, principalmente sua fotografia com as sombras sendo bem empregadas e a caracterização dos personagens bem construída, com destaque para o vilão. A tensão é muito bem empregada e que não perde em nada para as produções de terror atuais. 

Comente!