O Mau Exemplo de Cameron Post (Desiree Akhavan) é uma produção que trata de um assunto que vem ganhando bastante destaque no cinema que é a questão da cura gay e a violência com que esse método é empregado pelos centros que a propõem, algo que já foi debatido com êxito em Boy Erased: Uma Verdade Anulada e que também é o centro da discussão do longa de Desiree Akhavan

O filme conta a história de Cameron (Chloë Grace Moretz) uma garota que é flagrada se relacionando com outra garota e é enviada para um acampamento que tem como propósito a cura gay por meio da religião. A partir do momento que a jovem é enviada para o local a diretora passa a se preocupar em mostrar todo o cotidiano da garota durante o período do tratamento, desde a sua chegada até os momentos de desespero pela situação que passa, mostrando como se Cameron estivesse mesmo em uma situação de cárcere privado, estando lá contra sua vontade. Diferente do que ocorreu em Boy Erased, em que o foco era não apenas a vida do protagonista no centro de cura, mas também com o convívio com seus pais, a diretora não pensa em trabalhar esse cenário no longa e não se dispõem a tratar da vida de Cameron fora do alojamento.  

Isso torna o filme bastante superficial em tratar de um assunto que é o tema central da produção, que é a cura gay. Tal fato é retratado pelo ponto de vista dos jovens que estão ali e suas rotinas, mas não vai além disso. Não mostra um convívio externo e nem a relação dos personagens com seus pais, apenas há momentos em que é mostrado, via flashbacks, os acontecimentos que levaram Cameron até ali, mas nada muito aprofundado nem muito discutido. Nem sua relação com sua tia é muito debatido, apenas apresentado de forma rápida.

Por se tratar de um filme que aborda uma situação que realmente ocorre é de se pensar que o jeito com que a diretora iria tratar a trama seria pelo menos de modo intenso e emocionante, mas parece que Desiree não sabe ao certo qual caminho tomar com o longa. Primeiro que ao trabalhar o foco no tratamento da garota e ocultar sua vida antes de parar no local, acaba por perder o charme e uma interação com o público que faria com que o telespectador se inserisse com maior facilidade na história. 

A cura gay em si poderia ter sido melhor aprofundada, não o seu significado e seus métodos, mas sim o propósito de um lugar como o apresentado no filme existir, isso do ponto de vista de quem criou o lugar e dos pais que colocam os filhos nesta situação. Não há uma discussão também na violência psicológica do tratamento com que os jovens são envolvidos, não há um rigor e truculência como o que é apresentado em Boy Erased, no qual tudo lembra mais um quartel militar que qualquer outra coisa. O Mau Exemplo de Cameron Post fica parecendo que é um acampamento para jovens e apenas isso, o que torna toda ambientação bastante fraca e tira o foco do real motivo dos jovens estarem ali. 

O principal problema não é apenas tratar o assunto principal de modo superficial, mas também o de ter uma mensagem extremamente vazia, na qual a garota se vê sozinha no mundo e tendo que se conhecer em meio ao tratamento pelo qual tenta a desconstruir como pessoa. Cameron é uma garota que entende sua situação, mas que não se sente inserida naquele local e tem dificuldade para fazer amizades. A mensagem poderia ter sido melhor trabalhada e esse sentimento de solidão e de se sentir presa também é algo que não é tão bem desenvolvido assim. 

Chloë Grace Moretz mostra ser uma atriz de grande talento e com um grande futuro pela frente. Sua interpretação, mesmo não sendo das melhores de sua carreira, ainda assim convence no papel da protagonista e passa todos os sentimentos que a personagem vivencia, desde o abandono a tristeza pela situação que passa. No longa, a atriz se permite trabalhar mais seu lado dramático, algo até então só presenciado em O Protetor, em uma personagem com pouco destaque, e em Carrie, no qual havia sido pessimamente dirigida por Kimberly Peirce

Desiree Akhavan foi, provavelmente, escolhida para dirigir o longa por já ter trabalhado o tema da homossexualidade em outras produções que dirigiu, como a série Bissexual ou o longa Uma Boa Menina. É uma diretora que ainda tem muito a crescer, mas que já vai trilhando um caminho interessante e é um alívio ver uma diretora com a sua visão dirigindo um filme como Cameron Post

O Mau Exemplo de Cameron Post é uma produção simples, mas bastante agradável de assistir, isso no sentido de não ter um roteiro confuso ou uma direção que atrapalhe o andamento da trama. Tudo no longa é feito com eficácia e há uma certa esperteza em não perder tempo com questões irrelevantes para a trama. Há uma falta de sutileza no jeito de se contar o filme, mas isso é um elemento que a diretora escolheu não colocar no filme para que não desse outro tipo de interpretação para a o que era contado. Resta saber se Desiree manterá o ótimo nível em futuras produções e que faça outros filmes tão interessantes quanto este. 

O Mau Exemplo de Cameron Post (The Miseducation of Cameron Post, EUA – 2018)

Direção: Desiree Akhavan
Roteiro: Desiree Akhavan, Cecilia Frugiuele, Emily M. Danforth (Livro)
Elenco: Chloë Grace Moretz, Steven Hauck, Quinn Shephard, Kerry Butler, Dalton Harrod, McCabe Slye, Dale Soules, Sasha Lane
Gênero: Drama
Duração: 80 min

Comente!