em , ,

Crítica | Pedregulhos – Uma jornada de pai e filho

A vida de uma criança depende daqueles à sua volta. Em Pedregulhos, presente na 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, acompanhamos a pé os percalços de um pai e filho em um deserto literal.

Um homem alcoólatra e seu filho, partem no deserto da Índia em busca da esposa que fugiu. Simples e direto, o homem não aceita desaforo de ninguém que ouse cruzar o seu caminho, nem mesmo seu filho. A experiência assistindo ao filme é a quase a mesma de ver alguma briga de vizinhos, daquelas que depois de muita gritaria e quebradeira aparece uma viatura.

Violenta e sem freios, a direção do estreante P.S. Vinothraj não poupa esforços em fazer você sentir o momento. São instantâneos e genuínos os sustos levamos aos picos de raiva do pai. Vinothraj opta por filmar o máximo que consegue em planos sequências, levando a experiência da caminhada dos personagens para o espectador. Ele constrói junto do excelente roteiro uma narrativa que consegue contemplar as atuações e ainda dar uma pincelada no mundo ao redor.

Filmado em pequenos vilarejos e no deserto, as paisagens lembram o estereótipo do nordeste brasileiro, onde tudo se resolve na peixeira. Aqui é na base do tapa, onde momentos como uma grande discussão no ônibus se tornam algo cômico por instantes.

Quem consegue centralizar essa triste história de abuso emocional é Chellapandi, que interpreta o filho. Quase como um avatar para o público, ele faz um garoto que se mostra maduro para a idade, tendo que lidar com a objetificação. Em uma cena entre o pai e seu tio, fica evidente que o garoto não passa de uma moeda de troca entre os pais.

No outro lado temos Karuththadaiyaan, interpretando o pai alcoólatra. Provavelmente construído em cima de referências locais, o personagem é cheio de manias e tiques, deixando um pouco sobrecarregado sua real jornada. O ator traz uma coisa esquecida pelo cinema atual: fôlego. As constantes cenas intermináveis nunca cansam graças à entrega do ator.

Já no aspecto técnico, fica visível as limitações que a produção enfrentou. Em alguns momentos, a câmera não decide se movimenta ou treme; em outros a iluminação dança um pouco, e tudo isso não encaixou de maneira orgânica para passar despercebido. Mas em contrapartida, não atrapalhar no andar da trama.

Pedregulhos é um filme puro, daqueles viscerais que entregam a trama com imagens e ação. Fiquemos de olho para o que mais Vinothraj dirigirá no futuro.

Pedregulhos (Koozhangal, Índia – 2021)

Direção: P.S. Vinothraj
Roteiro: P.S. Vinothraj
Elenco: Karuththadaiyaan, Chella Pandi
Gênero: Drama
Duração: 75 min

Acompanhe mais da nossa cobertura da 45ª Mostra Internacional de São Paulo

O que você achou desta publicação?

Publicado por Herbert Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Crítica | A Garota e a Aranha – Mudanças e altas emoções

Sorvetes, fliperamas e Bebês motoristas: Ranking dos filmes de Edgar Wright