Certamente essa é uma pergunta que muita gente que acompanha os quadrinhos do Batman deve ter se perguntado em algum momento da leitura. Afinal, os vilões do herói sempre retornam para cometer atrocidades terríveis capazes de destruir até mesmo o espírito do personagem. 

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Ainda assim, ele se recusa a matá-los. Então, por que raios o Estado, no caso, Gotham City, simplesmente não condena esses vilões para a pena de morte? Sim, sei que algum engraçadinho responderá: para termos mais quadrinhos para ler! 

Isso é óbvio e estamos carecas de saber. Mas, na verdade, existe uma resposta pouco habitual para isso. 

Primeiramente, cidades e municípios não possuem qualquer controle sobre a questão da pena de morte. Isso é totalmente controlado pelo governo estadual e federal nos Estados Unidos. Levando em conta que Gotham City está em algum lugar entre Nova Jersey e Connecticut, simplesmente não existe a possibilidade da pena de morte no regime penal. 

Como muitos fãs sabem, Gotham está localizada na área de Nova Jersey que aboliu a pena de morte em 2007. Em Connecticut, a punição foi abandonada em 2012. 

Simplesmente, funcionando como um espelho da realidade, não há como Batman se livrar dos vilões através das mãos do Estado. 

Mas se considerarmos que Gotham fica em um estado no qual há a possibilidade da pena de morte, muita gente vai acreditar na confusão dos termos envolvendo insanidade – logo, impedindo que alguns vilões fossem executados.

Na legislação dos EUA, um cidadão processado em um caso no qual há a possibilidade dessa punição, geralmente alega insanidade. Mas o que isso realmente significa? O insano, para o direito penal americano, é alguém que não tem responsabilidade de seus atos. Eles ferem não por índole, mas pelo impulso irrefreável de suas naturezas, não há um planejamento claro ou lógica em suas ações. 

Entretanto, felizmente para o Morcego, inúmeros de seus vilões não são “insanos” no termo legal.

Como os advogados americanos nerds James Daily e Ryan Davidson explicam, o Coringa pode ser um indivíduo psicopata, mas ele não é psicótico, afinal ele sempre se controla e planeja antes de matar e explodir hospitais. Ele sabe que o que faz é um ato ilegal a ponto até de debochar das leis como faz em diversas histórias do personagem. 

Portanto, dessa forma, Coringa, Hera Venenosa, Mr. Freeze, Crocodilo, Pinguim, Bane, Capuz Vermelho e Espantalho com certeza seriam executados em uma cadeira elétrica ou com a infame injeção letal. Um dos poucos vilões que talvez escapasse da condenação e de fato fosse definido como insano seria Duas-Caras, Ventríloquo e o Chapeleiro Louco.

Mas Gotham não existe na vida real e, portanto, os roteiristas podem continuar perpetuando a definição atrapalhada de insanidade para os vilões do Batman. Somente em um quadrinho, The Joker: Devil’s Advocate que há a menção da pena de morte em Gotham na qual o personagem acaba condenado. Entretanto, como se trata de uma história limitada, não se sabe se esse elemento é canônico.

Comente!